HomeSexo“É normal não ter orgasmo vaginal?”

“É normal não ter orgasmo vaginal?”

orgasmoclitoriano

“É normal não ter orgasmo vaginal?”

Malagueta 1: Estamos juntos há oito anos, casados nos últimos dois. Nosso nível de intimidade é nota dez: temos muita liberdade um com o outro e, entre quatro paredes, a gente pode tudo. Chego ao orgasmo no sexo oral e nas preliminares, mas nunca na penetração. Tentei até ir direto para a penetração, quando estava com muito tesão, para ver se funcionava. Não rolou. Isso me deixa muito mal porque acabo fingindo muitas vezes. Talvez não seja legal agir assim com ele. Essas perguntas martelam na minha cabeça: será que sou lésbica, será que sou normal?

Malagueta 2: Sozinha consigo chegar ao orgasmo tranquilamente, com meu namorado me tocando demora um pouquinho… mas acontece. Durante a penetração, nadinha! E não é só com ele o problema, pois não rolou com nenhum parceiro sexual anterior. Antes eu até fingia pra dar uma animada neles, mas abri o jogo com meu atual namorado porque não queria mentiras. O que eu faço, Nath? Tenho medo de haver algo errado comigo.

Ih, pimentinhas, vocês tão se ardendo assim à toa. As pesquisas em sexualidade mostram que apenas 30% das mulheres gozam com penetração. Ou seja, só três em cada dez mulheres alcançam o clímax naquele sexo com “bombada” atrás de “bombada”. Desconfio, aliás, que ALGUNS caras têm certeza de que o clitóris fica dentro do útero – já reparou como não sabem fazer nada além de tirar e enfiar o pau? Então, eu tenho duas amigas que adoooooram sentir o cidadão cutucando o estômago delas, mas são exceção.

A grande maioria de nós (sim, eu me incluo aqui) tem muito mais facilidade de tremelicar com estimulação clitoriana. Imagine que naquele pontinho do tamanho de uma ervilha existem 8 mil terminações nervosas (assistam isso!) – a título de comparação, o pau inteiro tem cerca de duas mil. Alguns especialistas afirmam que o orgasmo vaginal é mais intenso, outros discordam dizendo que isso é puro mito. Deixemos a ciência brigar e vamos nos concentrar em TER orgasmos, seja lá como forem.

Não há nada de errado com vocês. Pelo contrário, nesse momento, vocês estão sendo invejadas por muitas mulheres que jamais conheceram essa sensação ou que não conseguem tê-la com quem amam. Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos apontou que 70% das mulheres não gozam com seus respectivos parceiros. Não é triste? Se eu pudesse apostar as bolas do meu marido, eu diria que a culpa é 1. da falta de conhecimento do próprio corpo, 2. da falta de intimidade e diálogo aberto com o outro, 3. de não conseguir relaxar de verdade para perder totalmente o controle.

Agora, minhas amoras, consigo pensar em duas coisas que podem ajudar. A primeira delas é o uso de um anel peniano com bullet (explico melhor aqui). É um pequeno arco de silicone que você encaixa na base do pênis – isso, desce atéééé o final. Na parte de cima, há um micro vibrador. Quando o bofe penetra o membro inteiro em você, esse motorzinho deve ficar posicionado exatamente sobre o seu clitóris, ok? Diga a ele que não fique no vai-e-vem, apenas mexa devagar os quadris, sem tirar o pimentão de dentro. O que COSTUMA acontecer, mas não é regra: você vai ficando excitada pelo clitóris, sentindo ao mesmo tempo o pau e as contrações da parede vaginal. Não é garantia de um orgasmo “interno”, mas facilita!

A segunda sugestão tem a ver com o pompoarismo (vou postar sobre já já). Vocês sabem o que é isso? São exercícios de contração e relaxamento dos músculos pélvicos, dos anéis vaginais que todas nós temos. Traduzindo: sabe quando você está fazendo o xixi e “segura” o jato no meio? Então, é uma forma de comandar aquela área do seu corpo. No pompoarismo, por meio de técnicas que incluem acessórios como pequenas bolinhas, você consegue perceber e controlar cada movimento no interior da vagina. Isso “acorda” a região e a torna muito mais receptiva ao orgasmo. Existem vários cursos e até mesmo vídeos na internet que explicam e ensinam a treinar sua xoxota. Será que eu ajudei?

*Se você comprar na Loja do Prazer clicando nos links abaixo, você ajuda o Pimentaria 😉

Um anel peniano com bullet bem parecido com o meu.

Bolinhas de pompoarismo pra deixar a xoxota marombada.

Compartilhar:
Comentários
  • É… realmente acho que o orgasmo vaginal é mais incomum do que imaginamos,ter orgasmos estimulando o clitóris é o mais “fácil” e leva as estrelas.Uma vez li ou vi (não me recordo bem)uma matéria sobre vagina,e contrário do que imaginamos,a cavidade vaginal não é tão sensível como imaginamos,o clitóris realmente é campeão no quesito sensibilidade,talvez por isso seja muito mais fácil ter orgasmo estimulando esse ponto.Na matéria explicava porque a vagina não é tão sensível,justamente por não ter tantas terminações nervosas porque se não a mulherada ao parir praticamente não aguentaria a dor do parto.Achei válida a explicação,mesmo porque antigamente parece que a mulher só servia pra isso: procriar. Mas clitoriano ou vaginal,ou ambos,bom mesmo é curtir o que temos disponível.

    1 de maio de 2014
  • Gostei a matéria. Ter orgasmo vaginal é mais incomum do que imaginamos,ter orgasmos estimulando o clitóris é o mais fácil. Mais matéria legais no portal do sexo;http://123sexo.com.br/materias

    23 de setembro de 2014
  • A parceira estimulando o clitóris durante a penetração, pode ajudar a chegar ao orgasmo,como se fosse um treinamento,se você estiver chegando lá, continue até gozar,outras vezes,quando estiver quase chegando,pare e se estimule só no vaginal e ponha suas fantasias para trabalhar,vai chegar lá com certeza,aprendi com a esposa,muitas vezes ela consegue só no vaginal e o meu pênis só tem 12,5 cm !

    22 de fevereiro de 2015
  • Auto conhecimento leva a patamares elevados e consciência do próprio corpo. Trabalhar se faz com que tenhamos outras experiências durante o ato sexual. Passei pela anorgasmia, vaginismo e há algum tempo tenho orgasmos de todas as maneiras possíveis, inclusive vaginal (faço parte dessa porcentagem), o orgasmo clitoriano aprendi a sentir com a massagem tântrica e hoje virei terapeuta tântrica por conta de ver os resultados testados em mim mesma. No sexo ordinário e comum que se tem por aí fica difícil chegar a níveis elevados de sustentação de energia, temos um corpo e focamos em uma área especifica, busque viver os sentidos um no outro.

    3 de dezembro de 2015

Deixe um comentário