HomeSexoRetrospectiva 2014

Retrospectiva 2014

retrospectiva

Retrospectiva 2014

A gente sobe-desce-empina-e-rebola-toda-delícia-toda-gostosa, mas 2014 foi um forninho difícil de segurar. Giovana que o diga. E a seleção brasileira também #tevecopa. Sorte a nossa que, mesmo quando somos derrotados por um 7×1, sempre tem a bunda do Hulk. É preciso rir pra sobreviver, malaguetada. Tem jeito, não. Nessas de fazer retrospectiva com as notícias sobre sexualidade que mais repercutiram este ano, me vi diante de bizarrices que preferia não lembrar… Como lacrou Gregório Duvivier (aliás, aqui outros dois hits: a expressão e o escritor) em sua coluna na Folha, “o sentimento geral foi traduzido pela imagem do pinguim sendo estuprado pela foca. O ano de 2014 foi uma espécie de foca tarada. Faltou lançar esse movimento: #somostodospinguins”. 

Os “goys”, o casal gay no BBB, a declaração de José Loreto sobre fio terra

Teve a história dos “Goys”, que seriam homens héteros que se relacionam e curtem brincadeiras sacanas sem penetração anal. Então, eu também não entendi. Só sei que a gente estuda pra derrubar rótulos e o povo cria mais um. Já já vão inventar um para mulheres que só gozam com seus vibradores. Teve BBB14 e o casal Clara+Vanessa para ~escandalizar as famílias de bem~ com seus beijos de língua no horário nobre. E choveu email de leitora me perguntando se “tudo bem ter vontade de ficar com outra garota e não ser gay”. Curiosidade bissexual, galera, NORMAL. Teve o lindo do José Loreto, seguríssimo de sua masculinidade, se declarando a favor do fio terra no programa Amor&Sexo. E sua mulher, a atriz Débora Nascimento, sambando na cara da sociedade ao ser procurada para comentar o episódio: “Tem muito brasileiro hipócrita. Muitos homens das cavernas. As pessoas precisam abrir a mente, principalmente não julgar e não SE julgar”. Teve a selfie “after sex” que, graças ao bom senso, não pegou.

2

O filme Ninfomaníaca, a campanha a favor da masturbação feminina, a bengala do Kid, a coleção erótica de 50 tons

Teve o filme Ninfomaníaca pra contar como é DE VERDADE a vida dos viciados em sexo: não é legal, é doença. Vem ler o depoimento real e dramático de uma senhora carioca. Teve o lançamento da bengala do Kid, o ator pornô. Um consolo de 32 centímetros (eu é que precisaria de consolo depois de usar um troço desses). Teve coleção oficial de produtos eróticos do Cinquenta Tons de Cinza, um kit do tipo “transforme seu bofe num Christian Grey, mesmo que na marra”. Teve a conceituada Universidade de Harvard dando aula de sexo anal, tá, meu bem? E eu já esclareci tim-tim por tim-tim sobre isso… aposto que de uma forma bem mais, digamos, direta. Teve a maravilhosa campanha “Eu me amo” de uma marca de lingerie incentivando as mulheres a explorarem o próprio prazer. Ãhã: masturbem-se! Vocês acreditam que 53% das brasileiras solteiras entre 18 e 25 anos jamais tocou uma siririca?

jandira

O avanço do HIV entre jovens, a profilaxia, as reações à vacina anti-HPV e a morte de Jandira numa clínica de aborto

Teve o triste aumento de 32% no número de jovens entre 15 e 24 anos com HIV. O problema é que a gente ensina a molecada a botar camisinha, mas eles acham que o vírus é só um velho bicho-papão-dos-anos-19990. Fico especialmente abalada porque minha mãe vê essas estatísticas no dia a dia de sua profissão. Teve a chegada do Truvada no Brasil, um remédio que segundo cientistas evita a infecção da AIDS – o Ministério da Saúde garantiu que a droga não vai fazer com que as pessoas deixem de usar preservativo… Teve o pavor generalizado quando jovens de Bertioga foram hospitalizadas com suspeita de reação à vacina anti-HPV. Pais de adolescentes do país inteiro ficaram assustados, mas as autoridades reforçaram que o imunizante é seguro e ajuda a prevenir a doença sexualmente transmissível. Teve a morte de Jandira, a mulher que se submeteu a um aborto desesperado numa clínica clandestina, e o debate sobre a legalização da prática. A Organização Mundial de Saúde calcula mais de um milhão de abortos ilegais no Brasil, mas o nosso código penal prevê de um a três anos de cadeia às gestantes que realizam o procedimento. Quédizê…

Teve Copa com Felipão liberando sexo na concentração, “desde que sem malabarismos”. Talvez por isso o desempenho dos jogadores em campo também tenha sido tããããão sem graça. Pelo menos a gente riu muito com os memes sobre a ~exuberância~ do Hulk (disputa com a Kim Kardashian, hein) e as caretas do David Luiz (que tá se ~guardando~ pra noite de núpcias), com os croatas pegando um bronze nas bolas, com a seleção mamãe-eu-quero da Itália, com o querido do Podolski pagando de noveleiro. Clique nas imagens abaixo para ampliá-las :)

 

Príncipe George, Comendador Alexandre Nero, novato Chay Suede e fotos de Jennifer Lawrence

Príncipe George, Comendador Alexandre Nero, novato Chay Suede e fotos de Jennifer Lawrence

Aliás, será que Podolski foi mais um a suspirar pelo Comendador Zé Alfredo? Transformaram Alexandre Nero num galã, uma coisa meio “Príncipe George te despreza” hahahahaha. Não vou nem falar da entrevista que ele deu pro Pimentaria e do texto que retuitou. O Chay Suede saiu do anonimato pra desfilar por aí com cara de “sabe de nada, inocente”. Vazaram fotos dele na rede? Porque 2014 foi a vez dos hackers divulgarem imagens de celebridades nuas, como aconteceu com Jennifer Lawrence. Uma surreal violação de privacidade.

whats

As mudanças no Whatsapp e o nosso desespero

Péra, falando em privacidade… teve o Whatsapp acabando com o nosso sossego. Criou um ícone de “mensagem visualizada”. Só pra você ter CERTEZA de que o(a) gato(a) leu e ignorou. Não, não tem essa de que a mensagem não chegou porque deu pau na TIM hahaha. “Aceita que dói menos”.

A traição de Adnet, a transexualidade do filho de Tas, a homofobia contra o filme de Wagner Moura e a aberração Levi Fidélix

A traição de Adnet, a transexualidade do filho de Tas, a homofobia contra o filme de Wagner Moura e a aberração Levi Fidélix

Teve a ~traição~ do Adnet, a resposta da Dani Calabresa e geral metendo bedelho na vida alheia – mas, ei, a (in)fidelidade é de quem mesmo? Teve uma entrevista FODA em que o Marcelo Tas conta como sua filha Luiza se tornou seu filho Luc, trazendo à tona a questão da transsexualidade. Uma excelente lição de amor e tolerância num ano que teve gente deixando sala de cinema porque não avisaram que “Praia do Futuro”, filme com Wagner Moura, continha cenas homossexuais. Infelizmente, há um Capitão Nascimento em cada um de nós. Teve muita frase absurda nos debates para a presidência da república. Mas a do candidato Levi Fidélix cravou em mim: “Aparelho excretor não reproduz”. Foi o que ele respondeu quando perguntado sobre o reconhecimento das famílias com um casal do mesmo sexo. Pior: teve pesquisa do IBOPE mostrando que mais da METADE da população é contra o casamento gaye o Estatuto da Família quer EXCLUIR a união homoafetiva do que se denomina “entidade familiar”. Oi?

A pesquisa do IPEA e o movimento #nãomereçoserestuprada, assédio no metrô e vagão rosa, denúncias de estupro na USP, mais chorume do Bolsonaro

A pesquisa do IPEA e o movimento #nãomereçoserestuprada, assédio no metrô e vagão rosa, denúncias de estupro na USP, mais chorume do Bolsonaro

Teve a pesquisa do IPEA apontando que, para 65% dos brasileiros, mulher com roupa curta merece ser estuprada. Eu, com esse vestido decotado, merecia ser atacada porque ~obviamente~ estava “pedindo para ser atacada”. Aí o IPEA aparece e diz que os dados divulgados estavam equivocados (eram 26%, não 65%). Muda alguma coisa? NOT! A cultura machista nem liga pra margem de erro. Ó só: numa pesquisa com dois mil jovens, 48% acham errado a mulher “sair sozinha”. Teve a campanha contra o assédio dos encoxadores no metrô e o bafafá do vagão rosa. Teve a série de denúncias de estupros em festas da Faculdade de Medicina da USP. Teve o veto à Julien Blanc, após 150 mil assinaturas online, para impedir que ele desse um curso sobre ~como pegar mulher ~ com métodos machistas e violentos. Teve o deputado Bolsonaro, em discurso no plenário da Câmara, dizendo que não estupra a deputada Maria do Rosário porque ela não merece. E ele não saiu algemado, acreditam? 2014 foi mesmo o ano da foca tarada. Daquilo que nem mesmo os cientistas conseguem explicar.

*BÔNUS: Personagem do ano na sexualidade >>> Mônica Moreira Lima, apresentadora maranhense do programa Sem Vergonha e minha nova ídola. “Não deixe para amanhã a rolada que você pode dar hoje”

Compartilhar:
Comentários
  • Fiquei até sem fôlego lendo essa retrospectiva.. tanta coisa poderia ter sido melhor!
    Tomara que 2015 venha para mudar a mentalidade e atitude de muita gente por ai..
    Uma ótima virada pra você Nat! E que você continue apimentando as nossaa vidas no próximo ano :)
    Beijos

    30 de dezembro de 2014

Deixe um comentário