HomeSexo6 respostas sobre sexo durante a menstruação

6 respostas sobre sexo durante a menstruação

menstruacao

6 respostas sobre sexo durante a menstruação

(Getty Images)

Ao longo da vida, as mulheres têm cerca de 400 menstruações. Todo mês o corpo prepara o útero para que um bebê cresça e se desenvolva ali. Quando a fecundação não acontece, uma mucosa interna chamada endométrio descama. Vem daí o sangue que alguns consideram “nojento” – sequer imaginam transar na presença dele. E tem gente que não tá nem aí: curte molho ao sugo e até dispensa o guardanapo. Goste você ou não da ideia, eis o que precisa saber sobre sexo na menstruação.

  1. Faz mal à saúde transar menstruada?

Não, pro organismo não. Mas sintomas próprios do período menstrual, como cólica e inchaço nos seios, podem fazer com que você não esteja confortável nem disposta pro sexo. Penetração britadeira e mil posições talvez te causem incômodo ou dor. Agora, o que faz mal à saúde (emocional) é ser pressionada ou se sentir obrigada a transar menstruada.

  1. Não é anti-higiênico?

Aí vai de cada um, né? Assim como a secreção vaginal, o sangue é um fluido normal do corpo. Algumas pessoas simplesmente não se importam, seguem a linha relaxa-depois-a-gente-troca-os-lençóis. Outras preferem transam debaixo do chuveiro, ou apenas nos dias de fluxo menos intenso, ou esperam a menstruação acabar, ou recorrem a táticas mais específicas.

Por exemplo: colocar um O.B. e fazer todas as coisas que não incluem penetração (não pode com ele dentro!), inclusive sexo oral. Recentemente lançaram um absorvente interno que resolve a questão: o Soft Tampons é uma esponjinha maleável de 2 gramas com mega capacidade de absorção. A unidade custa, em média, R$ 7.

Joga umas gotinhas de lubrificante à base de água nele e introduz no canal vaginal o mais fundo que der. O pênis do cidadão nem percebe que o troço tá lá. Quando o trelelê acaba, tem que pescá-lo pra fora usando polegar e dedo indicador (ilustração abaixo). Relaxa que, assim como o O.B., é impossível que ele passe para o útero e desapareça em você.

soft_tampons

Divulgação / Soft Tampons

  1. Corre o risco de engravidar?

Então, é raro, mas pode acontecer. A grande maioria das mulheres não ovula durante a menstruação – ou seja, os espermatozoides não encontram um óvulo, portanto não há fertilização e futuro bebê. Maaaas algumas mulheres não têm um ciclo regular de 28 dias ou não tomam a pílula anticoncepcional direitinho-religiosamente. Nesses casos, elas não estão protegidas.

  1. E de pegar uma DST?

Opa! Aliás, aumentam as chances de contrair e transmitir uma infecção ou uma doença sexualmente transmissível. Isso porque, além da secreção vaginal, o sangue também é uma via de contágio muito comum. O único jeito é usar camisinha ou “contar com a sorte”.

  1. O sexo interfere no tempo e na intensidade da menstruação?

Se você transar dias antes em que ela estava “programada” pra descer, pode acabar antecipando o processo. Por exemplo: sua menstruação viria na sexta-feira e você fez sexo na quarta, daí encontrou a calcinha tingida na quinta de manhã. Quando a gente fica excitada, acontece uma vasodilatação que às vezes dá um empurrãozinho na saída do sangue. Além disso, as contrações uterinas do orgasmo podem reduzir a duração da menstruação.

  1. As mulheres ficam com mais tesão nessa fase do mês?

Hum, depende. Em geral, a libido feminina é maior no meio do ciclo, período de ovulação. Mas o tesão tá relacionado ao emocional da mulher e se sofre (ou não) com os sintomas chatos da menstruação. Se ela tem receio de engravidar, pode ficar mais relaxada e interessada durante a menstruação… Se ela está fisicamente indisposta, com dores de cabeça e nos seios, é improvável que pense em sexo…

***Este post foi originalmente publicado na coluna da Nath no Yahoo.

*SIGA PIMENTARIA:

– Facebook/napimentaria

– Instagram @pimentaria

– Twitter/napimentaria

– Youtube/napimentaria

Compartilhar:
Comentários
  • Nath, o fluxo menstrual pode sofrer alteração (pra mais ou pra menos) caso haja sexo durante a menstruação?

    4 de março de 2017

Deixe um comentário