HomeSaúdeSíndrome provoca até cem orgasmos por dia

Síndrome provoca até cem orgasmos por dia

sindromeexcitacao

Síndrome provoca até cem orgasmos por dia

(Getty Images)

Imagine-se com uma ereção 24h por dia, sete vezes por semana. Você discutindo com o chefe e latejando dentro da calça. Você num almoço de domingo com a sogra e explodindo de tesão. Você irritado no congestionamento e seu pau duro feito pedra. Você numa missa de sétimo dia e passando mal de vontade de ejacular. Parece legal ou bastante constrangedor?

É assim a vida de quem sofre com a Síndrome da Excitação Sexual Persistente, uma doença rara que atinge principalmente mulheres após os 40 anos de idade. E não tem nada a ver com ninfomania! Pelo contrário: na PSAS (sigla para Persistent Sexual Arousal Syndrome), o tesão surge mesmo que a pessoa não esteja pensando ou querendo sexo.

Às vezes, pasme, atividades banais como andar de ônibus ou usar um secador de cabelo provocam orgasmos espontâneos. No interessante documentário “100 orgasmos por dia”, disponível na íntegra no Youtube, uma das personagens evita o barulho da máquina de lavar centrifugando. A ciência ainda não conseguiu explicar o motivo desse fluxo sanguíneo constante nos genitais e estabelecer um tratamento.

Primeira parte do documentário “100 orgasmos por dia” (Reprodução / Youtube)

As investigações apontam para algumas possíveis causas: inflamação dos órgãos pélvicos, lesões cerebrais, hipersensibilidade do nervo pélvico e até para o consumo de soja e uso de alguns antidepressivos. Inchaço e vermelhidão constante na vulva, intensa sensação de pressão ali e orgasmos múltiplos incontroláveis (que podem durar dias) são os sintomas comuns apresentados pelas pacientes diagnosticadas.

Para aliviar essa tensão entre as pernas e acalmar o corpo, o jeito é se masturbar várias vezes seguidas por dia. “Pra mim o orgasmo virou uma tarefa, um dever, um trabalho”, diz uma das entrevistadas no filme, com uma expressão de “que inferno”. Ela convive há oito anos com o problema e já procurou todo tipo de ajuda – inclusive terapia com eletrochoque. Isso porque não foi levada a sério nem pelo ginecologista

***Este post foi originalmente publicado na coluna da Nath no Yahoo.
*SIGA PIMENTARIA:

– Facebook/napimentaria

– Instagram @pimentaria

– Twitter/napimentaria

– Youtube/napimentaria

– Snapchat/nathpimentaria

Compartilhar:
Sem Comentários

Deixe um comentário