HomeSexoGel de testosterona aumenta o tesão feminino?

Gel de testosterona aumenta o tesão feminino?

TestosteronaGel

Gel de testosterona aumenta o tesão feminino?

(Foto: Pixabay @pexels)

Costumo dizer que o tesão dos homens “acende” tão rápido quanto um isqueiro. O fogo das mulheres “acende” tão rápido quanto esfregar gravetos na mata. Claro que tô generalizando e exagerando. Mas a ideia é que os corpos feminino e masculino funcionam de formas diferentes no Ciclo de Resposta Sexual – apenas um nome técnico para o que acontece dentro da gente desde o desejo até o relaxamento pós orgasmo. Por isso é normal que as mulheres necessitem de tempo e dedicação extras pra ficarem com vontade de transar.

Os hormônios levam parte da culpa (sublinhe-se PARTE dela, não toda). Homens produzem maior quantidade de testosterona, que age no sistema nervoso central e vira uma espécie de combustível do tesão. Ok… a fórmula é simples: mais testosterona = mais tesão? Tá explicada essa moda de gel de testosterona! É um Viagra rosa? PARA, PARA, PARA. Carolina Ambrogini, ginecologista e sexóloga, logo frustra as pacientes que chegam implorando “dotôra-mim-dá-pelamordedeos” na expectativa de “salvar o casamento”.

Ela explica que os hormônios influenciam o desejo sexual, mas existem outros importantes fatores. Os principais são a rotina das relações estáveis (pena, mas paixão acaba) e o cansaço próprio do dia a dia (trânsito, trabalho, tarefas domésticas, filhos ad infinitum). “Além disso, a mulher tende a esperar que o tesão venha ‘naturalmente’… Não exercita a sexualidade como o homem, procurando estímulos pra pensar mais em sexo e se masturbar”. Assino embaixo. Pior ainda se o troço entre o casal ficou mecânico, se falta intimidade, se ela não goza – faz por achar que tem obrigação de satisfazer.

Mas a pauta é o tal do gel, voltemos a ele. Enquanto qualquer drogaria vende remédio para disfunção erétil de diversas marcas, não existe nada à base de testosterona para mulheres aprovado pela ANVISA nem em países como EUA – embora seja há anos indicado off label, ou seja, fora da bula ou protocolo. Como compra? Cada médico faz uma prescrição para farmácia de manipulação. Não é receita de bolo. E, ao contrário do Viagra, que o cidadão toma apenas quando quer ter uma ereção, o gel de testosterona é de uso contínuo. Não é tipo “Ah, hoje QUERO QUERER, vou besuntar um pouquinho aqui”.

Se vai rolar uma masculinização, como acordar com barba de um dia pro outro? Os pelos (inclusive da face) podem aumentar e engrossar, sim. Daí o motivo de aplicar, por exemplo, na barriga e no lado interno de coxas e braços… Outros efeitos colaterais comuns a longo prazo, segundo Carolina Ambrogini: aumento do colesterol e do peso, queda de cabelo e acne. Ela diz que a segurança pra recorrer à terapia com testosterona por mais de um ano ainda é desconhecida. As pesquisas científicas não descartaram o aumento no risco de câncer e problemas cardiovasculares.

ÇOCORRO, então pra quem o gel é indicado? “Mulheres que, além da diminuição da libido, apresentam níveis baixos de testosterona, falta de energia e vigor físico”, diz a ginecologista. Cada caso requer investigação. Pode ser que o organismo na menopausa tenha deixado de produzir o hormônio e valha fazer a reposição. Pode ser que o uso de anticoncepcionais tenha reduzido muito a testosterona e aí baste mudar o método contraceptivo.

“O gel de testosterona ajuda a melhorar? Ajuda. Mas você vai querer um hormônio com efeitos colaterais como muleta à sua libido até quando?”, pergunta Carolina. Ela aposta que, às vezes, o tesão volta só de adotar hábitos de erotização como se masturbar e reinventar os jogos de sedução do casal. “Mudar atitudes é mais saudável e recomendável”. Vão baixar um vídeos de sacanagem, comprar uns brinquedinhos eróticos, tomar um vinho juntos, trocar massagens, acender umas velas… Que o resto deve “acender” de novo.

***Este post foi originalmente publicado na coluna da Nath no Yahoo.

*SIGA PIMENTARIA:

Facebook/napimentaria

Instagram @pimentaria

Twitter/napimentaria

Youtube/napimentaria

Compartilhar:
Sem Comentários

Deixe um comentário