HomeSem categoriaBianca Jahara: “Sou uma investigadora do sexo”

Bianca Jahara: “Sou uma investigadora do sexo”

biancajahara

Bianca Jahara: “Sou uma investigadora do sexo”

“Como você conseguiu se segurar por 14 minutos com um vibrador lá?”, perguntei tão logo fui apresentada à Bianca Jahara. Assim, sem nenhuma intimidade. A conversa sobre a participação dela na oitava edição do Big Brother Brasil podia esperar… É que o ápice do exibicionismo de Bianca não foram as seis semanas em que passou confinada num casa repleta de câmeras. No ano passado, ela aceitou o convite do “Gozando de um bom livro”, inspirado no projeto “Hysterical Literature”. Isso significa que ela deixou gravarem suas reações enquanto lia parágrafos inteiros com um vibrador ligado. Detalhe: Bianca estava na recepção de um hostel, sob luz artificial fortíssima, diante de dez pessoas da equipe. É divertido como ela se desconcentra aos poucos, fica com a respiração ofegante, cai na gargalhada e… goza. Eu desconfio que não aguentaria um terço do tempo. Talvez eu tenha orgasmos precoces – digam vocês, malaguetas. Aperta o “play” aí.

Outra coisa que me deixou intrigada: Bianca está vestida no vídeo, mas é como se fosse tirando a roupa até ficar completamente “nua”. Porque não existe nada mais íntimo do que gozar de verdade na frente de alguém. Aos 34 anos, Bianca apresenta o programa Penetra, nos intervalos dos filmes adultos exibidos pelo Sexy Hot (um dos seis canais pagos da Playboy Brasil). Não seja tolo de imaginar que ela é assistida apenas por garotos punheteiros. Metade dos 400 mil assinantes são mulheres – muitas, casadas e com filhos, interessadas em apimentar a relação. Na entrevista abaixo, realizada na Erótika Fair 2014, nós conversamos sobre estereótipos como esse, o início de sua vida sexual, a experiência no BBB e o que aprendeu com as reportagens eróticas.

biancabbb– Fez sexo na casa do Big Brother Brasil?

O mundo da gente, por um tempo, era lá dentro. Quando eu ficava muito bêbada, pegava no pau do Rafinha debaixo do edredom. Não chegamos a nos beijar, eu queria me aproveitar dele mesmo. Fiquei a fim, mas ele namorava e respeitei. Isso é uma coisa que me brocha, não consigo pegar o cara se ele já tem mulher.

– E nenhum outro participante te interessou?
Não. Eu me sentia um peixe fora d’água. As pessoas pareciam muito caretas – os meninos eram machista e as meninas, fofinhas. Se eu falasse qualquer coisa sobre sexo, ia parecer que eu queria chocá-los. Para você ter ideia, eu contei como eu perdi a minha virgindade, comentei que o pau do cara era pequeno e foi um dos vídeos mais assistidos na internet. Hoje o público aceita melhor muita coisa. É só ver o romance da Vanessa com a Clara nesta última edição. Acho que o Boninho esperava que eu tivesse feito algo assim porque eu disse na entrevista que também pegava mulheres…

– Você se considera bissexual?
Não. Porque eu nunca tive sentimentos por uma mulher. Até gostaria de ter, estou aberta a isso. Mas, todas as vezes em que fiquei com uma, foi por uma noite – nunca liguei no dia seguinte nem saí pra jantar. Fico com garotas antes de ficar com homens. Eu aprendi a me masturbar com as minhas amigas, devia ter uns onze anos. Descobri meu corpo com ajuda delas, mas não tinha maldade. A gente tomava banho juntas e passava a mão, essas coisas… Perdi a virgindade com 17 anos com um namorado, mas eu não tinha prazer com ele. Nessa época, cheguei a pensar se eu era gay, mas não sofri com isso. Quando tive essa dúvida, terminei o relacionamento e fui transar com outro cara para tirar a dúvida. E foi uma delícia.

*LEIA MAIS: Curiosidade bissexual…significa?

– Como apresentadora de sexo, você deve provocar mil fantasias em quem te assiste…

Ah, já recebi mensagens e e-mails perguntando quanto custa o programa etc. Eu boto medo em muito homem por falar de sexo – os que se assustam não se garantem, portanto não me interessam. Eu namoro um biólogo há seis meses, ele não demonstra ciúmes com o assédio que vem do meu trabalho. Aliás, ele é bem livre sexualmente falando. A gente topa umas coisas, tipo ménage à trois. Mas, sem ele, não posso fazer nada… nem beijar uma mulher. No Penetra, a minha pegada é ser uma investigadora do sexo, descobrir comportamentos e novidades junto com o espectador. Não sou jornalista nem doutora.

foto– Das suas investigações, o que mais chamou atenção?
A maioria dos fetiches eu já realizei: exibicionismo, mulheres, suruba… Tem umas bobas, tipo transar no avião, que eu não fiz ainda! Não se teria algo que eu não faria. Dependendo de como as coisas são conduzidas, você vai sendo meio hipnotizada. Agora, eu não conseguiria participar de um dogging (sexo consentido com várias pessoas em um local público). Gravei uma matéria sobre isso no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro. Vários veículos estacionam e vira um troca-troca geral. Eles transam dentro e fora dos carros, sobre os capôs etc. Ninguém é de ninguém. Mulher casada tomando peru em todos os orifícios…

– Você já deu uma boa passeada pela Erótika Fair 2014. O que gostaria de levar para a sua casa?
Tô apaixonada por algumas coisas. Adoro sex toy! Sexo não deve ser sério, é pra se divertir a dois. Gostei do “banho tântrico”, uma espécie de gelatininha para transar na banheira. E um vibrador da LELO com controle remoto sem fio – ele vibra de acordo com a movimentação de quem está com o controle.

Compartilhar:
Comentários
  • Legal a entrevista. Gostei do vídeo dela também….é tão sexy quanto engraçado.

    E eu sou muito perdido…nem me lembrava que ela tinha participado de algum BBB.

    Você já ouviu falar desse “projeto” : http://www.beautifulagony.com/public/main.php

    4 de abril de 2014
  • Legal, bem tranquila a maneira como ela encara o sexo, preciso rever meus conceitos.

    4 de abril de 2014
  • Muito linda a Bianca Jahara, fala abertamente e segura sobre oque fala que para algumas pessoas briquedinhos ver filmes eroticos swing etc. Para muitos ainda e um absurdo e voce Bianca fala com naturalidade gostei muito. Parabens

    2 de outubro de 2014

Deixe um comentário