HomeSexoUm manifesto anti-luluzinhas

Um manifesto anti-luluzinhas

luluapp

Um manifesto anti-luluzinhas

Quarta série do ensino fundamental, 1997. Fui uma das primeiras meninas da sala a usar sutiã – os peitos começaram a balangar debaixo do uniforme. Demorei a entender o real interesse dos garotos que, do nada, passaram a assistir nossas partidas de queimada. Aqueles pivetes, que sequer tinham pelos no saco, me apelidaram de CAMARÃO. Uma amiga ouviu, entre risinhos perversos, e veio me contar. Passei noites destrinchando as características daquele bicho marinho na tentativa de sacar a piadinha – “Será que eu tô laranja de tanto sol?” ou “A professora de ciências disse que esses animais têm exoesqueleto…”. Era bem mais simples. Camarão = tira a cabeça e come o resto. Eu, meus cabelos sem forma, meu sorriso metálico e minhas espinhas juvenis fomos chorar no banheiro do colégio de freiras (aliás, desconfio que ma mère, a madre, nunca me perdoará por ter escolhido “viver de sexo”).

Voltemos para 2013. As redes sociais me apresentam um aplicativo novo chamado LULU, compartilhado festivamente por algumas amigas. Nesse clube de luluzinhas anônimas, é possível avaliar a performance afetiva e sexual dos caras que são seus amigos no Facebook. À primeira impressão, me parece a revanche das adultas que foram taxadas na infância e adolescência de “gordinha”, “quatro olhos”, “bafuda” etc. Funciona assim: 1. o aplicativo se conecta à sua conta no FB e usa o banco de dados de lá para criar um mural com fotos de homens conhecidos; 2. você pode apenas passear por esse mural, olhando as notas e os comentários que os caras recebem; 3. ou pode avaliar como “ex-namorado”, “estou a fim”, “juntos”, “já fiquei”, “amigo”, “parente”.

A cada pergunta que o app apresenta, você escolhe uma das cinco alternativas. Os tópicos são humor, beijo, sexo, educação, ambição, compromisso e aparência. Por exemplo: Sexo – Só o que passava pela minha cabeça era A) que merda ele tá fazendo? B) eu devia ter apostado na minha intuição C) se eu tivesse bebido mais um drink, isso até seria gostoso D) como ele faz isso? E) porque demoramos tanto pra fazer isso? Daí aparecem umas opções de hashtags para você escolher quais os pontos fortes e fracos do cidadão. Tipo: cai de boca, mãos fortes, fofo com a mãe, aparadinho, três pernas, feio arrumadinho, paga a conta, lábios de mel, não fede nem cheira, não liga no dia seguinte, unhas grandes, lerdo, dá sono, viciado em espelhos, sem química, pânico de germes, certinho demais, pior massagem do mundo…

Por que eu acho o LULU um aplicativo infantil, injusto e inútil:

1. Porque as mulheres podem avaliar anonimamente, o que considero uma covardia. Entram as recalcadas para quem o cara nunca deu bola, as amigas que querem levantar a bola do amigo, as ex-namoradas demônias.

2. Porque eles não sabem que o perfil está lá disponível nem autorizaram a brincadeira. Bem diferente disso aqui. Coloque-se no lugar deles. Você gostaria de ser vinculada a hashtags que falam do seu cheiro, da sua flexibilidade na cama, do seu boquete meia-boca, do seu humor bozolino?

3. Porque, se houvesse um app para homens avaliarem mulheres, marchariam nas ruas contra o machismo dos nossos dias. Repetir comportamentos que repudiamos neles não faz de nós iguais, mas piores.

4. Porque comentar sobre as características de alguém numa mesa de bar ou numa reunião de amigas é OK, faz parte do jogo – diria até que está nas regras. Mas transformar essa intimidade num ranking público é bullying e babaquice.

5. Porque não existe UM cara, UMA nota. Existem muitas pessoas numa só e existe química. Não somos máquinas, agindo mecanicamente sempre da mesma forma. O sexo pode ter sido uma merda com você, mas incrível para a fulana. Ele podia não estar num dia bom contigo ou ela deu ferramentas melhores para a performance dele. O cidadão pode não ter ligado no dia seguinte nem pago a sua conta simplesmente porque VOCÊ não fez por merecer… enquanto, com outra, ele se mostra um romântico implacável e se esforça horrores para conquistar.

Pimentão, dá pra excluir o seu perfil do aplicativo aqui.

UPDATE: Era tão óbvio que viria a revanche dos caras ao Lulu, por isso sugeri que a mulherada não achasse graça da exposição alheia. Não sei se o Tubby é real, mas já tem página no Facebook e gente criando hashtags. Dentre elas:

#ClaudioOhana
#TetaZarolha
#MaisRodadaQuePratoDeMicroondas
#ComiPorEducação
#AnalVoluntário
#GargantaDeVeludo
#CalcinhaCorDaPele
#ChupaMasNãoEngole
#DivideOmotel
#SóMeCustouOCinema

Compartilhar:
Comentários
  • Eu estou com medo dessa era digital!!!! Sem contar nos maridos alheios que podem ser difamados assim, num piscar de olhos…

    25 de novembro de 2013
  • Oi Nathalia!
    Eu concordo com você em partes. É óbvio que se tivesse uma versão masculina desse aplicativo, a polêmica seria bem diferente e eu seria uma das primeiras a cair matando em cima. No entanto, eu vejo tanta menina fragilizada porque saiu com caras ridículos e que prejudicaram elas emocionalmente. É claro que não dá para fazer uma avaliação de uma pessoa com base no recalque alheio, mas uma coisa boa que eu vejo nisso é ter uma ideia de como o cara foi com as anteriores. Não é meu caso ser dependente de alguém e precisar desse tipo de ajuda antes de um relacionamento, eu sei me virar muito bem sozinha, mas acho que a ideia ajuda muito nesse ponto que eu falei.

    De qualquer maneira, não sou contra e nem apoio. Acho que tudo depende dos filtros que você usa e ser radical nesse sentido é pura babaquice e exagero.

    25 de novembro de 2013
    • Quanto à sua amiga que saiu fragilizada tenho um remédio! Conheça o cara antes de dar pra ele.. a garota que aceita transar com o cara gatinho sem sofrer as consequências, tem que ser firme quanto sua opinião, quer transar e ponto, aproveitar o rostinho bonito e o corpo malhado… Se quer um cara bacana, conhece ele antes, pode ser bonito ou feio, mas conheça… não através de um app onde as recalcadas podem ferrar alguém, mas não ficar com ele quando ele encostar em vc já é um avanço, ou melhor, um retrocesso (já que antigamente era assim)… o cara, se gostou de você, vai vir atrás (vai fazer de conta ser bonzinho, sim eu sei) mas ninguém segura ser o que não é por muito tempo!

      25 de novembro de 2013
      • Perfeito o seu comentário!

        26 de novembro de 2013
      • Perfeito Lucas, pelo oq entendi, esse aplicativo é para puta arrependida!

        27 de novembro de 2013
      • CONCORDO.

        28 de novembro de 2013
      • Pense no seu comentário ao contrário, se fosse um cara que saiu fragilizado. Faz sentido você dizer que “ele tem que conhecer antes de comer (sic) ela?”.
        Continue pensando como se fosse uma mulher. Você acha que se o cara terminasse com a mulher, por exemplo, e ELA espalhasse um vídeo de sexo dos dois, quem seria humilhado? Ele? Quem teria de mudar de vida por causa disso? Pensa com carinho, viu.

        28 de novembro de 2013
      • Perfeitamente machista seu comentário. “Conheça o cara antes de dar pra ele.. a garota que aceita transar com o cara gatinho sem sofrer as consequências, tem que ser firme quanto sua opinião, quer transar e ponto, aproveitar o rostinho bonito e o corpo malhado…”
        Diz muito de você e da forma como vê as mulheres!

        28 de novembro de 2013
        • Conheca ou aceite usar o cara gato com o corpo malhado! Nada machista o comentario. Muito pelo contrario. Eh facil demais ficar pedindo direitos iguais mas na depois se comportar como indefesa. Homens tbm se apaixonam, tbm tomam tocos, tbm sofrem de amor. Eu mesma ja peguei varios que no dia seguinte eu nao queria nem ver. Ja teve aquele com apelido de mala no telefone. E aposto q varios pensaram assim de mim, inclusive alguns que nao ligaram de volta. Se vc eh homem ou mulher e nao consegue se dar bem com sexo casual, se nao consegue separar seus sentimentos da realidade (toda mulher faz isso), entao nao tenha sexo casual, paquere, conheça, se preserve e conquiste, e por favor nao se faca de vitma. Agora se ta cheia de tesao afim que role, vai ser feliz, e se a noite for otima e ele nao ligar no dia seguinte, ligue vc! Se o cara deixar claro q nao quer nada serio, avalie, se vc quiser saia fora por incompatibilidade de objetivos, caso contrario usufrua do seu bom PA. Quanto ao aplicativo, bem infantil, mas nao passa de uma brincadeira que nao deve ser levada a serio, e quando vier a revanche, nao sofra, nem fique puta, aceite a piada, q eh de pessimo gosto, mas eh piada!
          E por favor nao julgue se nao quer ser julgada. Mostre q a fase de servir ao homem acabou com suas atitudes e postura e nao com suas lamentacoes.

          29 de novembro de 2013
    • Filtros? Não existe filtro porque se a pessoa está no Facebook, ela é alvo dessa brincadeira. Não existe a opção de sair ou bloquear o aplicativo e quem está nele nem sabe. Não somos livros para ter review da Amazon.

      E se a mulher saiu com “caras ridículos”, foi escolha dela. O primeiro passo de um relacionamento é conhecer o outro para poder dizer se existe compatibilidade ou não, se aquele é um companheiro que se quer. Das dores amorosas, são inevitáveis, só não sofre quem não se arrisca.

      Meu único conselho – válido para homens e mulheres – é que a pessoa procure alguém que a respeite e evite cair na armadilha dos canalhas.

      25 de novembro de 2013
    • Por que você acha que não vai surgir o programa de avaliação de mulheres? Se já não existir!

      25 de novembro de 2013
      • Desde quando um erro valida o outro? Que comentário sem noção.
        Se vier a existir, deverá sofrer a mesma repreensão desse aplicativo.

        25 de novembro de 2013
    • Perfeito seu comentário, Rúbia. Concordo plenamente. Besta é a mulher que baseia totalmente sua opinião sobre um cara por esse aplicativo, que parece mais uma brincadeira do que realmente um software pra avaliar homens. Como a autora disse, o cara pode ter sido ótimo com uma pessoa mas pode ter sido um idiota bêbado com outra, e acredito que a maioria das mulheres têm noção disso…

      25 de novembro de 2013
    • Rubia, até aí também há homens que acabam se apaixonando por mulheres perversas, escrotas, egocêntricas, que pisam neles, mentem, traem e etc.
      Faz parte do aprendizado da vida aprender a encarar e lidar com essas situações.

      26 de novembro de 2013
      • Claro, Daniel. Mau carater nao é exclusividade de homem ou de mulher. Tem dos dois lado. Eu só acho que as pessoas dão importancia demais para esse app. Cara, encara como uma brincadeira e deixa quieto. Se te incomoda muito, vai lá e exclui. Fim.

        28 de novembro de 2013
    • A primeira coisa que me perguntei foi, isso foi mesmo escrito por uma mulher?????
      Acho que vc nunca notou como homens avaliam mulheres sempre em tons sexuais como se fosse a coisa mais normal do mundo!!! A objetização feminina sempre existiu e infelizmente está longe do fim, o contrário não acho legal, mas demonstra um pouco o tanto que as mulheres sofrem! E não, não me venha com coisas do tipo “todo mundo faz”.
      Nós mulheres somos sim oprimidas pela opinião machista, sexista e sexual das pessoas (e pelo visto de nós próprias). É a típica situação em que o oprimido age como o opressor e causa todo esse falatório. Acho que homens por muito poucas vezes estiveram tão expostos como agora e acho que isso pode servir para que as pessoas pensem um pouco na situação, como por exemplo na do “sexual revenge” crescente, em que sempre, SEMPRE, são garotas que têm sua privacidade devassada e têm sua aparência e performance sexual avaliada por todos que visualizam suas imagens!
      O mais triste é ver que o post foi escrito por uma mulher que usa como um dos argumento para sua oposição ao app o “e se” fosse feito um app para os homens, e ainda justifica ridicularizando a marcha existente contra o machismo … É inacreditável!

      26 de novembro de 2013
      • Ligia, desculpe falar, mas acho q vc não entendeu mto do q ela disse, ou jah deve ter sofrido mto com o machismo. O mundo eh machista, mulheres são machistas, mulheres julgam umas as outras pelo q as outras fazem. “Ah, ela deu para 4 no fim de semana”, qntas mulheres não julgariam outras por isso. Homem julga mto pela sexualidade sim, e negar isso eh jogar um véu escuro na cara de todo mundo, pois todo mundo jah sabe disso, mas ngm chega numa foto sua ou de qlquer outra menina e coloca #boqueteira, #boqueteaindaehruim, e por ai vai, e fica la para qm quiser ver. Se o homem julga a mulher sexualmente na rua, depende de como ela se mostra, e não digo isso por ser machista e achar q mulher não pode usar roupa curta, minha ex vivia de saia, e nunca repreendi ela pela roupa. Vcs tem vantagens de poder usar roupa assim, caem bem em vcs, destaca o lindo corpo, q eh o corpo feminino, e por ai vai. Ou se julgam umas fotinhas no facebook, e desculpa, qm coloca as fotos no facebook eh a dona dele, ela soh gera os comentários q gera pq ela quis isso, e isso eh machismo, tanto feminino, como masculino, pq se ela colocou aquela foto ali, ela sabe o q vão comentar. Homem não eh gado para ficar exposto assim, não eh livro para ter review, e eh criminoso perfis serem divulgados sem previa autorização do dono. Ontem vi uma fake de um aplicativo, q dava nota para o desempenho sexual da garota, como eu disse, era fake, mas as hashtags q tinham nas imagens não eram legais. Sou contra isso, não aro conhecer uma menina para transar com ela soh, e nem aro namorar uma menina e eu ou meus amigos entrarmos num app imbecil desse e ter q ela eh vadia, boqueteira e o kralho a 4, pode ser q ela seja, pode ser q não, mas a anos q as pessoas descobrem isso por elas mesmo, e sofrem, tanto homem como mulher. O mundo eh machista sim, e para e pensa q tem 4 vezes mais mulher q homem no mundo, o mundo eh machista sim, mas vc escuta mto mais caso de amiga q da em cima do namorado da outra, do q de amigo q pegou a namorada do brother. E por ai vai. Inacreditavel para mim, eh alguém ser a favor de um cyberbullying, onde pessoas são julgadas, sem nem mesmo saber q estão la. Queria ver se vc fosse uma dessas pessoas.

        26 de novembro de 2013
        • Cyberbullying: disse TUDO!

          Sou contra esse aplicativo, até em razão daquela máxima “no dos outros é refresco”. E não quero saber que tem um aplicativo aí que pode me difamar e detonar com quem eu sou, em função de alguma atitude que tive (ou não) em relação a alguém que nem sei quem é. É como foi dito: debater certas coisas numa mesa de bar, ok; mas, quem quer ter seu nome, foto e notas atribuídas estarem disponíveis por aí, como num Outdoor, pra que qualquer um veja?

          Acho que os pontos principais (e mais negativos) são:
          – covardia: avaliação anônima, pessoas se aproveitam do anonimato pra fazer o que não fariam se fosse às claras;
          – incoerência: dar notas embasadas em experiências pessoais, afinal, cada pessoa, e cada relação tem uma configuração única, e o que pode ser lindo pra alguns, é péssimo pra outros;
          – burrice: fazer as coisas da forma como não gostamos que façam CONTRA nós, não nos torna “vingadas”, mas abre precedentes pra coisas muito piores, como forma de retaliação/vingança.

          Enfim, achei um retrocesso e uma perda de bom senso – não só o fato de inventarem um aplicativo pra isso, mas muita gente se emocionar e acabar baixando e AVALIANDO pessoas covardemente escondidas no anonimato.

          Simplesmente, minha opinião.

          28 de novembro de 2013
      • Eu concordo totalmente com o texto escrito pela Nathalia e nem um pingo com o seu comentário.

        Lígia, oprimidas??? Oprimidas, serio?

        Vamos aos fatos que se ve hoje por aí. Tu que defende tanto a integridade das mulheres e diz que elas são umas coitadas. Agora vai me dizer que só o homem é galinha? Mas a mulher que fica e dá pro cara, sabendo que ele tem namorada não ? Que só o homem trata mal? Que só o homem que abusa e depois manda pastar? Que só o homem trai? Que só o homem faz comentários sobre as mulheres, e as mulheres não são fofoqueiras e não saem por aí espalhando boatos e avaliações sobre os homens? Pelo amor de Deus! Vc vive em 1900?
        Se tudo hoje ta virado numa putaria, é culpa tanto dos homens quanto das mulheres!! Pq se um não quer, dois não fazem! Não entendo pq as mulheres se acham tão coitadinhas!!!
        Não é pq eles são homens que são menos humanos. O app faz com que as mulheres com dor de cotovelo, enciumadas, que levaram toco, vão lá e acabem com os coitados. E como a Nathalia disse, uma coisa é vc conversar com os seus amigos sobre atitudes do fulano. Outra coisa é vc sair aí, espalhando pra rede. Ninguém quer ter a sua intimidade divulgada por aí, ainda mais por pessoas que muitas vezes nem te conhecem o suficiente pra isso. Vc gostaria de ter a sua intimidade por aí? Eu pago pra ver, quando criarem o app para os homens avaliarem mulheres, se vc não vai se sentir muito prejudicada, coitadinha, mimimi. Coitadinha, mulher pode falar mau, homem não.

        Parem de MIMIMIMI, coisa de mulherzinha chata, e se coloquem no lugar dos outros. E pra finalizar, deletem essa porcaria de aplicativo q não serve pra nada.

        26 de novembro de 2013
        • Não poderia concordar mais! Quando um não quer, dois não transam…
          Se isso acontecer -> POLÍCIA
          Se o mundo é uma vulgarização do sexo feminino e do sexo em geral, é culpa tanto dos homens quanto das mulheres. Se todo mundo parar só um pouquinho pra ler história vai entender que nós vivemos numa era onde a LEI é igual para ambos os sexos. Antigamente, Estuprar, espancar, abusar de mulheres era, em inúmeras ocasiões, válido. Agora, a mulher, pelo menos na nossa cultura, tem o poder de dizer NÃO e ainda assim resguardar sua integridade física e moral.

          27 de novembro de 2013
      • A objetização feminina é muito bem aproveitada por mulheres…acorde, mocinha!

        27 de novembro de 2013
      • CONCORDO PLENAMENTE. Maravilhoso.

        Agora, a quem disse que mulheres são machistas: acorda? Vamos começar a pensar dentro de uma sociedade MACHista. O radical da palavra é “macho”, certo? Logo, quem está na posição de mandar? O macho. O homem. Logo, quem tem o poder de oprimir? O macho. Somente ele. Dessa forma, a fêmea não tem o poder de ser machista. No máximo, ela será uma pessoa educada para pensar como os homens, fazendo e persuadindo outras para que façam o que é aceito na sociedade que a educou. Repreenderá a outra fêmea, ou mesmo macho, que não estiver de acordo com o que lhe foi ensinado. Mas de maneira alguma ela é machista. Ela não tem esse privilégio.

        Isso é pensar como em 1900? Bem, então preste atenção em dados de >2013<: uma mulher, a cada 6, será estuprada ou sofrerá algum tipo de abuso durante sua vida, isso para cada 33 homens; em média, as mulheres recebem um salário cerca de 30% menor que o homem na mesma função; o número de estupros está superando o de homicídios etc. Pegue os casos de abusos sexuais no transporte público contra mulheres. Pegue os casos de garotas que se suicidam por vazares vídeos intimos delas com seu parceiro, em quem confiavam, e muitos estavam juntos há bastante tempo. Você tem certeza de que pensar em "oprimido" e "opressor" é tão século passado assim?

        E o outro. Se um não quer e dois transam é polícia? Tem certeza que é assim? Você sabia que apenas 2% dos casos de estupro são resolvidos? Homicídios são 8%, parece até grande o número, né? Você já leu casos de mulheres que foram humilhadas por denunciarem essa violência? E que muitas não vão por isso mesmo? Você sabia que, na maioria das vezes, o agressor é alguém em quem a vítima confia? E nem venham com essa de "confiou na pessoa errada", isso é nojento. Então, é óbvio que deveria ser assim, estuprou, pague por isso na Justiça. Mas também não deveriam estuprar. Não deveria ter uma ideia tão enraizada de que o homem é que manda e por isso ele reproduz essa dominação. Não deveria haver machismo. E a gente deveria perceber nos detalhes de que forma estamos compactuando com ele.

        28 de novembro de 2013
      • Todo mundo amando o ‘Lulu’ até inventarem um sobre nós mulheres, dai quero ver o chorôrô … rsrsrsrs

        28 de novembro de 2013
        • duvido que tenha chororô… afinal infelizmente muitas pensam como vc. vão dizer que “homem faz mesmo essas coisas”… mas se tivesse, seria ótimo, sabe por quê? porque nós mulheres já vivemos um lulu muito pior na nossa vida diária. os homens não precisam de um aplicativo nem de anonimato pra dizerem pra gente o que querem muitas vezes e quase nunca sofrerem qualquer consequência. porque nós mulheres podemos nos comportar feito umas santas, que é isso que querem da gente – a não ser que possamos ser úteis para satisfazer os desejos deles, se não somos vadias, piranhas, vagabundas… -, e mesmo assim sofrer assédios constantemente e, pior, viver com o medo constante de sermos estupradas. porque, se expostos, eles já estão livres para dizer o que querem, e a culpa é da gente que “pediu” (ou seja, usamos da liberdade que temos, ou deveríamos ter, sobre nosso corpo, sobre com quem ficamos, com quem falamos), imagina no anonimato? dentre tantos outros porquês…
          e sim, é claro que o lulu é um aplicativo fútil, mas há muitas coisas piores que são aceitas por nós.

          30 de novembro de 2013
    • Cara, eu sou muuuuito contra. Primeiro pq vc fala da vida pessoal dos das pessoas sem consentimento, e obviamente deve ter muita mentira divulgada ali. E segundo, porque alguem precisaria desse tipo de ajuda? A vida é assim mesmo. A gente conheçe alguem, quebra a cara, e parte pra outra. E o que foi ruim pra alguem não necessariamente será ruim pra outra pessoa. Definitivamente é muito ridiculo esse aplicativo.

      26 de novembro de 2013
    • Rubia,

      Em alguns pontos eu concordo com você, porém posso dizer que esse tipo de aplicativo só torna os relacionamentos mais fracassados do que já andam. Meu namorado é um rapaz super tímido e reservado. Quando o conheci, ele era amigo de alguns conhecidos meus, mas nunca havíamos conversado. Quando eu fiquei com ele pela primeira vez muitas amigas minhas que já o conheciam me disseram as seguintes frases: “Nossa, como você conseguiu ficar com ele, ele é mudo?”, “Poxa, e aí, ele pelo menos abriu a boca pra beijar, porque falar tá difícil”. Porém ele foi o homem mais cavalheiro, educado e simpático comigo, porque existiu QUÍMICA.

      Fico pensando se esse aplicativo já existisse e eu tivesse lido as inúmeras “reclamações” a respeito dele. Você acha que em algum momento eu teria conversado com ele da forma que aconteceu? Você acha que realmente teria me dedicado a entender o lado dele, que por sinal é louvável hoje um homem que preserve sua família e seja tão respeitoso quanto ele é?

      Acho esse aplicativo PRÉ-conceituoso e completamente ÍNÚTIL. Cadê o respeito pela pessoas e suas personalidades? Se uma garota foi machucada por algum homem, levanta a cabeça e seja diferente. Não repita os mesmos erros, ainda mais ocultamente.

      26 de novembro de 2013
      • Mariana,
        Por isso que eu acho que não podemos generalizar. Eu não acho o aplicativo ruim, como muitos. Acho que é uma brincadeira e que sim, você pode ter uma ideia com a pessoa com quem vc está saindo. Hoje em dia tudo é tão banalizado e quem ainda quer uma coisa séria, acaba não encontrando.
        Mas concordo totalmente com você: não podemos JAMAIS julgar alguém por classificações, ainda mais que pessoas ANONIMAS dão.

        28 de novembro de 2013
    • HIPOCRISIA INTRÍNSECA!!!

      Vlw Rubia! Prêmio Hipócrita 2013 vai pra vc!!!

      As mulheres querem tanto ser colocadas no mesmo patamar dos homens e agora em relação ao aplicativo se fosse uma versão masculina a polêmica seria muito diferente? Vc é só hipócrita ou é inferior aos homens tb? Os direitos de privacidade são iguais e a polêmica deveria ser a mesma…

      Indo pela sua linha de raciocínio, tem muita vagabunda por ai que merecia um app desse pra poderem falar quem ela realmente eh tb então! Do mesmo jeito que vc ve tanta menina fragilizada tem um monte de corno ai q namora puta e nem sabe. Alias, conheço um caso de um vaca casada q ta querendo abortar pq não é do marido… lamentável… nem por isso é justo criar um aplicativo onde as pessoas ficam comentando sobre suas características sexuais. Isso é um absurdo! Pode sim ter gente que merece ser comentado, mas isso não da razão para que comentem em todos os outros que não merecem… O pior é q nem para aparecer quem fez o comentário… fica no anonimato… ou seja, abertura perfeita para fuder aquela pessoa q vc nunca gostou, ou sempre invejou…

      As mulheres não estão contra e estão usando o app… Isso ira levar a criação de um app igualzinho só q para os homens e ai vcs vão reclamar… pq não ser inteligente e cortar o mal pela raiz….

      Como nosso inteligente colega Lucas escreveu para vc aqui embaixo:
      “Quanto à sua amiga que saiu fragilizada tenho um remédio! Conheça o cara antes de dar pra ele.. a garota que aceita transar com o cara gatinho sem sofrer as consequências, tem que ser firme quanto sua opinião, quer transar e ponto, aproveitar o rostinho bonito e o corpo malhado… Se quer um cara bacana, conhece ele antes, pode ser bonito ou feio, mas conheça… ninguém segura ser o que não é por muito tempo! ”

      Quem é inteligente não precisa de app pra saber oq fazer de seus relacionamentos…
      Foda é q mulher feia quando tem chance ja abre as pernas… acho q por isso q vc não é contra

      Pessoas com opiniões tão pobres quanto a sua me dão nojo… só lamento

      26 de novembro de 2013
      • Douglas, eu não sou hipócrita. Estou dizendo que, se tivesse saído uma versão onde os homens comentam sobre as mulheres, eu seria a primeira a achar injusto, machista, desnecessário e agressivo. Como a situação é ao contrário, são mulheres julgados homens, eu, por ser mulher, acabo tendo uma opinião um pouco diferente.
        Como eu disse, não acho que o aplicativo deve ser usado como um manual ou como uma tarja na pessoa que você está a fim. Mas o que eu acho legal é que você entra lá e vê o que outras pessoas estão falando. Acho descontraído e não acho ofensivo, pelo menos esse Lulu não é.
        Acho que as pessoas estão criando muita polêmica em cima disse e é totalmente desnecessário. Não curte? Acha babaca? Vai lá e bloqueia seu perfil. É bem fácil fazer isso e acabou, resolve o problema.

        Quanto conhecer o cara antes de dar pra ele, concordo. Mas ninguém sofre por que quer. Hoje em dia a questao de sexo é tão banalizada, tudo tão fácil e tão supercial, infelizmente, nao é tão facil conhecer as pessoas bem.

        28 de novembro de 2013
        • meu! vc é o exemplo da hipocrisia! é o exemplo do jargão! pimenta no olho dos outros é refresco! pra vc tudo bem o LULU porém se cria um similar com o publico masculino avaliando, nada feito? cara idiotice isso de avaliar os outros! vc gostava ou apreciava que os outros falassem de vc ou amigos seus na escolinha? ao menos lá eles davam as caras né? vc ao menos tem amigos? amigos homens? pode parecer brincadeira pra vc mas pra gente não é! a maioria não gosta da ideia de ser avaliado coloca uma #hashtag lá de um cara casado dando a ideia que ele é bom de cama ou encantador de calcinha pra vc ver o desastre! VC ACHA ISSO UMA BRINCADEIRA? se achar vc é doente e precisa de tratamento! saiba calcular o que os outros passam.

          9 de dezembro de 2013
    • Não lhe entendi. Primeiro você fala que se houvesse um app em que homens avaliassem mulheres você cairia em cima e ao mesmo tempo, mas acha bacana um que expõe intimidares do homem? Se um app pode ajudar garotas a “ter uma ideia de como o cara foi com as anteriores” então não haveria problema num aplicativo em que homens compartilhariam segredos de mulheres sem elas terem alguma ideia, para nos ajudarmos. De repente a Maria que eu tô afim foi avaliada como #bucetacabeluda ou #gemealto mas tudo bem, exporíamos intimidades, mas seria apenas entre nós homens.

      27 de novembro de 2013
      • Matheus,
        O lulu não chega a ser tão ofensivo como esses exemplos que você deu. Acho que no Lulu, as coisas são mais leves e mais de brincadeira. As pessoas e a polêmica criada em cima disso são maiores do que as proprias avaliações que tem lá.

        28 de novembro de 2013
    • Tu é bem hipócrita, já que uma versão masculina desse aplicativo iria também prevenir que caras legais se dessem mal com alguma mulher por aí.
      Não sou machista, mas odeio pseudo feministas que acham que mulher devem ter mais desculpas e direitos que homens.

      28 de novembro de 2013
    • Rubia,

      A vida é pra ser arriscada, viver, conviver, chorar, rir… Qual a graça de uma vida que ja se sabe como vai ser?

      Amor não tem rotulos, Hasttags e nem regra Rubia!!!

      28 de novembro de 2013
      • Eu concordo com vc, Tom!

        28 de novembro de 2013
    • “saiu com caras ridículos e que prejudicaram elas emocionalmente”.
      Isso faz parte da vida, querida.
      Está bem longe de ser uma exclusividade feminina.

      O que é difícil de encontrar é a menina fragilidade.

      Não existe justificativa para tanta falta de respeito.

      28 de novembro de 2013
  • Vocês mulheres de hoje em dia estão cheias de vomitar REGRAS sociais, como se detentoras das boas praticas de convívio e da ética fossem. Me desculpem mas no mundo tem espaço para tudo, inclusive para a vulgaridade e a banalidade humana (ainda bem que tem).

    Natália você é uma linda, já não é de hoje que acho isso (viva a internet livre e anonima). No seu caso meu hashtag seria #nemsabequeeuexisto hahaha

    25 de novembro de 2013
      • Anonimamente ficarei, mas a gargalhada já valeu então! haha 😉

        25 de novembro de 2013
        • Agora que eu vi que você é casada!!!! Desilusão!!! Sorte do maridão!! Vou parar com o assédio hahaha!

          PS: Você casou muito cedo!!! #nãoépelosvintecentavos!!!

          25 de novembro de 2013
  • Concordo com tudo, menos com a frase “o cidadão pode não ter ligado no dia seguinte nem pago a sua conta simplesmente porque VOCÊ não fez por merecer”.

    Não dá pra simplesmente justificar que o cara não fez X ou Y porque a mulher não era merecedora.

    25 de novembro de 2013
    • Dá pra justificar sim… E não tem a ver com a aparência… Talvez essa mulher seja chata… Inconveniente… Ou ache que o homem tem obrigação de pagar a conta sempre pq é interesseira… Ou se acha muito… O simples fato de a mulher utilizar um aplicativo medíocre como este, já a torna MERECEDORA de qualquer comportamento medíocre de quem tiver a triste experiência de sair com ela…
      Beijo!

      26 de novembro de 2013
  • que texto machista… condena o Lulu, mas a todo momento joga a culpa nas mulheres “as recalcadas”, e ainda termina com um “o cidadão pode não ter ligado no dia seguinte nem pago a sua conta simplesmente porque VOCÊ não fez por merecer”. APENAS, NÃO!
    concordo que o app, mas discordo de todas as justificativas dadas.

    25 de novembro de 2013
    • *concordo que o app é babaca, mas discordo de todas as justificativas dadas

      25 de novembro de 2013
      • vamos lá, sobre o lance das “recalcadas”: vc pega esses ~tipos de mulheres~ como você explicou para serem culpadas do porque o app ser uma merda e ao calcificá-las assim as JULGA, assim como o Lulu julga os homens. Coerência? Você ainda diz no item 5 coisas do tipo: “Ele podia não estar num dia bom contigo ou ela deu ferramentas melhores para a performance dele. O cidadão pode não ter ligado no dia seguinte nem pago a sua conta simplesmente porque VOCÊ não fez por merecer…”. RISOS Nem sei por onde começar… Primeiro porque novamente a culpa é jogada pra cima da mulher: VOCÊ mulher não deu as ferramentas que o cara precisava pra vocês terem uma transa boa, coitatinho né? E segundo que, sério que vamos cair nessa discussão de a mulher FAZER POR MERECER o homem pagar a conta??? SÉRIO???? No item 3 também há a pérola: “Repetir comportamentos que repudiamos neles não faz de nós iguais, mas piores”. Porque faz de nós piores se estamos repetindo um comportamento igual? Porque você coloca as mulheres em uma posição inferior que os homens sendo que o erro cometido é o “mesmo”? Acho também de uma miopia gigante trechos do texto como o item 2: “coloque-se no lugar deles e bla bla bla”, como se as mulheres não tivessem que aguentar coisas MUITO piores todos os dias em qualquer lugar. cara, eu não preciso me colocar no lugar do cara que tem um perfil no Lulu pra me sentir humilhada, invadida ou abusada. Vivemos anos e anos de repressão que só pelo fato de ser mulher eu já sinto isso todos os dias. Porra, tem mina se matando porque vazou vídeo íntimo no Whatsup e não aguentou a pressão dessa sociedade machista e doente. Sério, não preciso me colocar no lugar do cara pra saber que ser objeiticado é uma merda. Não curto o app porque não apoio esse tipo de revanchismo que objetifica e assedia AMBOS os gêneros, mas acho muito produtivas todas as discussões que ele vem trazendo.

        25 de novembro de 2013
        • ” No item 3 também há a pérola: “Repetir comportamentos que repudiamos neles não faz de nós iguais, mas piores”. Porque faz de nós piores se estamos repetindo um comportamento igual? Porque você coloca as mulheres em uma posição inferior que os homens sendo que o erro cometido é o “mesmo”? ”
          Acho q por as mulheres repudiarem tanto tal comportamento, acabar agindo da msm forma, além de errado, seria muita hipocrisia kkkk talvez por isso ela tenha dito “piores”, sabe…

          25 de novembro de 2013
          • De verdade, não duvido da sua boa vontade ao escrever o texto, mas (como explicitei acima) acredito que a nossa sociedade tem vários valores machistas enraizados que acabam reproduzindo sem querer.

            Acredito que também não tenha mais nada a acrescentar ao debate a partir do momento em que o argumento vira que estou sendo ~feminista demais~ RISOS

            Beijos e muito obrigada pela leitura também!

            25 de novembro de 2013
        • Lais, “Repetir comportamentos que repudiamos neles não faz de nós iguais, mas piores” é uma pérola sim, pois faz total sentido. Se vc for menos extremista vai notar que faz sentido… se estamos falando do mesmo erro, quem comete depois sabendo que é um erro, está duplamente errado sim, ou seja, é pior.
          Não importa se é homem ou mulher.
          Pai e filho por exemplo. Se alguém apanhava do pai, obviamente repudiava o comportamento dele, acha ruim, se sente desrespeitado, etc. Quando essa pessoa se tornar pai de alguém e bater no seu filho, não estará sendo igual ao seu pai, e sim pior, pois sabe o quanto dói e mesmo assim vai lá e faz.
          É o básico do: um erro não justifica o outro.

          25 de novembro de 2013
          • incrivel!

            as pessoas que entram para uma discussao sem a possibilidade para mudanca de opiniao nao devem ser levadas definitivamente em conta. fica parecendo aqueles esquerdistas que tapao ouvidos e olhos para o que acontece com a nossa politica e continuam mantendo as suas posicoes… so me resta pena!

            Lais,
            toda unanimidade é burra. tenta da proxima vez ser menos extremista, como a admin falou. Alem de crescer como pessoa, vai crescer como MULHER, que tanto afirma ser! tapar olhos e ouvidos so mostra ansiedade e necessidade de ganhar, o que é sinonimo de infantilidade e imaturidade.

            Sou extremamente feminista. Gosto muito de ver mulheres cada vez mais seguras de si o suficiente para CAGAREM na cabeca dos homens depois de uma noite de sexo, pq afinal de contas elas (assim como nos) so vamos cagar de fato se foi somente uma noite superficial e nao rolou quimica (como dito anteriormente acima). minha melhor amiga ja se fudeu tanto de tantas maneiras, que conhecendo por dentro seus “lances” puder perceber o quao culpada ela tb foi! (tudo bem que vai ter dedo podre la no inferno…) prum cara babaca, vc eh OBRIGADA a se ligar antes e nao ficar fantasiando! o cara eh babaca e ponto, pula fora!

            Tenho minha namorada, NUNCA trai ela e sabe pq? Pq alem de ter rolado quimica e amar ela de todas as maneiras, quando estou solteiro toco o terror mesmo! pq afinal de conta, estou solteiro! vai ter noite que serei babaca mas vai ter noite que vou gostar tanto dela que vou repetir, e ai pode acontecer que ELA nao quera repetir. LIVRE ARBITRIO! quando um nao quer dois nao brigam! agora tenho certeza que minha avaliacao nessa merda pode estar ruim, mas afinal de contas nao to nem ae! minha namorada me da toda a moral que preciso e nao vai ser uma porra dessas que vai me desvalorizar.
            li acima que tantos homens quanto mulheres sao culpadospela putaria que nos encontramos e concordo plenamente. vc nao quer direitos iguais? comece recohecendo erros!

            26 de novembro de 2013
          • Magina! 😉
            Pena que ela vem, fala e nunca mais volta.. tá mto preocupada com a discussão mesmo né. rs

            25 de novembro de 2013
        • Laís, fiz exatamente a mesma leitura do texto que você e concordo em tudo! Parabéns pela crítica e que pena por quem a repele tão vorazmente já que diz parecer unanimidade. (Ser unânime não é estar certa?)

          26 de novembro de 2013
          • hahahahahahah
            definitivamente nao! hitler tinha 96% de aprovacao ( o que se aproxima e muito da unanimidade) e ele nao estava nem um pouco certo!
            fora isso nao entendi seu post…

            26 de novembro de 2013
        • perfeito Laís.

          28 de novembro de 2013
        • “VOCÊ mulher não deu as ferramentas que o cara precisava pra vocês terem uma transa boa, coitatinho né?”
          Eu fico boba de ler umas coisas assim ainda… Quer dizer que a responsabilidade pelo sexo é masculina? A mulher não interfere em nada ali? E machista é quem escreveu o texto?… Ok!

          28 de novembro de 2013
    • Nossa, esse aplicativo é mais um da série “Razões para deletar o facebook”.

      Desculpe mas o texto não é machista, pelo contrário, eu diria que a Nathalia focou em mostrar como pode haver mais por trás de cada evento do que uma coisa maniqueísta do tipo “cara legal, cara ruim”. Atente para o uso que ela faz da palavra “pode”. Pode ser que o cara era sacana mesmo ou pode ser que a mulher no encontro não tenha sido legal ou pode ser que não tenha rolado química ou pode ser N motivos.

      Eu já saí com mulher que não sabia manter conversa e acabei não dando mais bola. Ela ficou puta mas acontece. Eu não ia insistir em algo que não estava legal. Tenho certeza que para ela, eu fui um babaca mas ao meu ver, seria muita burrice insistir num negócio que não duraria mais do que uma semana.

      25 de novembro de 2013
    • Parece q qualquer comentário q ofenda as mulheres é um comentário machista e_e … todos nós somos criticados e julgados, é algo horrível, mas infelizmente faz parte da vida, superar esses tipos de atitudes e seguir nossas vidas instigando à melhora faz parte do nosso amadurecimento como pessoas. Ficar se lamentando ou reclamando sobre uma crítica relacionada a sí é inútil, não traz nenhum benefício (talvez até traga um malefício), e não te faz ser uma pessoa melhor, óbvio q devemos defender nossos ideais, mas sem ofender ninguém para isso, sem usar outras críticas para defender seus argumentos, se quer defender um pensamento feminino, ótimo, eu aprovo… mas criticar e generalizar, utilizando-se de esteriótipos para isto, é degradante… conheço muitas mulheres inteligentes e sensatas, q não dispensam o respeito q elas merecem, mas q tem o bom senso e empatia suficiente pra saber q do msm modo q elas podem se sentir mal com alguma crítica ou palavras ofensivas q usassem contra elas, o msm poderia ser feito a outras pessoas se elas tivessem tal atitude. Defensoras femininas deveriam saber q a luta pela igualdade é árdua e é conquistada com muito esforço, mas se não tiverem a msm atitude de respeito e igualdade, como alguém pode levá-las a sério? Homens e mulheres são capazes de serem pessoas de caráter ou não, isso é independente do sexo, esse é o tp de igualdade q deveria ser encorajado, e não uma divisão entre machismo e feminismo em q muitas pessoas, errôneamente, utilizam para defender-se de alguma crítica q afetem sua moral. Vamos parar de usar de críticas para obter o que queremos e buscarmos ter opiniões mais positivas para argumentar, a igualdade não pode ser obtida com ódio e sim com amor.

      25 de novembro de 2013
  • Não quer mais ser machucada pelo amor?
    Ao invés de buscar referencias sobre um homem em um aplicativo por que não se questionar. O que houve de errado no seu ultimo relacionamento? O que sentiu, viu, acreditou? Boas perguntas para não cometer os mesmos erros.
    Quem é que sabe a verdade a respeito do amor, ou dos relacionamentos?
    Minha gente, julgar um homem, que foi seu companheiro e deu certo por um determinado tempo é uma covardia sem tamanho ou talvez uma fuga para se livrar de um sentimento mal resolvido. Talvez sejam pessoas que acham que o outro ou alguém – sem ser você mesmo, é responsável pela sua felicidade.
    E confesso que o único pensamento que me passa a cabeça é que essas pessoas não aprenderam outras formas de mostrar que amam. Mostram que amam demonstrando grosserias e dores.
    Acredito que um olhar diz mais que quinhentas palavras. Gestos por menores que sejam são mais valiosos que diamantes. Gosto de gente sem frescura, que não tem medo de sofrer, nem ser feliz, intensa, verdadeira e pura. Gente que se joga no palco da vida, compra passagem só de ida. Gente essa que assume as responsabilidades sobre seus sentimentos e sensações.

    25 de novembro de 2013
  • Achei ótimo seu post, concordo completamente. Eis que acordo hoje pela manhã com a grata surpresa de uma amiga minha mandando a maldita avaliação nesse app… Estou me sentindo extremamente prejudicado e insultado pelas informações além de estar me chamando de drogado (#4e20 p quem não sabe = maconheiro) .
    Sei bem quem fez a tal avaliação, e a mesma reclama que eu não liguei na noite anterior entre outras coisas péssimas como citei.. Eis a questão, amigos vcs ligam p uma garota que dá na primeira noite e ainda estava , vamos dizer, não tão limpinha quanto vc imaginava…
    Não consigo excluir meu perfil pelo link que vc repassou, caso alguem tenha outra alternativa por gentileza compartilhe !! Caso não ocorra boycote ao face book!!!

    25 de novembro de 2013
    • oloco! acho que ninguém merece ser avaliado por lulu nenhum, mas que comentário, hein? -> “amigos vcs ligam p uma garota que dá na primeira noite…”. parabéns, o seu machismo está bem saudável.

      à autora do texto: é isso mesmo. sintetizou a minha opinião sobre esse app bizarro.

      26 de novembro de 2013
  • NOTA 20 MIL PRA VOCÊ

    25 de novembro de 2013
  • Boa!

    Nota 1000 pra você !!! Isso que é personalidade!!!

    25 de novembro de 2013
  • Não concordo. Vou fazer uma analogia com o CouchSurfing. Quando ele surgiu, muitas pessoas diziam que ter uma rede social onde as pessoas pudessem dormir na casa de outras desconhecidas, seria um absurdo e que mulheres seriam estupradas, pessoas assassinadas. O CouchSurfing fez um bem para humanidade, quebrou barreiras e o mau uso dele não o impediu de ser criado e usado para o bem e mudado a vida das pessoas; para melhor inclusive. Se algumas mulheres “recalcadas” vão distorcer as informações, acho que as availações em geral vão reinar e cabe a mulher avaliar se considera o que está escrito ou não, aliás, pré julgamento existe com a APP ou não…

    25 de novembro de 2013
    • Uma coisa é você ver quem está pré julgando, num círculo de amigos/amigas. Em geral você conhece a pessoa pra saber mais ou menos como ela pensa e relevar ou não certos apontamentos intensificações…
      E eu não entendi qual seria o “bem” que esse app promove! pré julgamento é bom agora?

      25 de novembro de 2013
      • O pré julgamento no caso não é bom, mas algo inevitável do ser humano que acontece na vida real e reflete também na tecnologia. Bem, se a APP for bem usada, ela será bom para as mulheres saberem um pouco onde elas estão “entrando”, então é um serviço útil, então ele faz o bem. Do outro lado se a App faz mal para os homens, é o outro lado da moeda. Ela fará mal aos homens que fazem “o mal” se for usado de forma correta, e o uso errado faz parte. É uma acusação anônima e sem provas e cabe a mulher julgar se deve usar aquilo como verdade ou não. Ou seja, é livre!

        25 de novembro de 2013
    • Acho q a situação é um pouco diferente Alexandre… não conheço bem o CouchSurfing, q vc mencionou… mas a questão não é se as pessoas fariam bom ou mal uso do app LuLu, mas q ele em si agride a moral de pessoas, as quais não precisam permitir a sua própria avaliação, como dito no post, oq é completamente errado, e covarde. No caso q vc mencionou, o impacto seria maior já q é sobre um assunto “delicado”, mas todos q estivessem nessa rede social, possivelmente aceitaram participar disto, então a pessoa está ciente de sua participação, não é algo imposto, no qual vc é obrigado a sofrer um julgamente por uma vontade de alguém, q talvez vc nem conheça. Somos julgados em todos os lugares sim, mas acho q não deveriamos ser obrigatoriamente julgados por algo q nem estamos cientes… Num é pq algo errado acontece na vida q devemos aceitar aquilo, já q falar pelas costas é uma atitude sempre muito mal vista.

      25 de novembro de 2013
      • Entendo Leo completamente o seu ponto. O lado de quem está sendo avaliado é realmente o grande “x” da questão. A app fornece um lugar para os homens se “descadastrarem”, mas deveria ser o contrário, no caso os caras receberem uma notificação de que serão avaliados e para eles aceitarem ou não caso desejem ser avaliados. Provavelmente não faria tanto sucesso e não sei judicialmente a sustentação da APP.

        No fim acho algo livre, pois as mulheres poderiam postar no Twitter sobre alguém também difamando, só que não seria anônimo. Acho que a tecnologia atualmente te dá formas para para isto, só que está se especializando, neste caso tornou-se anônimo e só para uso das mulheres. Eu achei a idéia de quem criou a app genial e se não fosse esta empresa seria outra… acho meio que inevitável na era da tecnologia idéias assim, por mais polêmica que seja, algumas idéias vamos amar, outras vamos odiar. E o CouchSurfing é https://www.couchsurfing.org/

        25 de novembro de 2013
        • Vlw por passar o link do CouchSurfing alexandre, e realmente a idéia é boa pra pessoas q tem vontade de ajudar ou q não tem como pagar uma hospedagem decente, apesar de ter seus riscos… como muitas coisas na vida tbm tem kkkk mas sobre o app LuLu, eu só achei ruim a parte imposta de crítica no anonimato, se fosse feito como vc disse e como eu acho q deveria ser feito, de uma pessoa decidir participar, pra saber como está sua “reputação” kkk poderia até ser interessante, como um tp de brincadeira, sem nada muito pesado, já q a pessoa estaria ciente de tudo q poderia acontecer, tanto de comentários positivos a negativos, mas pelo pouco q vi… parece q oq era pra ser uma brincadeira, está sendo levado um pouco a sério demais, como uma de lista de homens q prestam ou não, e vc sabe q esse tp de julgamento é mt relativo, muita gente exagera ou se precipita em julgar alguém, e ainda por cima alguém ser obrigado a passar por isso, acaba tornando o aplicativo muito abusivo. Fora a parte da imposição a uma avaliação, o aplicativo poderia ser de bom uso sim, até msm como uma brincadeira entre pessoas q se preocupam com esses assuntos, mas do jeito q o aplicativo está agr, fica complicado relevar, pq nao é só uma questão de gostar ou não, tem certos limites q devem ser respeitados para o bem de uma sociedade

          26 de novembro de 2013
  • Como assim “fazer por merecer” que o cara pague a conta? hahahahahahahhaa que absurdo!

    25 de novembro de 2013
  • Sim, Juliana. Entenda: o fazer por merecer é uma questão de química, afinidade. Não mérito ou demérito da mulher. Entendemos o texto? Peloamor …

    25 de novembro de 2013
  • Primeiramente devo dizer que o texto foi muito bem escrito do começo ao fim, concordo com tudo o que foi dito nele… Agora, eu tava lendo alguns dos comentários e me dei de cara com as feministas que não sabem o que é feminismo mais uma vez (virou rotina encontrá-las em comentários de blogs, postagens no facebook etc) e o que me veio a cabeça foi: Vocês precisam entender que existem mulheres vulgares, mal educadas, oferecidas, invejosas, indelicadas, inconvenientes e por que estaria errado um homem achar um desses adjetivos em uma mulher? Vocês feministas ao extremo esquecem que se há uma luta pra vocês abraçarem na sociedade é a luta que defende a IGUALDADE. Se um homem é filho da puta, uma mulher TAMBÉM pode ser, afinal de contas o nosso caráter vai além do nosso sexo, então se um homem não gostou de sair com uma mulher específica porque a achou vulgar ou mal educada ou encontrou algo nela que não o agradou e ele decidiu que seria melhor não ligar no dia seguinte, QUAL É O PROBLEMA? ONDE SE ENCAIXA O MACHISMO? O extremismo de certas mulheres é que fragilizam a figura feminina, vocês deveriam lutar pela igualdade dos sexos ao invés de ficarem procurando pelo em ovo no blog dos outros.

    25 de novembro de 2013
    • sensacional… como e bom ver mulher de verdade…

      26 de novembro de 2013
    • Boa, boa!!!

      26 de novembro de 2013
  • Olá meninas (Nathalia, do Pimentaria, e Laís, do Casal Sem Vergonha).

    Primeiro, quero dizer que acompanho e gosto dos textos de ambas. E qual não foi a minha surpresa ao encontra-las interagindo neste post!
    Bom, imagino que há uma interpretação errada (de sua parte Laís) sobre o texto da Nathalia. E cometerei a ousadia de tentar esclarecer minha opinião (vamos ao debate! Sangue! Ahahh brincadeira lindas!):

    “Vamos lá, sobre o lance das “recalcadas”: vc pega esses ~tipos de mulheres~ como você explicou para serem culpadas do porque o app ser uma merda e ao calcificá-las assim as JULGA, assim como o Lulu julga os homens. Coerência?”

    Perceba que o argumento aqui é a “covardia” do anonimato e o “recalcada” usado pela Nathalia não faz qualquer julgamento a nós mulheres. Exemplifica que qualquer um ou uma pode utilizar o anonimato para denegrir a pessoa (homens). O mesmo anonimato que protege, por exemplo, o sujeito que compartilha fotos íntimas na internet. Entende?

    “Você ainda diz no item 5 coisas do tipo: “Ele podia não estar num dia bom contigo ou ela deu ferramentas melhores para a performance dele. O cidadão pode não ter ligado no dia seguinte nem pago a sua conta simplesmente porque VOCÊ não fez por merecer…”. RISOS Nem sei por onde começar… Primeiro porque novamente a culpa é jogada pra cima da mulher: VOCÊ mulher não deu as ferramentas que o cara precisava pra vocês terem uma transa boa, coitatinho né? E segundo que, sério que vamos cair nessa discussão de a mulher FAZER POR MERECER o homem pagar a conta??? SÉRIO????”

    Culpa? Que culpa, Lá! Estamos falando de química, afinidade. O “fazer por merecer” não deve ser interpretado ao pé da letra. Entenda o contexto: não falamos da mulher. Falamos em duas pessoas. Uma conversa, relação sexual etc – ou tudo que envolva mais de uma pessoa – dependerá de mais de uma pessoa para dar certo.

    “No item 3 também há a pérola: “Repetir comportamentos que repudiamos neles não faz de nós iguais, mas piores”. Porque faz de nós piores se estamos repetindo um comportamento igual? Porque você coloca as mulheres em uma posição inferior que os homens sendo que o erro cometido é o “mesmo”?”

    Nos faz piores sim! Insistir em um erro nos faz piores. Repetir um comportamento errado e justificar que nós mulheres passamos por isso é um discurso horrível. Desculpe, Lá. Pode me julgar por isso. Não farei com os outros o que condeno e não gostaria que fizessem comigo.

    “Acho também de uma miopia gigante trechos do texto como o item 2: “coloque-se no lugar deles e bla bla bla”, como se as mulheres não tivessem que aguentar coisas MUITO piores todos os dias em qualquer lugar. cara, eu não preciso me colocar no lugar do cara que tem um perfil no Lulu pra me sentir humilhada, invadida ou abusada. Vivemos anos e anos de repressão que só pelo fato de ser mulher eu já sinto isso todos os dias. Porra, tem mina se matando porque vazou vídeo íntimo no Whatsup e não aguentou a pressão dessa sociedade machista e doente. Sério, não preciso me colocar no lugar do cara pra saber que ser objeiticado é uma merda”

    Repito: não farei com os outros o que condeno e não gostaria que fizessem comigo. Você é até contraditória: fala isso e completa “não curto o app porque não apoio esse tipo de revanchismo que objetifica e assedia AMBOS os gêneros”. Mas no parágrafo acima o seu discurso é exatamente de “revanchismo”, não?

    Por último, Lá, leia o texto que a Nathalia escreveu sobre a Fran. Lembra? Não há machismo neste post sobre o Lulu, querida. Assim como hoje terei que discordar dos seus comentários agressivos e inconsistentes. Continuo sua fã. Não pare de nos presentear com seus textos. Aliás, as duas. Parabéns meninas e viva o diálogo.

    25 de novembro de 2013
  • Acho que a dificuldade em entender o texto é pelo excesso de “mimimi” que existe hoje em dia na sociedade. É claro que o machismo existe e deve ser repudiado, mas há tanto extremismo nessa “febre feminista” – e no politicamente correto também – que algumas pessoas (mulheres, nesse caso) acham inadmissível uma mulher ser taxada simplesmente como chata, por exemplo. Caramba, existem pessoas chatas no mundo, gente, homens e mulheres, e não é pecado nem bullying alguém não ter afinidade ou química com outra pessoa. Óbvio que existem muuuitos cafajestes por aí, mas muitas vezes o cara não liga ou não paga conta (!!!) por falta de “merecimento”, no sentido de querer investir ou não naquela relação. E por isso que o App não é legal, por se tratar de algo muito relativo e pessoal, além de muito babaca e infantil (sério, que mulher adulta, mentalmente madura, antes de sair com um cara, iria se basear numa coisa dessas como referencia?).Então, sério, vamos parar de levar tudo tão ao pé da letra! Coisa chata! Todo mundo que entra num blog inteligente como esse tem capacidade pra realizar uma interpretação de texto, né?
    Parabéns, Nathalia! Adoro seus textos, mesmo quando não concordo 100% com eles. São muito inteligentes e muito bem redigidos! Beijos!

    25 de novembro de 2013
  • Vou lançar a foto de todas as minhas ex peladas na net! Ja que o mundo gira ao meu redor, vocês estão fodidas

    26 de novembro de 2013
  • Nathalia, acho que seu texto possui muitas incongruências e até um certo machismo. Mas como você se coloca como alguém tão moderna e liberal, é incapaz de identificar ou aceitar isso.
    É importante saber lidar com as críticas, sem ironizar ou desmerecer a audiência que não concorda cegamente com suas opiniões. Somente elogios são bem-vindos? Críticas não agregam ao blog? Talvez seja o contrário, não? Discordância enriquece as discussões. Ainda mais se forem de bom nível.

    Em nenhum momento os comentários da Lais foram extremistas para vc a chamar de feminazi.

    A ansiedade de opinar sobre tudo, o tempo todo, sem muita profundidade de conhecimento de vida, fez vc se perder no meio do caminho.

    Receba com mais maturidade e serenidade as opiniões diferentes da sua. Internet é democracia. E quem quer ser formador de opinião, precisa saber ouvir!

    26 de novembro de 2013
  • Teste

    26 de novembro de 2013
  • Parabéns pela sensatez, qualidade tão escassa nos dias de hoje! Sensatez esta que não consiste em olhar o lado feminino ou o masculino, a partir de uma visão de mundo estereotipada e pré-concebida, e sim olhar o lado do ser humano, do indivíduo. Ser catalogado e colocado a exposição numa prateleira virtual não é algo digno ou decente, independentemente do gênero agredido.

    26 de novembro de 2013
  • Sabe o que é pior?

    Simples, o aplicativo vai rodar rapidamente com o tempo por causa das leis. Sim, leis.

    Só o uso indevido de imagem já faz com que qualquer homem automaticamente possa meter um processo nos donos do serviço. Se eu não autorizei minha participação no esquema, como que eles podem literalmente fazer com que eu integre isso? Por mera vontade deles?

    Segundo que, a partir do momento que o aplicativo é anônimo, isso dá a chance de quem recebeu qualquer avaliação ilógica ou difamatória abrir outro processo contra os donos do aplicativo. Sim, porque eles estão velando quem fez isso. Se quiserem se livrar, vão ter que fazer isso novamente com as pessoas aparecendo, e aí 95% das mulheres que postam opiniões vão cair fora, óbvio.

    Espero alguns dias até algum homem se sentir prejudicado, lançar o 1º processo e vir uma leva depois…esse aplicativo é uma falha total.

    26 de novembro de 2013
  • Nunca escrevi em sites de debate, mas este realmente me instigou. Nao pelo tema em questão, o app “lulu”, que pelo que pude observar, a grande maioria dos participantes desta dinamica, concordam que e uma imbecilidade. O que me chama atenção e como as pessoais sao literais. Nao conseguem ler nas entrelinhas. Um exemplo dado pela autora, torna-se algo universal, e por consequência, uma enxurrada de criticas (algumas construtivas, diga-se de passagem). Me pergunto qual a necessidade de se ter sempre uma contra opinião. E pior, muitas vezes, esta contra opinião nada mais eh do que a mesmíssima opinião, em outras palavras. O “fazer por merecer”, ao meu ver, nada mais e do que: querida, seja autentica!! isso e, vc nao tem que se comportar como uma boneca, ser a mais paciente do mundo, a mais fofa, a mais educada… simplesmente tem q ser vc!! Nao ha padrão comportamental para agradar ou desagradar. Bom, nao quero me alongar, mas sinceramente gostaria de parabenizar a autora, nao pela critica propriamente, mas sim, pela maneira como escreve. Simples, pratica, sem frescuras… compete as demais, abrir suas mentes, e saber que esse mundo das letras, e muito maior do que a formação de palavras, frases e textos…

    26 de novembro de 2013
  • Nathália, acho que seu texto possui diversas incongruências sim. Talvez os títulos que você faz questão de auto-proclamar a estejam deixando míope para conseguir avaliar e, talvez, até mesmo se rever.

    Independente da importância do app, acho que é primordial saber lidar com as críticas, afinal, a internet é um espaço democrático e as visões diferentes enriquecem a discussão. É ofensivo com sua audiência a ironia e o desdém que você faz com aqueles que não lhe enchem de elogios.

    A Laís, em nenhum momento, foi extremistas em seus comentários para que você a classificasse como feminazi. Quanto exagero!

    Para alguém que quer ser uma formadora de opinião, é crucial que saiba lidar de forma madura e respeitosa com as opiniões que não são as mesmas que as suas.

    Elogio é bom, todos gostam. Mas as críticas devem, no mínimo, provocar reflexões.

    Fica a dica!

    26 de novembro de 2013
  • Que tal largar o celular e voltar para a vida real? Sair, se divertir, viajar, abrir os horizontes e formar sua própria opinião sobre as coisas baseado em suas próprias vivências e convivências? Afinal…quem liga pra notas?!

    26 de novembro de 2013
  • E eu digo mais, esta exposição parece-me muito semelhante daquelas que têm ocorrido quanto a fotos e vídeos de mulheres praticando sexo, a qual eu acho uma sacanagem expô-las desta forma, e está ocorrendo a mesma coisa.

    26 de novembro de 2013
  • “Temo o dia em que a tecnologia se sobreponha à nossa humanidade: o mundo terá uma geração de idiotas”.

    Albert Einstein

    26 de novembro de 2013
  • Eu entendo o ponto de vista, respeito e tudo mais.. Mas acho qu tem uma coisa uma errada nesses posts condenando o Lulu: é preciso se levar tudo TÃO a sério? Uma mulher com a cabeça no lugar realmente pegaria ou deixaria de pegar um cara por conta de avaliação num aplicativo bobo? Sinceramente, acho que não. O que muita gente não percebe é que o aplicativo tem um sentido tosco, mas acaba afastando de você pessoas fúteis.
    Pensem comigo: um aplicativo semelhante, que funciona para o universo masculino, diz que eu sou ruim de cama. Um cara lê isso e, por conta do comentário, decide não ficar comigo. No fundo, eu teria sido beneficiada por conta do aplicativo, que afastou de mim um cara que mais considera um comentário do que a vontade de me conhecer.. Entendem o que eu quero dizer? É quase uma seleção natural! Hahahhaha!
    Ninguém que se preze vai pautar um relacionamento nesse tipo de coisa, gente!!

    Vejo ainda muuuuuita gente que defende biografias não autorizadas acusando o Lulu. Qual a diferença? A invasão é a mesma, e o direito de defesa também! Isso só pra lembrar as incoerências de posicionamento..

    Enfim.. O que eu quero dizer é que acho o lado benéfico, no fundo, mais forte do que a parte ruim que tanto falam..

    26 de novembro de 2013
    • boa tarde Babi, posso fazer um adendo? concordo com seu argumento que, certas coisas nao precisam ser levadas TAO a serio!! Acredito que este app nao fora criado para julgar homens, por mais que muitos sintam-se julgados. Me parece mais uma brincadeira, contudo o fato de o homem em questão, nao poder optar por “descer ou nao pro play” e o que torna esse aplicativo questionável. Nao vi nada de ofensivo nas qualificações possíveis no ‘Lulu’. Mas pode ser que muitos nao queiram nem de perto participar, o que e direito deles. Enquanto ao outro argumento sobre, ‘qual mulher deixaria de sair com um homem mal avaliado’ e perfeito seu posicionamento. mulheres maduras optam por suas experiencias… sao elas que nos fazem quem somos e que nos fazem ter estorias pra contar. Afinal, o que e a vida?? Um enredo de estorias, nem sempre com finais felizes, mas de certo, valem a pena!!

      26 de novembro de 2013
      • Com certeza, Flavia Alexandra.. É um direito sim! Não tenho do que discordar!
        Pelo que eu entendi, algumas avaliações de conteúdo ofensivo poder ser retiradas, se assim solicitadas.. :)

        26 de novembro de 2013
  • Independentemente dos homens serem machistas ou não, da mulherada sofrer repressão ou não, independente do que uns acham e outros não, deem uma olhadas nessas leis e vejam se não a transgressão de alguns direitos, inclusive direitos fundamentais consilidados em nossa Constituição:

    Codigo Civil de 2002

    Art. 20. Salvo se autorizadas, ou se necessárias à administração da justiça ou à manutenção da ordem pública, a divulgação de escritos, a transmissão da palavra, ou a publicação, a exposição ou a utilização da imagem de uma pessoa poderão ser proibidas, a seu requerimento e sem prejuízo da indenização que couber, se lhe atingirem a honra, a boa fama ou a respeitabilidade, ou se se destinarem a fins comerciais.

    Art. 21. A vida privada da pessoa natural é inviolável, e o juiz, a requerimento do interessado, adotará as providências necessárias para impedir ou fazer cessar ato contrário a esta norma.

    Constituição Federal de 1988

    Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: …

    IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato.

    26 de novembro de 2013
    • Thiago, sugiro que você deixe de ler apenas a letra da lei e pense na dinâmica da sociedade como um todo.
      Ninguém fala de ninguém? Comenta a vida e publica coisas? Isso faz parte da sociedade moderna e, infelizmente, ainda não foi devidamente regulamentado ou discutido. Se você quer falar em direitos, vale lembrar a liberdade de expressão.
      Estamos iniciando uma discussão sobre as biografias não autorizadas, que muito tem em comum com a discussão do app.
      Nós, juristas, temos um papel importantíssimo nessas discussões e, por isso, temos que pensar maior, pensar pra frente e deixarmos de ser restritos ao texto legal. Se nosso papel fosse este, a expressão “mulher honesta” até hoje estaria no Código Penal. A dinâmica social atual dificilmente ficará restrita às determinações legal que temos hoje e, por isso, é que temos que refletir sobre as mesmas e, por que não, flexibiliza-las? Pensar as coisas de um jeito mais leve e menos ofensivo, talvez.. :)

      26 de novembro de 2013
      • Ah, mas claro! Defendo o não anonimato também.

        26 de novembro de 2013
  • Homens fazem e sempre fizeram isso diariamente. Não estou dizendo que concordo ou acho legal o app, não baixei e não pretendo. Mas acho engraçado os homens se sentirem ofendidinhos com isso… Que pensem nisso antes de julgar de “vadia” uma mulher que usa um decote ou tira uma foto na frente do espelho.

    26 de novembro de 2013
  • Concordo plenamente. Entre os envolvidos você esquece de citar as namoradas que estão muito PUTAS.
    Já que o perfil do seu namorado foi simplesmente disponibilizado para as piranhas recalcadas julgarem. hahaha

    26 de novembro de 2013
    • Hahahah, eu pensei exatamente na mesma coisa!! Se alguns relacionamentos já tinham problemas por causa do facebook, imagina com o Lulu???

      27 de novembro de 2013
  • O programa Zorra Total tem há anos um quadro de muito sucesso que pinta de marrom um personagem, faz nele um grosseiro nariz artificial largo e uma série de outras caracterizações de um negro (o ator é branco) e dá a ele um famoso bordão: “a cara da riqueza”. Uma ironia óbvia e um racismo nojento mais óbvio ainda.
    Quanto a isso: ok!

    A todo tempo julgamos as pessoas pelos serviços que elas prestam, pelo modo como se vestem, pelas músicas que escutam, pelo que pensam do Joaquim Barbosa ou pelo português que utilizam.
    Quanto a isso: vida que segue!

    Alguém faz um aplicativo que reproduz em menor escala um procedimento comum a homens e mulheres – a saber: classificar experiências de vida a partir de suas percepções de modo rápido, dando nota. Mais ou menos isso que a gente faz o tempo todo quando curte/comenta uma foto ou compartilha uma ideia.
    Quanto a isso: meu deus parem o mundo eu quero descer é a mais dura objetificação do ser humano!!!!!

    O que concluo com isso?
    Que o incomodo com o Lulu é diretamente proporcional à futilidade que tanto apontam nele.

    Ps.: se as meninas continuarem abaladas com app, sugiro que parem de falar “já peguei”, “pega bem”, “é gostoso”.
    Ps2.: se meus amigos forem tudo isso que vocês andam dizendo, oloco! Parabéns, hein!

    26 de novembro de 2013
  • Texto muito bom e concordo bastante com os argumentos que foram levantados mas a realidade é que o app está rolando por aí e já tem muitas mulheres usando. Fiquei bastante preocupado quando vislumbrei a possibilidade de ser difamado publicamente por desconhecidos, ainda mais com minha mãe e avó tendo acesso a isso. Dei uma lida no site do app e vi que apenas amigos no facebook que podem visualizar e avaliar o perfil de um homem. Dessa forma apenas as mulheres da minha lista podem me avaliar, o que pra mim diminui um pouco essa polêmica toda. Apensar de ser algo anônimo são apenas os seus contatos que podem fazer isso. Sei que a questão não é sobre quem está avaliando e simplesmente o fato de julgar alguém e tachar uma nota,o que é sério. Também não é possível fazer comentários quaisquer sobre alguém. Apenas os hashtags já programados que realmente não tem conteúdo agressivo apesar de ainda desagradar alguns.

    Retirado do site:
    We built Lulu to be a safe and positive place for girls and guys. We’ve built a number of protections into the product, including:
    – Our reviews are multiple choice. Unlike Yelp, girls can’t write in their own comments.
    – Agree and disagree buttons let girls weigh in on the accuracy of each review.
    – Lulu is friends only. Guys can only be seen and reviewed by their female Facebook friends.
    – Lulu is 17+. We are not for children or young teens. We check the age of all users via Facebook and block anyone under 17.
    – If guys don’t want to be reviewed by their friends on Lulu, we take them off immediately via the button at the bottom of this page.

    26 de novembro de 2013
  • errado, NÃO ESTÁ SENDO POSSÍVEL EXCLUIR, o servidores devem estar tão sobrecarregados que não consigo excluir, ou não dá mesmo. o que nao duvido já que acho que quem fez o aplicativo colocaria um “excluir” falso.

    26 de novembro de 2013
  • Parabéns pelo Post. :)

    Estive discutindo com uma amiga sobre isso hoje.. a primeira vista achei engraçado e até comparei com o site Reclame aqui, onde os consumidores postam reclamações de serviços e produtos.

    Acho que a graça acaba quando o bulling começa. O anonimato e a impossibilidade de defesa do avaliado torna a brincadeira bem sem graça e mexe com um sentimento que tanto homens e mulheres partilham: o medo da rejeição.

    Achei muito bem colocado o fato de que uma pessoa (homem ou mulher) possa ter uma afinidade maior com uma pessoa e não com outra. Não somos pessoas O+, e até sabemos disso, mas no fundo todo mundo quer ser o “mais” em alguma coisa e foge de exposições que possam “certifica-lo” como algo não tão bom (daria para entrar em outra discussão sobre o que é bom, mas deixa pra próxima..rss)

    Ser rotulado com determinada característica é pressupor que a pessoa “é” e não “está” e mata qualquer possibilidade de melhoria ou mudança. Como o avaliado poderia ter sua nota melhorada? Transando loucamente a base de remedios azuis com o maior numero de mulheres?? (mirando #ChristianGrey) É.. também não é por ai e nem uma boa opção. (tá.. também depende do ponto de vista)

    Tem um livro que eu gostei chamado “Um, nenhum e cem mil” do Luigi Pirandello, onde o conto resumidamente fala das diferentes percepções que as pessoas tem dos outros e de si mesmas. Acho que entra esse fator também. No Brasil, muitas mulheres acham interessante e cavalheiro o homem pagar a conta…. outras detestam.. Estive na Inglaterra, onde se um homem se oferer para pagar, ele despertava na mulher um sentimento de estranheza, pois os dois trabalham, tem seu dinheiro e não tem muito sentido um pagar a conta sozinho. Mesmo ato, várias percepções… e agora, várias notas…

    Acho que o app tem uma graça pela ousadia, mas eticamente deixa a desejar independente do sexo que avalia ou é avaliado.

    Bom.. acho que é isso.. vou parar de viajar.. rss ..Não sei se faz algum sentido, mas essa é a minha opinião. :)

    Com relação a uso de imagem… leis e privacidade.. alguém leu os termos quando aceitaram fazer parte do Facebook? Alguém já leu o que se autoriza a ter de acessos quando atualiza um app no cel? #ficaadica

    Abraços

    27 de novembro de 2013
  • 3. Porque, se houvesse um app para homens avaliarem mulheres, marchariam nas ruas contra o machismo dos nossos dias. Repetir comportamentos que repudiamos neles não faz de nós iguais, mas piores.

    Ta aí, vamos ver qual vai ser.
    http://www.engenhariae.com.br/tecnologia/tubby-app-aplicativo-para-avaliar-se-ela-e-boa-ou-nao-na-cama/

    27 de novembro de 2013
  • Olha, nao acho muito certo o aplicatvo e nao acho que um erro justifica o outro. Mas que se compara SIM ao que os garotos fizeram com voce e que homens tambem fazem, se compara. Na minha opinião só é anônimo porque existe o tabu em cima das mulheres tocarem no assunto publicamente. Agora as mulheres conseguem ser estúpidas à altura dos homens estúpidos.

    27 de novembro de 2013
  • Muito bestinha esse aplicativo, acho que as pessoas se preocupam muito atoa. E não tem nenhuma hashtag pesada que vai denegrir a vida da pessoa. O máximo que vc consegue são muito boas risadas! #arrotaepeida

    27 de novembro de 2013
  • Enquanto discutirmos gênero, opção sexual, religião, raça e qualquer coisa do tipo, mostra que deixamos de ver o que importa: o Ser Humano… Respeito é bom e TODOS gostamos! Essa deveria ser a discussão. O aplicativo é desrespeitoso e covarde, pois quem avalia, o faz anonimamente. Ultrapassou a barreira do feminismo ou machismo, pois não há RESPEITO! Por uma vida de orgasmos múltiplos para todos!!!

    27 de novembro de 2013
  • Eu só peço que não criem o app masculino, por um simples motivo, esse é o tipo de coisas que, nós homens, não sabemos brincar e .
    /ps: eu apaguei meu perfil nisso ai antes de ter qualquer comentário, pois preso pela minha imagem./

    Sabe aquela frase ” o que os olhos não veem o coração não sente”? pra gente isso, infelizmente é real. Sim, as pessoas mudam, mas a maioria dos caras ao ver sua namorada, ou ficante com quem tem um interesse melhor com hashtags como “#daprobonde” “#gostadetrair”…… O cara provavelmente vai ficar bolado e vai acabar com meio mundo de relacionamento. Não falo só por mim, eu realmente ficaria zicado, mas n posso dizer de que maneira isso me afetaria. Mas é sério, não criem isso, não deixem, vai dar merda…..

    28 de novembro de 2013
  • Eu achei simplesmente engraçado esse app, a galera esta causo mtooooo em cima disso! ta louco, na minha roda de amigos não teve esse reboliço todo de achar um absurdo… eles deram risada, lendo suas notas e imaginando quem era, virou só um topico de conversa! de piadinha! apenas isso…. os que não acharam muito legal deletaram o perfil, pronto, finito. the end…

    28 de novembro de 2013
  • Sinceramente: não conheço NENHUM homem que tenha ficado ofendido com esse app.
    Pra início de conversa, se não quer ser avaliado, não quer causar constrangimentos com sua namorada, esposa, irmãs ou filhos, bloqueie seu perfil e pronto!
    Já fui avaliado por alguma mulheres e ouvi inúmeros comentários sobre o que sou ou deixo de ser, na ótica desse app. E qual minha reação? Dar risada e levar numa boa!
    Não é possível que mulheres se deixarão levar pela nota e por hashtags sobre características de um cara, dadas por outras mulheres! Seria o mesmo que eu deixar de confiar e trair todas minhas namoradas pelo que houve com alguma ex minha. Com certeza quem criou essa ferramenta não estava pensando numa revolução feminina, numa vingancinha e muito menos em uma ridicularização dos homens, estava apenas criando um meio de diversão (se você acha megamente ofensivo, basta não compartilhar da brincadeira) e querendo ganhar um bom dinheiro com a venda!
    Um apelo sincero: VAMOS PARAR DE HIPOCRISIA! Todos transamos, todos nos entregamos, todos gostamos de ter e proporcionar prazer! Se alguém te ama ou te odeia, confia em mim, não é um aplicativo e umas notas que vão te fazer ser uma pessoa melhor ou pior. Leve na esportiva, ria, converse a respeito com seus amigos durante uma noite no bar, ache graça da sua namorada morta de ciúmes porque te deram #TeAmoMeComeAgora!
    Sabe de uma coisa? Nossa realidade é tão intensa e dinâmica, que daqui a pouco a modinha passa e você perdeu muito tempo discutindo bobagens.

    28 de novembro de 2013
    • só alguns pontos:
      – Existem muitos homens ofendidos pelo app sim, tanto que a maior parte foi lá e bloqueou DEPOIS de avaliações que eles NÃO pediram.
      – Certamente você ficou com uma bela pulga atras da orelha para ver as suas avaliações e duvido que, nas negativas, não pensou nem por um segundo um “pô, mancada”, “ah, é nada”..
      – Ganhar um bom dinheiro? que venda? o app é grátis. oi?
      – Ninguém falou que não gostamos de ter ou proporcionar prazer.
      – A frase “vamos parar de hipocrisia” é cliche, está gasta e mais vazia que o banco de dados do Tubby, meu bem.
      – “Ache graça da sua namorada morta de ciúmes” é a coisa mais machista que poderia ler. Espero que vc também ache graça quando seus amigos de bar te contarem a boa nova: ela levou um #chupamasnaoengole

      Produção, menos rivotril pra essa pessoa, por favor…

      2 de dezembro de 2013

Deixe um comentário