HomeHot - Contos EróticosSeu defeito era ser casado. Mas não resisti…

Seu defeito era ser casado. Mas não resisti…

conto_0309

Seu defeito era ser casado. Mas não resisti…

*AUTORA: Zizi Santos

Gabriel era jovem, tinha 1,79 m de altura, os cabelos lisos e castanhos e uma boca rosada. Era inteligente e agradável, seu defeito era ser casado. Laura por sua vez era solteira, tinha 58 kg olhos verdes num tom folha seca e seus cabelos caiam até a cintura. Um dia, os dois se esbarraram na rua e seus olhares se encontraram pela primeira vez. Laura estava apressada, mas antes de deixá-la ir Gabriel pediu seu número e ela passou. A partir daí se falavam com frequência. E com as conversas veio o tesão e a vontade de estarem juntos.
Trocavam mensagens e fotos, ele já conhecia o corpo dela mas queria tocá-lo. Queria chupar deliciosamente seus seios, dar tapas em sua bunda, beijar-lhe a barriga, por a boca na buceta dela e se lambuzar. Queria por o pau nela até gozar. Mas tinha medo dela não aceitar, porém pensou “não custa nada tentar”.
No dia seguinte deu bom dia primeiro e perguntou se ela teria algum dia livre na semana, pois queria muito vê-la. Ela olhando a tela do celular, não acreditava no que liu, mas também queria provar dele. Sabia quais eram as suas intenções. Nunca havia saído com um homem casado e disse pra si “não há mal em ser só uma vez” e aceitou.
No dia combinado se encontraram em um barzinho. Ela estava com um salto alto e usando um vestido azul curto que se ajustava bem em seu corpo. O batom vermelho lhe contornava bem a boca carnuda e realçava o sorriso dela. Ele estava com uma polo branca, uma calça jeans e sapatênis. A barba estava por fazer e isso lhe dava um ar de homem, sem ela ficava muito menino. Sem demora foram pro motel já que o tempo era curto e a vontade era grande.
Assim que entraram ele a apertou e a beijou loucamente. Ela puxava o cabelo dele e dava leves mordidinhas na boca. Ele puxou o vestido e deixou cair no chão. A lingerie de renda preta de Laura era linda, realçava cada curva que o corpo dela tinha. Jogou ela na cama redonda e começou tirando os sapatos, tanto os dela quanto os dele.
Finalmente poderia beijar todo aquele corpo. E assim o fez, não havia parte alguma do corpo de Laura que não recebeu um beijo de Gabriel. Ela tirou a blusa dele com leves arranhões em suas costas, sabia que não podia deixar marcas.
Ele se sentou na beirada da cama e ela se acomodou em cima dele. Enquanto se beijavam, as mãos dele abriram o sutiã. Agora um dos peitos estavam na sua mão e o outro na sua boca. Ela ainda de calcinha esfregava no pau duro escondido pela calça. Agora chupava o outro peito e deixou nele uma pequena marca roxa.
Laura se levantou e tirou a calça e cueca de Gabriel. O pau dele estava rígido, dava pra ver as veias grossas em seu membro. Ela o chupou com carinho mas forte. Colocava o máximo que podia e movimentava com a mão . Logo a boca e a mão trabalhavam no mesmo ritmo. Gemia com o pau abafando o som e olhava nos olhos dele enquanto percorria toda a extensão com a língua. Chupou as bolas também e colocou cada uma delas na sua boca. Sua vontade era de engolir o pau com as bolas junto. Ele puxava seu cabelo e gemia cada vez que sentia  a cabeça do pau na garganta dela.
Ele a levanta com carinho e a deita na cama. Também queria chupa-la, sentir seu gosto, se lambuzar como muitas vezes imaginou. A calcinha ja estava toda encharcada, ele a põe de lado e passa a língua. Ela arrepia. Depois tira a calcinha e começa a chupar toda a buceta molhada dela. Quando enfia a lingua dentro ela geme. Ele chupa com gosto, dando varias lambidas e mordidas, mexia no seu grelo com um ritmo suave e quanto mais ele chupava, mais ela gemia e se contorcia na cama. Até que vieram as contrações e com elas o orgasmo.
Agora de 4 ele colocava a cabeça do pau e depois tudo. Ela morde o lábio e ele olha o reflexo dela no espelho. Como as caras e bocas que ela fazia eram sexys. Isso só aumentava a vontade, ele metia forte e aumentava os ritmos aos poucos, puxando o longo cabelo e batia naquela bunda, que bunda linda ela tinha e que agora estava toda vermelha. Ela gemia alto.
Ele ia mais rápido e ela também se mexia, batendo com a bunda contra o pau dele. Os seus corpos suados pediam pelo extase, queriam um o líquido do outro. Ela deu um grito e seu corpo tremeu. Já ele segurava firme no quadril dela e socava mais devagar. Gozaram juntos.
O corpo dela caiu na cama, sentia seu coração acelerado. Respirou fundo e fechou os olhos.  Gabriel deitou-se do lado dela beijando as costas e depois a boca. Sorriu. Infelizmente tinha que ir embora, pois a esposa o esperava pra jantar. Mas se pudesse, ficaria ali para sempre com a Laura.
Compartilhar:
Comentários
  • Também já fodi uma mulher casada.

    3 de setembro de 2015
  • Que medo! Parece um conto baseado na minha história real… Típico sad end.

    3 de setembro de 2015
  • Idem , parece que me vejo rsrsr

    9 de setembro de 2015
  • Me vejo nessa história…

    12 de fevereiro de 2016

Deixe um comentário