HomeHot - Contos EróticosO amor soube esperar

O amor soube esperar

contomeninas

O amor soube esperar

*AUTORA: Docinho

Mais parecia um sonho reencontrá-la depois de tanto tempo e ainda ter a mesma sintonia o mesmo brilho no olhar. O tempo lhe fizera bem, estava linda e radiante. E pude comprovar o quanto a amava. Sim amava e esse amor me fazia transbordar. Tinha amizade, compreensão, afeto, carinho, amor, mas queria mais… Sentia-me entregue ao desejo de amar, amar de forma diferente da que já amava. De uma forma mais intensa e carnal.

Perdia-me em pensamento a imaginar como seria sentir seus lábios nos meus. O beijo era intenso, seria suave, mais delicado, cheio de volúpia, beijo de língua todo apaixonado. De todas as formas que poderia ser eu já tinha imaginado. E como eu sonhei com você… Queria sentir esse beijo, seu calor a me aquecer, seu corpo no meu, olhar sem censura e no meu olhar demonstrar o quanto te desejo.

E de repente ali estávamos a sós. Já não conseguia olhar sem que este olhar me denunciasse, eu te queria e já não importava mais nada. Meu corpo fervia só de estar perto de ti. Havia algo que me puxava pra perto de você, eu não conseguia mais lutar contra isso e nem queria. Naturalmente nos aproximamos. Abraçar-te é o encaixe perfeito, o maior prazer da minha alma. Nessa sintonia total, o desejo explodia e sentir seu corpo no meu era melhor do que qualquer sonho que eu pudesse ter. Eu não sentia o chão, os pés, muito menos o tempo…

Era inevitável tentar manter meu rosto longe do seu. Suavemente senti a aproximação, em câmera lenta. Fechei meus olhos sentindo cada vibração. A única coisa que sabia é que meu coração estava em disparada e, de tão próximas, respirávamos o mesmo ar. Minha respiração cada vez mais arquejante e descompassada. Sentia sua respiração e seus lábios que quase se encostavam aos meus. E eu querendo desesperadamente sentir seu sabor. Entreguei-me a esse momento como se ele fosse o último.

Sentir sua boca passando tão perto da minha era uma tortura, cada vez mais. Um beijo no canto da boca, e do outro lado… Você irradiava sedução, e me tinha como quisesse. Sentia-me entregue aos seus encantos e totalmente inebriada com teu sabor. E quando me beijaste com teus lábios mais tenros, senti tontear-me. Senti-me mergulhar num abismo de sensações, me perdi em seus braços. Um beijo cálido, longo-molhado, denso, arrasador, o gosto, a saliva, a língua no céu da boca suga, sorve. Cada vez mais fundo, mais intenso, mais, mais, muito mais profundo. Um prazer novo surgira naquele momento e o desejo ia além. Ia descobrindo tudo com você – e me descobrindo?

Sentia suas vibrações e nossa sintonia. Nenhuma palavra precisava ser dita, era um encontro de almas, era apenas eu e você, nada ao redor importava. Encantava-me sua beleza mais irresistível de mulher, a feminilidade e a doçura. O beijo cada vez mais intenso e voluptuoso, as mãos procurando descobrir o até então desconhecido. O corpo tremia o desejo, o erótico emanando da pele, a paixão carnal transcendendo, você meu amor de perdição. Minha linda. Atração que nasceu do amor.

Deixamos de reservas e nos entregamos ao amor. Eu me rendo. Vem pra cama e eu te esquento num ímpeto de vulcão. Não há silêncio ou solidão, tu completa cada pedacinho do meu coração. Pelos cantos, as roupas jogadas no chão, numa pressa de você. Quero olhar para seus segredos sensuais, te desvendar, receber e ofertar carícias e afagos sem fim. Considerando com prazer a mulher que há em você.

Dentre beijos e carinhos, admiro você e seus contornos femininos. O desejo atiça-me, estremece ao ensejo do prazer e da cobiça pelos seus carinhos, meu peito nu se abre no seu, num compasso descompassado. Pelos eriçados… É tão sublime te sentir, o carinho na pele. Nos entregues ao prazer de amar, à completude da nossa união. Meu beijo desliza por seu corpo, sentindo todo seu sabor, a alma e o coração, o corpo, o desejo. Enleia-me com teu charme, tua essência, embriaga-me de prazer. Em que labirinto esconde essas delícias?

O suor dos corpos, do prazer erótico. Recanto ardente, cama macia, corpo de veludo, curvas sublimes. Todas as entranhas na mais perfeita interação, a língua desliza, o gosto agora é prazer, no ouvido delícias, loucuras, fetiche. Pele macia. Sentir seu corpo feminino, instigante, minha perdição. Lambe lágrima, todos os líquidos, gostos. Você entregue, suspense no ar, completa-se a explosão…

Compartilhar:
Comentários
  • eu amei eu quero

    15 de agosto de 2015

Deixe um comentário