HomeSexo“Nossa estreia no swing”

“Nossa estreia no swing”

estreiaswing

“Nossa estreia no swing”

Ela chegou dizendo que o namorado, com quem está há quase três anos, propôs uma visita a um clube de swing. “O que você acha?”, me perguntou, os olhinhos embriagados de álcool e excitação. Era óbvio que ela queria matar a curiosidade – mais do que o fetiche do homem que ama. Não se sentia ofendida nem assustada com a proposta. Como a imensa maioria das pessoas que me puxam de canto para confessar alguma estripulia sexual, percebi que essa amiga queria saber se aquilo era “aceitável” ou “normal”. Fiz três recomendações: 1. Conversem muito antes, combinem o que vale e o que não vale para ninguém se magoar; 2. Usem camisinha; 3. Contem como foi a experiência no Pimentaria depois!

Eis aqui o depoimento do casal… Ele narra boa parte da história, então coloquei os comentários dela em itálico.

***

Alguns amigos já tinham ido a casas de swing e eu tinha vontade de conhecer. Minha proposta para ela era ir sem nenhum compromisso de fazer alguma coisa. Só queria ver como era mesmo. Não somos um casal quadrado, estamos bem seguros quanto ao relacionamento e gostamos de experimentar coisas novas. Não buscamos essa alternativa porque o sexo estava rotineiro. A gente experimenta o novo porque gosta e não pra tentar “tapar algum buraco” na relação. Ele é um parceiro incrível, super cabeça aberta e adoro o fato de me fazer viver situações diferentes. No início, a ideia me deixou um pouco receosa, mas pesquisamos alguns lugares na internet antes. Ela aceitou numa boa. Saber que ninguém seria obrigado a fazer nada só por estar em uma casa de swing nos tranquilizou.

Basicamente, a gente combinou que não faria a troca de casais. O que mais nos excitava era a possibilidade de estar num ambiente com um monte de gente nua e transando em volta… Eu avisei que ele não podia encostar em ninguém! (risos) Sou ciumenta e não queria ver essa cena. Mas transar com ele num lugar público – propicio pra isso – me deu muito tesão. Sei que pode soar machista, mas se outra mulher bonita quisesse experimentar minha mulher, eu realmente não me importaria… (risos). Não demorei para pedir indicação aos amigos e pesquisar com ela na internet sobre os melhores clubes para a nossa estreia. Escolhemos o Code-Club, na região do Morumbi, em São Paulo.

No dia marcado, estávamos ansiosos. Ela se vestiu sem calcinha e ficou me provocando antes de irmos. Que eu me lembre, homens pagavam cerca de R$100 para entrar. Como éramos virgens no quesito “casas de swing”, chegamos cedo demais e ficamos um pouco desconfortáveis com isso. O lugar parecia uma balada mesmo, com exceção de um espaço para pole dance. Puxamos assunto com um funcionário e ele nos mostrou o caminho da putaria (risos). Era um labirinto bem escuro com vários quartos de paredes “furadas” para que outras pessoas observassem e interagissem com quem estava lá dentro. Também havia uma mesa de sinuca, mas ninguém ali estava interessado em jogar… Várias pessoas transavam ao mesmo tempo sobre aquela superfície. Ver a galera não era constrangedor – era excitante.

No swing, o código mais importante é que as mulheres decidem. O homem não faz nada até a mulher tomar iniciativa de chegar em outras pessoas ou casais. Na balada, um casal ficou olhando para nós, mas eles eram mais velhos e meio estranhos… Ficou claro que a gente não queria nada, então eles sequer se aproximaram. Ninguém chega agarrando. Nosso intuito era se divertir sem troca-troca, aproveitar e se divertir como namorados só. Fomos para um daqueles quartinhos – bem pequenos mesmo, cubículos sem móveis, mas com várias aberturas nas paredes. Começamos a transar e, de repente, uma mão masculina apertou a minha bunda. Tomei um susto “da porra”, que me perturbou mesmo, então mudamos de quarto para continuar a brincadeira entre nós dois. No outro, foi engraçadíssimo porque vários braços tentavam nos pegar pelos buracos – inclusive passaram a mão em mim. Ninguém é obrigado a fazer nada que não queira lá, valeu para atiçar a nossa vida sexual. A experiência foi bem interessante para dar uma apimentada entre nós.

Costumo dizer para ela que não podemos dizer que nunca faríamos troca de casais. Vai que, depois de 50 anos juntos, a gente vira um casal de velhos safados com vontade de experimentar tudo? Sei que a maioria dos caras diz que não se faz esse tipo de coisa com a mulher com quem você pensa em casar. Acho uma bobagem conservadora. Se a relação é madura e construída com confiança de ambos os lados, tudo que não vá ferir o sentimento do outro é válido. Por isso mesmo, é muito importante o casal conversar sempre sobre essas e outras coisas, colocar sempre as cartas na mesa e sem preconceitos bobos. A gente pretende voltar lá, sim. Quer ir com a gente?

Compartilhar:
Comentários
  • Ola, parabéns por esta história, eu e minha esposa fizemos da mesma forma, conversamos e ambos tinham essa curiosidade de saber como era um clube de Swuing, na primeira vez não tocamos e nem deixamos ser tocados, transamos nas salas que apenas da p ver sem conseguir tocar, olhamos muito e a primeira vez foi boa matamos nossa curiosidade, tivemos outra conversa e decidimos que na proxima vez o toque seria permitido, já fomos várias vezes, perdi a conta e nunca fizemos troca de casal, tocamos somos tocados, ja transamos no mesmo cubiculo com outro casal assistindo e vice versa, ja transamos em ambiente aberto com varios casais transando ou assistindo a nossa transa, e tudo sempre com respeito, ninguém força ninguém a fazer aquilo que não quer, minha esposa adora ir também para poder dançar nua sem ser incomodada.recomendo a todos a ir ao menos 3x,a 1ª para conhecer e quebrar o tabu, a 2ª estarão mais soltos poderão curtir melhor o ambiente e a 3ª para ter certeza se estão fazendo a escolha certa, para ir em um clube de Swing ambos tem que confiar, respeitar, tem que ser cumplices mesmo, agora se tem vontade de sacanear, zuar e transar a vontade sugiro que vá com um amigo (a).

    5 de fevereiro de 2014
  • Concordo com vc e é interessante esse comentário final pois algumas vezes os singles exageram e deixam o casal constrangido ,quando morava em sao Paulo fui com minha esposa numa casa e dentro do labirinto havia praticamente um corredor com os singles com o pau na mão se masturbando para mostrar os “dotes” ,acho que se quisesse isso teríamos procurado garotos de programa na rua ,esses locais ainda precisam ter regras de convívio mais rígidas entre os singles e os casais bem como os casais falsos nos quais o casa solteiro paga uma garota de programa para entrar com ele.

    16 de fevereiro de 2014
  • ola pessoal sou de londrina curto casais para menage, e casais onde o maridão seja voyer

    31 de maio de 2014
  • Bacana, eu e minha namorada frequentamos direto.. na minha primeira vez foi um pouco diferente da de vocês, mas já fizeram um bom começo, é divertido…

    2 de junho de 2014
  • Gostamos do seu conto. Também já fomos e minha mulher participou muito, dando a buceta várias vezes.

    Foi muito bom. Conte-nos sobre outras experiências de vocês .

    Abs

    21 de janeiro de 2015
  • Estou querendo ir com minha esposa… apenas para conhecer… o que vcs me indicam ?

    2 de fevereiro de 2015
  • o que vcs me indicam para conhecer ?

    2 de fevereiro de 2015
  • Vagner, minha fantasia era que minha esposa fizesse amor com um ex dela, mas não conseguimos.
    partimos pra outro cara que era louco de vontade nela. eu marquei tudo com ele pelo face dela se passando por ela. e deu certo. eles foram para o motel da mesma cidade e fizeram de tudo. qd ela chegou ela disse q amou tudo, chegou toda bem comida.
    me contou tudo do começo ao fim.
    isso pra ela aceitar foi mais de 2 anos eu fazendo a cabeça dela dizendo q era uma fantasia minha.
    nessa brincadeirinha ele pegou ela 3 vezes, liberei ela 3 vezes pra fazer amor com ele, tudo sem camisinha, pois agente ja conhecia ele e ele nunca foi de rua, de pegar qual quer uma, um cara bem preservado e reservado. ele nunca imagina na vida que foi eu que arrumei tudo.
    quando agente vai pra cama, geralmente ela fala nele pra mim, que gostou demais.. ela disse que o cara fode demais gostoso. e ela é muito fogosa, linda toda. o primeiro homem dela foi eu, e agora teve o segundo pq era uma fantasia que eu realizei

    10 de maio de 2015
    • Bom dia.

      Seu relato é muito parecido com o acontecido comigo e minha mulher.

      Insisti e ela acabou dando muito para o ex. Depois de algum tempo, fomos a uma casa de swing, onde ela se achou, dando muito. Foi tão bom que votamos lá várias vezes.

      Se quiser, pode me escrever walsp2009@bol.com.br

      Abraços

      20 de junho de 2015
  • E pra quem quer conversar diretamente com outros casais liberias, acessem o Portal Balada Liberal ( http://www.portalbl.com ) lá tem um chat onde todos os dias casais trocam experiencias e marcam encontros.
    Beijos a todos

    20 de julho de 2015
  • Também me identifiquei com os comentários, conheci um rapaz pelo face e falei das minhas fantasias…queria ver ele comendo ela; Combinei tudo e fomos para um motel, foi maravilhoso, ele deu muito prazer pra ela, adoramos! Apimentou muito nosso casamento, recomendo para casais bem resolvidos, muito bom!

    11 de dezembro de 2015
  • Temos vontade eu e minha esposa em iniciar eu tenho 55 ela 54 anos , estamos a procura de casais para nos conhecer

    22 de janeiro de 2016
  • tenho a fantasia de realizar uma troca de casal eu e minha esposa ate frequentamos casa de swing mas nunca cheguei nela e falei do meu desejo de fazer swing com outro casal

    26 de abril de 2016
  • eu e minha esposa estamos pensando nisso tb em ir pelo menos e ver como é realmente mas ainda pouco de receio das duas partes e agora?
    kkk

    7 de junho de 2016
  • e se algum casal qu8ier nos conhecer fica a vontade melhor ioniciantes como nos beijos

    7 de junho de 2016
  • BOM RELATO NOS DEIXA MAIS A VONTADE DE VOLTA MELHOR SE COMBINA COM CASAL PARA NOS ENCONTRA NA BOATE PARA BATER PAPO E NO DESCONTRAIR

    29 de agosto de 2016

Deixe um comentário