HomeSexo“Eu também passei por isso, Fran”

“Eu também passei por isso, Fran”

apoio_fran

“Eu também passei por isso, Fran”

Quando escrevi a “Carta à Fran”, jamais poderia imaginar a repercussão que o texto teria. Assim como essa garota não sonhava que as imagens dela se alastrariam por aí dessa forma. É humanamente impossível ler cada um dos milhares de comentários, mensagens e emails que recebi. Fui contra o “efeito manada” que condenava Fran e é muito bom saber que a minha opinião ecoou no coração de tantas pessoas. Aos que ainda se julgam donos da verdade, não tenho nada a acrescentar – a vida ensina. Decidi concluir essa história com a voz de duas (dentre tantas) mulheres que me procuraram para dizer que sabem exatamente o que a Fran está sentindo agora. Mais respeito e mais amor, por favor.

Uma página do Facebook lançou esta campanha após a publicação da carta

1. Tenho 16 anos, sou do interior de Goiás. Há nove meses, me envolvi com um menino de 18 anos. A gente saía, mas não namorava. Ele foi me iludindo, fazendo minha cabeça, eu gostava mesmo dele. Um dia, a gente estava conversando pela webcam e eu cometi o erro de tirar a roupa. Porque eu confiava nele. Acabei mudando de cidade para estudar cursinho para medicina e a gente nunca mais se falou. Dois meses atrás, ele publicou as imagens num grupo fechado do Facebook. De repente, as fotos circularam não só pela cidade, mas pelo Estado. Todo mundo ficou sabendo. Eu estava em casa, nem lembrava mais daquele dia, quando chegou uma mensagem no meu celular avisando que eu estava nua na internet. Um amigo confirmou que recebeu as fotos pelo Whatsapp e pedi pra ver porque não acreditava. Na hora que eu me vi ali, minha vida acabou. Eu queria morrer. Tentei esconder da minha família, mas não deu. Minha mãe é professora e, por onde ela andava na escola, os alunos ficavam rindo. Ela perguntou o que estava acontecendo e uma menina contou. Ela ficou com muita raiva de mim, só consegui conversar com ela depois de uma semana, quando a minha irmã a acalmou. A única coisa que ela perguntava era por que eu tinha feito aquilo, me mostrado para o menino pela webcam. Fiquei tão mal com tudo, tão perturbada, que cheguei a tomar veneno de matar barata e fui parar no hospital. Eu não aguentava mais o povo falando de mim, vendo minhas fotos, queria desaparecer. Minha mãe ficou preocupada com o meu estado e se mudou para morar comigo porque eu não tenho mais cara de voltar para a minha cidade. Mesmo as pessoas que eu considerava melhores amigas me julgaram e se afastaram de mim. Estou fazendo terapia agora para superar o que aconteceu. Senti muita culpa porque aquilo (tirar a roupa na frente da câmera) foi feito com o meu consentimento. Mas jamais imaginei que passaria por esse sofrimento. Denunciei o garoto por danos morais e ele acabou de receber a intimação da Polícia Federal. Descobriram que as fotos saíram mesmo do computador dele. Estou esperando a audiência agora. Quero que ele se arrependa do que fez. Acho que ele agiu assim para querer se mostrar para os amigos, mas não considerou o estrago que provocaria na minha vida. Serviu como aprendizagem, minha cabeça mudou completamente. É até difícil porque tenho muito medo de me envolver e confiar. Contei tudo para o meu atual namorado, de 27 anos, e ele entendeu. Foi um alívio ele não me chamar de “vagabunda”. Até propôs casamento à minha mãe para ver se o povo para de falar tanto. Eu soube do caso da Fran quando cheguei no cursinho e uns meninos falaram: “olha, agora você tem mais uma amiga para competir contigo na internet”. Espero que nós duas possamos virar a página um dia.

2. Fiquei com o coração na mão ao ler sua carta para a Fran. Me relembrou uma situação muito parecida que enfrentei no meio desse ano. Apareci num vídeo que circulou pela internet e na televisão aberta. Eu estava transando com meu ex-namorado em um ponto público da Lapa. Eu sei como a Fran se sente! Eu tenho ideia de como é ler os comentários mais feios e baixos que você já viu na vida. Como é se sentir um lixo, sem dormir ou se alimentar direito repassando cada momento daqueles “segundos” que parecem uma eternidade. Não querer sair de casa com medo de ser reconhecida. Medo de ter a família exposta a uma coisa tão pessoal e que se espalha de forma degradante. Eu sei o que é ser a “vagabunda” enquanto o cara que estava comigo saiu como “fodão”. Tive que me esconder e me poupar de tudo e todos para conseguir ter forças pra voltar a vida normal. Fui criticada até pelos melhores amigos. É muito triste o que as pessoas são capazes de fazer quando o assunto é humilhar os outros. Tive ‘amigos’ que chegaram a compartilhar o vídeo e marcar nossos nomes no mesmo. Tive pessoas que me conheciam de vista e postaram meu perfil nos comentários de sites só para me expor mais ainda. Tive colegas de lugares onde trabalhei mostrando o vídeo dentro do ambiente de trabalho. Tive pessoas que me mandaram inbox, sem ao menos me conhecer, só para falar coisas nojentas e me criticar. Tive que contar para a minha família com receio de verem e ficarem decepcionados comigo. É ferida que ainda dói MUITO! A decepção que sentimos de nós mesmas é pior do que qualquer coisa. Me senti fraca e sozinha, mas no final isso só me fez mais forte. Agora, mais do que nunca, defendo as nossas mulheres e tento abrir o olho das pessoas para essa cultura machista que vangloria o homem e detona a mulher. Todo mundo faz sexo, já trepou na rua, já filmou ou se deixou ser filmado. Feio mesmo é quem se utiliza da vida pessoal dos outros sem pesar as consequências. Vergonhoso é ajudar nessa violência verbal que vemos em tantos comentários. Falta de bom senso é essa máscara hipócrita que tantos usam para criticar os outros e não cuidar da própria vida. Falta de caráter tem a pessoa que postou o vídeo e todas as outras que ajudaram a compartilhar o mesmo. Suas palavras foram um conforto pra mim, ler suas palavras de carinho para a Fran significaram muito pra mim! Obrigada por ser a pessoa que dissemina coisas boas, pontos de vista diferentes e um certo aconchego pra própria Fran, pra mim e mais tantas mulheres que se identificaram com esta carta e a paz que veio junto com ela.

Compartilhar:
Comentários
  • A diferença entre o que aconteceu com a Fran e o caso nº 1 deste post é que, ao contrário do caso 2, as meninas envolvidas não tinham ideia de que o vídeo iria parar na internet. Já no caso da Lapa (eu assisti ao vídeo há algum tempo), a menina não apenas tinha (ou deveria ter) a consciência de que estava se colocando em risco, como assumiu tal risco.
    Quando se sabe do perigo, e este é iminente, e mesmo assim “paga-se” para ver, a coisa muda de figura.
    No vídeo da Lapa, desde o início, pessoas gritam em volta do casal palavras de baixo calão, chamando a atenção para o que estava acontecendo e deixando claro que eles estavam sendo observados. Dois homens chegam a se aproximar muito do casal no banco, um deles com um celular em punho. E, mesmo assim, o casal segue transando.
    Não concordo com palavras machistas do tipo “puta, vagabunda, vadia, etc”, mas se você se expõe desta forma, deve ao menos ter ideia do que está por vir, diferentemente do caso da Fran.

    15 de outubro de 2013
    • camila,por favor,isso nao é o caso o problema nao a pessoa(leia-se:mulher) “se expor a perigos” como voce está sugerindo,e que,detalhe,é machismo também por que é baseado naquele manual de regrinhas do que uma boa menina tem que fazer para ser respeitada nessa sociedade.o problema é a misoginia,é ela que gera isso e nao “uma pessoa se expor”,pela sua lógica se eu nao quiser quebrar a perna é só eu nao jogar futebol.e algumas pessoas gostam de fazer sexo em local público,que,pelo que me parece,se configura crime,mas eu dúvido que a intençao de quem filmou e divulgou foi denunciar,obviamente que ela foi de:”vamos humilhar a vagabunda”e olha o outro machismo seu,de só olhar para o lado dela,bom, se ela tava fazendo sexo em público e “se expos a perigos”o cara também tava e nenhuma mençao a ele de sua parte,enfim,meu ponto é:devemos parar com essa de sempre por o onus na vitima,que é o que voce tá fazendo,por que se esse mundo nao fosse assim nem iríamaos tá aqui discutindo casos assim,e,olha,nao é com esse discurso que vamos acabar com isso.isso é o que chamam de “chover no molhado”

      16 de outubro de 2013
      • Veja bem, Fernando, eu me referi a mulher por ter sido ela a relatar no post.
        Em momento algum disse que o homem não fosse também responsável.
        Penso que haja uma substancial diferença entre o fetiche de fazer sexo em local público e transar à luz do dia, no meio de uma praça. Vc não acha?
        A minha lógica do “não se expor” é a de que flagrantemente estavam rodeados de muitas pessoas, e uma delas, inclusive, portava um celular na mão, notadamente filmando a cena, bem ao lado do casal.
        Expus a minha opinião, traçando um paralelo entre o que aconteceu com a Fran e o caso da Lapa.
        De maneira alguma me referi a qualquer uma das mulheres com termos pejorativos.

        16 de outubro de 2013
        • bom,o fato de a mulher ter sido quem relatou essa história e voce nao ter citado o cara para mim nao se correlacionam,eu acho que é só mais um caso de só analisarmos o lado da”mulher burra”,até os imbecis que adoram de alguma forma achar algo para culpar a vitima,nao estou dizendo que voce é igual a eles,acham também que o abusador é o responsável,entao,isso nao é o bastante,até pq também voce só analisou a mulher fazendo sexo,e nao a mulher e o homem fazendo sexo,e o que voce está fazendo é legitimando um discurso que vitimiza(quase sempre mulheres)devemos questionar mais as coisas,e nao simplesmente
          aceitar,e como eu falei,o objetivo de quem divulgou nao foi de denunciar uma atitude ruim ,mas sim de querer humilhar uma mulher que estava “nao se dando o respeito”esse é o meu ponto.podemos questionar:pq tanto essa sede por querer humilhar uma “vadia”?no seu comentário eu nao vi isso,isso para mim é um problema.
          “penso que haja uma substancial diferença entre o fetiche de fazer sexo em local público e transar à luz do dia, no meio de uma praça. Vc não acha?”eu nao acho que tenha tanta diferença assim,e voce nao faz sexo de dia,é isso?e voce entende o fetiche de fazer sexo em local público,mas tá condenando o sexo em local público?enfim,nao estou fazendo apologia para todo mundo ficar esfregando a vida sexual na cara de todos,o que eu estou querendo dizer é que o seu comentário é baseado mais numa ideia de preservaçao feminina,de resguardamento,ai que tá o machismo nele,na minha opiniao,agora vou te fazer umas perguntas.vamos supor que nao vivemos nesse mundo misógino,que adora demonizar mulheres que nao se enquadra nos seu padroes impostos a elas,será que se vivéssemos em um mundo assim.uma mulher e um homem fazendo o que essa menina do post 2 fez seria filmada com o intuito de ser humilhada?que obviamente foi essa a intençao,e será que voce,como muitas outras pessoas,iriam está falando como se só ela tivesse feito o ato?que,sim,foi o que voce fez.será que ela iria ser humilhada como foi?ou só iriamos condenar ela e o cara por te feito uma atitude nao legal na frente de todos,e nao por ela ter sido “burra”,”vadia” e coisas do tipo?o meu palpite seria,que ela e o cara nao seriam filmados,e que se o pessoal ao redor se sentisse incomodados iriam repreender a atitude deles.como podemos repreender atitudes que estao gerando mal estar geral ,ou que pode até ser prejudicial.enfim,só acho que o que voce falou nao pega no ponto,é o que eu chamo de bater em fantasma,e só legitima uma ideia de cunho até moralista,nao que voce seja,e que pode e é usada como victim-blaming.
          mas vlw pela resposta.

          16 de outubro de 2013
          • Fernando, quando eu ‘admito’ que muitas pessoas tem o fetiche de transar em locais públicos, não ligo isso a se expor na frente de muitas pessoas… e quando falo ‘no meio de uma praça, à luz do dia’, digo que isso necessariamente tem uma consequência, que certamente é diferente de um casal transar em local público sem se exibir às pessoas, porque, pelo que se sabe, tal fetiche está associado ao perigo de ser flagrado. Quando falo em ‘perigo’, falo na possibilidade de, não da certeza de, como foi o caso.
            Angela, já pensou que o X da questão para você, não necessariamente é para mim?
            O meu X da questão é que um caso não tem as mesmas características centrais que o outro. O caso da Fran foi ela ser atingida por uma atitude errada do parceiro, sem que ela tivesse noção do perigo da exposição.
            O outro é do casal que se expõe em local público, na frente de muita gente, flagrantemente com pessoas os filmando, cientes de que estavam sendo observados.
            Para mim, Camila, há uma infinita diferença neste ponto: a consciência ou não do perigo de ter seus momentos íntimos divulgados. PONTO.

            16 de outubro de 2013
          • camila,como nao to conseguindo te dá reply,to dando reply aqui no meu coment mesmo!!!
            olha,alguns pontos ai eu já te respondi no meu coment anterior e também a angela:
            “quando falo ‘no meio de uma praça, à luz do dia’, digo que isso necessariamente tem uma consequência, que certamente é diferente de um casal transar em local público sem se exibir às pessoas” aqui no meu coment:”o meu palpite seria,que ela e o cara nao seriam filmados,e que se o pessoal ao redor se sentisse incomodados iriam repreender a atitude deles.como podemos repreender atitudes que estao gerando mal estar geral ,ou que pode até ser prejudicial” note,aqui eu estou falando de valores sociais e suas implicaçoes muitas vezes contraditória e hipócrita.e existe outros pontos que voce nao tá entendendo:o ponto sobre machismo e como nós pautamos nossos valores por ele.
            “O meu X da questão é que um caso não tem as mesmas características centrais que o outro. O caso da Fran foi ela ser atingida por uma atitude errada do parceiro, sem que ela tivesse noção do perigo da exposição.”sim os casos possuem as mesmas características,só a única diferença,é por que em dois quem divulgou foi alguém próximo,e em outro quem divulgou foi alguém desconhecido,mais expor alguém seja voce conhecido,amante,namorado vai ser sempre errado,e leia os meus coments que eu já expliquei isso sobre o ponto de vista de algo ser considerado aceitável e sobre o ponto de vista do porque esses videos foram feitos em primeiro lugar,nao foi pq a moça “se expos ao perigo”ou “pq ela nao mediu as consequencias”ou pq era uma atitude errada,mas sim obviamente pela visao que temos sobre sexualidade feminina e pela sua demoninazao, os tres videos obviamente possuem as mesmas raizes sabe qual é?machismo,um paralelo é a violencia domestica é um tipo de violencia causada em grande parte pelo machismo,nao significa que a violencia domestica vai ser causada só pelo marido ou namorado pode ser pelo pai também,é quase a mesma coisa,ou seja, os vídeos foram feitos pelos companheiros ou por um desconhecido que eu já expliquei tinham os mesmos objetivos,o de querer humilhar as moças pela nossa visao que temos sobre sexo e mulheres,entao,esse ponto de ficar falando em “cientes que estavam sendo filmados” ou afins para a questao aqui é irrelevante,sem falar que divulgar a imagem de pessoas sem a permissao é crime e sabemos como isso pode acabar com a vida das pessoas(quase sempre mulheres)como estamos presenciando aqui e agora,e se a vitima é menor,pelo que eu sei é considerado pornografia infantil,olha ai o que essas pessoas estao fazendo!!e outra,qualquer pessoa que possue esse tipo de conteúdo sobre si mesmo,tem um risco de aquilo cair em dominio público, nao é só para pessoas que fizeram na frente do público,como voce mencionou.e mais,se fez na frente do público,ou foi uma traiçao de um companheiro e etc , qualquer pessoa que passe por isso,é a vitima e merece empatia.coisa que eu acredito que voce vai concordar comigo e,para terminar,a sua visao sobre o fetiche de se expor pode estar limitada e nao ser totalmente verdadeira.

            16 de outubro de 2013
      • Cara, o caso é diferente mesmo, machismo é um problema, mas transar no meio da rua é uma atitude muito idiota em qualquer lugar do mundo. Você não pode culpar o machismo se gravaram você dando no meio da rua e te chamaram de puta. Você só têm que aceitar que foi totalmente estúpida e idiota, não só ela, o cara que estava junto também. Duas antas.

        16 de outubro de 2013
        • sim é machismo,e o seu comentário é horrivel,é o mesmo que falar”mulher ser estuprada,porque o cara se acha no direito inalienável ao corpo dela,e nao respeita seus direitos e vontades,nao é machismo é simplesmente uma mulher que foi burra de usar sai curta na frente dele,e ter conversado com ele por 15 minutos,ela só podia tá pedindo” e claro chamar mulher de puta,nao tem nada de machismo,sim,tá certinho, moço.

          16 de outubro de 2013
          • Para de falar besteira Fernando lé o texto direito da camila e olha o vídeo do casal da lapa e depois de sua opinião sobre algo que você viu para opinar. É patético aquele casal querer reclamar de qualquer coisa, todos envolta estavam gritando brincando com a situação ridícula e eles ainda não se incomodaram, então que não se incomodem com a repercussão de seus atos…. se eu estivesse passando com meus filhos por la ficaria indignado de que um deles presencia-se a cena pois não é o momento deles saberem nada sobre sexo, atentado ao pudor HORRÍVEL…. É questão de respeito com os olhos do próximo…. a pessoas que não querem ver ninguém transando no meio da rua em plena luz do dia enquanto estava indo para o trabalho, foi muita cara de pau do casal. Todo mundo pode fazer oque quiser ninguém pode tirar nossa liberdade de pensar, agora toda atitude tem sua consequência…

            17 de outubro de 2013
          • será que voce nao reparou ,que a menina,só a menina,foi escrachada e foi humilhada por causa disso,só ela?caramba,vcs nao entendem,se querem reclamar de pessoas que fazem coisas erradas ,aqui nao é o lugar,e denovo,como já falei muitas vezes,ela nao foi filmada pq tava fazendo algo errado,ela foi filmada pq ela era mulher e tava fazendo algo tido como nao apropiado para uma “moça de respeito”esse é o ponto,se o pessoal que tava lá assistindo ,estivesse incomodado,coisa que eu entendo,eles entao iria arrumar um jeito de repreende-los,nao filma-los,para só uma das pessoas sofrer por isso,e pqp é escroto demais que sempre quando discutimos estupro,slut-shaming,victim-blaming,o pessoal sempre gosta de perder o ponto ,ai vem discutir coisas que ou nao tem nada a haver com a história ou coisas que perpetuam essas coisas.a conversa aqui é pessoas que foram expostas,a grande maioria mulheres,e estao sofrendo um bullying sem sentido,esse é o ponto,se voce que discutir se as pessoas podem ou nao podem fazer sexo na frente de outras pessoas,aqui nao é o lugar,até pq parece que para vc filmar pessoas,e divulgar imagens sem a permissao da mesma,tá ok,e que,detalhe ,arruinou muito a vida dela,e sim ,bonitao,ela tem todo o direito de reclamar,pq toda a humilhaçao que ela sofreu foi em funçao dela ser mulher nao porque ela fez o que fez,’respeito com os olhos do próximo” nao seja ridiculo que respeito é esse com uma pessoa que teve suas imagens divulgadas,com o intuito de humilhar, e que voce tá com um tom de “bem feito”,olha só seu respeito,ela sofreu o que sofreu e voce vem com esse papinho moralista,de como se o que fizeram com ela tá certo. e ver qual atitude causou mais dano.e esse papinho de”toda atitude tem sua consequência”nao pega.até pq usam isso para justificar todo tipo de atitude desprezivel ,claro,só quando é com minorias.

            17 de outubro de 2013
          • Na realidade Fernando, o comentário que você deu reply agora não justifica a total defesa do ato, porque você já paro pra pensar que não foi só ela que foi filmada? O parceiro também foi, será qu ele não sofreu nenhuma repúdia em relação ao vídeo? Não filmaram ELA, pq ela era mulher e etc etc etc filmaram OS DOIS pq queriam humilhar AMBOS. Também não concordo que em uma situação dessa a primeira coisa a fazer seria filmar e postar afim de ridicularizar o que está vendo, mas você deve observar que neste caso, diferentemente dos outros, a moça não citou o parceiro como um fdp, porque ele TAMBÉM ESTAVA NO VÍDEO! Logo, a necessidade de ridicularização afetou os dois!! Pra deixar claro, nos casos em que o parceiro deixa o vídeo/foto vazar, o fdp é ELE! E sim a mulher sofre a vitimização totalmente sozinha, mas em um caso que o casal é filmado por terceiros, é diferente sim! Logicamente, a mulher foi mais falada, mais tachada, etc etc mas na situação descrita, era evidente que os dois seriam prejudicado. É uma questão de bom senso 😉

            23 de novembro de 2013
    • Camila,
      Me parece que você ainda não entendeu o X da questão. Nenhuma mulher deve ser intimidada a se comportar de maneira “recatada” (eu diria recalcada) pra não “correr risco”, pra não “se expor”. Nem a Fran, nem a moça da Lapa, nem você, nem eu. Acho válido que você pense e aja conforme a sua necessidade de segurança e privacidade. Eu o faço e vivo em paz assim. Mas não é certo uma pessoa querer ditar o comportamento de outra dessa forma. Se o viés da sua postagem fosse a impropriedade do local público, o quanto é desagradável testemunhar pessoas transformando a via pública em quarto, eu entenderia – ainda que fugisse ao escopo do assunto original em questão aqui. Mas, pelo menos da forma como você colocou, pareceu que você está dizendo algo como “se expôs por que quis, então aguenta”. Uma coisa é o FATO delas estarem tendo que aguentar – e estão, vide os testemunhos. Outra coisa é defender, ainda que muito sutilmente, que possa haver um grau qualquer de culpa da vítima que possa excusar o malfeitor.

      16 de outubro de 2013
      • Não tem vitima no caso da lapa…

        17 de outubro de 2013
  • É claro que é errado expor os outros, julgar e xingar por tais atos… Tal fato é indignante e tais pessoas devem ser punidas.
    Mas esse vitimismo exagerado das mulheres incomoda. No mundo atual, não tem como conceber q nunca desconfiaram q iriam ser expostas. É ingenuidade demais.
    E outra, o caso mais famoso da internet brasileira é o caso K. K era um cara q filmou uma relação, jogou na internet, achou q tava abalando e arruinou a sua vida. O vídeo deixava claro q ele não tinha idéia do que fazer com a mulher e até hoje o cidadão é zoado por isso…

    16 de outubro de 2013
    • Giovani,
      É uma pena que vc chame esse sofrimento legítimo de “vitimismo exagerado”.
      Nós mulheres nunca saberemos como é levar um chute no saco, exemplo bobo, mas mais ou menos isso… eu não posso julgar a sua dor como exagero pq não tenho saco p saber como dói levar uma pancada ali.
      Então vc tente tbém não julgar a dor alheia que vc não consegue simplesmente imaginar o que seria, pois não é mulher, não pensa como mulher e não sofre com o machismo nosso de cada dia, com o moralismo e com o preconceito que estão profundamente enraizados na nossa sociedade, e de maneira tão profunda que muitas vezes as pessoas nem sabem que estão sendo machistas. Mas nós sim passamos por isso constantemente, e é bastante ruim… eu diria que é na verdade um pé no saco!

      16 de outubro de 2013
      • Ora, q argumentação vazia! Quer dizer q apenas as vítimas do holocausto podem falar sobre o nazismo, é isso?
        Essa opressão alegada pelo mulher é papo dos anos 60…
        Você igualmente não sabe o que é ser constantemente avaliado pelo que possui e não pelo q é. Ser a vida toda pressionado a produzir, a tomar iniciativas, a liderar e a “ser homem”. E o simples fato de falar sobre isso certamente enseja pensamentos de que sou um reclamão ou q falta hombridade.
        Machismo, feminismo e vitimismo são todos ruins para a sociedade. Precisamos assumir nossos atos e suas consequências sem ingenuidade e vitimismo, qualquer q seja o gênero.

        16 de outubro de 2013
        • Gostei da sua teoria.
          Eu leria um texto mais elaborado sobre essa ideia.
          Mas colocando de lado machismo e o feminismo, ainda fico do lado das moças no caso Fran e caso 1 exposto anteriormente ( concordo em parte com os comentários da Camila sobre o caso 2).
          Houve uma quebra de confiança nesses casos. Por mais que elas soubessem do risco da exposição, elas confiaram nos parceiros, que expuseram os vídeos sabendo que elas seriam prejudicadas.
          Então nesses casos elas são vítimas e não vitimístas, e na minha opinião devem sim tomar todas as medidas cabíveis contra os parceiros.

          17 de outubro de 2013
      • Acho super valida a causa feminista sobre diversos assuntos, mas não nesse caso da lapa não tem oque ser reclamado ali, se você atira no próprio pé não pode querer culpar ninguém por isso…

        17 de outubro de 2013
        • Acho valida alguns pontos que colocam por eu mesmo ter um avô super misógino e sei o quanto isso é prejudicial a sociedade na pele, mas tem umas femenazistas que falam cada absurdo que acabam atrapalhando os pontos que realmente importam e merecem atenção….

          17 de outubro de 2013
  • Bom eu penso que, no caso da Primeira Fran, ela não teve culpa do rapaz ter postado as imagens na internet, pois infelizmente e comum ver esse tipo de coisa acontecer atualmente. Ela confiou e foi ” inocente” em nem pensar que isso poderia acontecer. A nossa sociedade infelizmente e lotadas de regras,porém e sem leis para punir esse tipo de pessoas que comentem algum tipo de crime pela internet, pois por mais que aconteça uma punição, não possui leis severas para crimes da internet. Já no segundo caso, a menina e o rapaz tinham que pensar que estavam quebrando as regras e indo contra a lei, que se passa-se um policial no local seriam presos por atentado violento ao pudor, ambos tinham que pensar que não podem fazer esse tipo de coisa em locais públicos, e se fizerem que sejam mais discretos. Afinal ninguém precisa ficar sabendo o que se faz. Cada um ser e responsável pelos seus atos, tanto o rapaz quanto a moça, por que colocar a culpa em quem filmou e facil, agora falar que eles erram em fazer isso em local publico, esquecendo das leis, simplesmente para ter uma “aventura”, ninguém fala. Diferente da Fran que não teve culpa de se envolver com um calhorda, tendo que passar por coisas desnecessárias.
    Fica ai minha opnão!

    16 de outubro de 2013
  • Quanto ao caso da lapa, considerando ser atentado ao pudor, é caso para autoridades. No entanto o que faz o cidadão com o celular em punho, despreparado, maldosamente filma e lança na rede mundial e infinita, ao invés de procurar solução adequada, sem causar danos de tal monta, que com certeza, mesmo que superado pela vítima em algum lugar do seu inconsciente fará burburinho. Diferente, o caso da Fran e da menina da webcam, em ambos houve quebra de confiança, estavam elas expostas à pessoas ligadas por laços afetivos, dos quais não se presume a quebra de confiança. Por isso a gravidade dos casos merecem maior atenção das autoridades ligadas ao crime cibernético, visto que, no primeiro momento, os dois garotos irresponsáveis, levaram vantagem, usando da prerrogativa da lei de “gerson” (de propósito em minúsculo devido à sua perversão). Ora, no que parece, nos dois casos a espécie masculina não sofrera dano ao contrário, causou dano e se causou deverá arcar com as consequências. Fica uma pergunta, mesmo arcando com as consequências reparara o dano sofrido pelas vítimas? Creio eu que não. Tamanho estrago é irreparável, mas não justifica a impunidade dos agentes causadores do dano. Em tempo, a vítima da lapa, mesmo estando exposta em lugar público, sofrera do mesmo dano, uma vez que a lapa é menor que o mundo virtual.
    No que representa o machismo ele ainda é muito forte na sociedade brasileira, mesmo em tempos de igualdades e liberdades a espécie feminina ainda é refém de preconceitos e de abusos, como nestes casos e em muitos outros que não vêm a público, que o diga a psicologia e ciências afins, que tenta corrigir distúrbios como estes e tantos outros. Distúrbios à parte, que sejam corrigidos, no entanto que sejam punidos severamente e com o rigor da lei, “para os amigos a lei, para os inimigos o máximo do rigor da lei”, ditados apenas para exemplificação, no caso o rigor da lei é justo e merecido.

    16 de outubro de 2013
  • Tá. Pq é ingenuidade? Ninguém aqui nunca gostou de alguém a ponto de confiar numa pessoa? Que merda de vida hein?

    16 de outubro de 2013
  • “Mas esse vitimismo exagerado das mulheres incomoda. No mundo atual, não tem como conceber q nunca desconfiaram q iriam ser expostas. É ingenuidade demais.”

    Obrigada por expor seu pensamento, Giovani! Graças à sua ajuda, jamais permitirei a mim ou a qualquer parceira (o) que eu venha a ter eventualmente me filmar ou realizar fantasias sexuais do tipo transar pela internet, posto que depois disso, se eu for jogada na rede, estarei me vitimizando em demasia.

    POR QUE NÓS MULHERES NAO PODEMOS CURTIR UMA PUTARIAZINHA QUANDO NOS DER VONTADE, SEM SER CHAMADA DE PIRANHA E/OU DE VAGABUNDA POR GOSTAR DE SEXO – DE SEXO SUJO – COMO QUALQUER PESSOA QUE TEM NATURALIZADA A QUESTÃO SEXUAL???

    ME POUPA!

    16 de outubro de 2013
    • De nada.
      Faça oq quiser, apenas assuma seus atos e consequencias.

      16 de outubro de 2013
      • nao,giovani,nenhuma mulher é obrigada a assumir nada nesse quesito e nem a assumir”seus atos e consequencias”,nao tem nenhum problema essas atitudes,sabe o que tem problema?achar que isso tem problema.e eu até to sentindo um pouco do seu orgulhinho de machinho ferido nos seus comentários misóginos,do sentindo:”ah,mas que afronta,essas putas querem fazer sexo sem o meu crivo machistinha,mas nao querem sofrer por isso ,isso é um absurdo,nao!nao posso deixar isso acontecer,e vou ficar comentando nojentamente na net que vitimas de atitudes nojentas,sao culpadas pela sua própia violencia” aposto que voce é também daqueles do”só engravida quem quer” e prevejo a analogia fajuta e nojenta com o roubo.

        16 de outubro de 2013
        • Pra começar eu sou daqueles que acha q toda opinião minimamente fundamentada nunca é nojenta, fato q já nos diferencia muito e evidencia quem é o orgulhoso e raivoso entre nós. Realmente acho q só engravida quem quer e que o fruto da gravidez não é exclusivamente feminino pra ela decidir o q irá fazer.
          Volto a dizer: machismo, feminismo e vitimismo são todos igualmente ruins para a sociedade.

          16 de outubro de 2013
          • me mostre de qual angulo por favor sua oponiao é minimamente fundamentada,pq eu só vejo”mimimi,mimimi,essas mulheres tem que se dá o devido respeito,onde já se viu querer se filmar e nao querer sofrer depois” e dai para pior !! bom,raivoso obviamente que eu sou ,nao é possivel nao sentir raiva nesse mundo escroto como é ,e ainda por cima existir machistazinho se achando o dono da razao ,e da racionalidade ,portanto,nao existe a possibilidade de eu nao ter raiva.e agora vai,já tá quase completando o ciclo.agora só falta a analogia esdrúxula com o roubo.

            16 de outubro de 2013
          • compare oq escrevi com oq vc diz q eu escrevi.
            vc não argumenta nada, simplesmente diz q uma coisa é estrúxula pq é, “mimimi machistinha, é assim pq eu digo q é e pronto”.
            É a fundamentação mais fraca aqui. Provavelmente tem a ver com o seu analfabetismo funcional. Trate ele e volte aqui depois

            17 de outubro de 2013
          • olha lá em cima dei alguns argumentos,será que eu digo que seus”argumentos” sao esdrúxulo,pq eles sao ?e até aqui nesses coments eu argumentei ,e nem precisei me alongar muito,já que seus argumentos sao ridiculos,eu falei quais sao as linhas do seu racionio,que nao é argumento.é o msm que malafaia diz em relaçao a lgbts,achando que é argumento mas nao é argumento,é só preconceito.

            17 de outubro de 2013
          • e outra dá nem para levar a serio o que voce diz,voce falou que é vitimismo,ridiculo,claro,né?querer acabar com o sofrimento por causa de estupidez misoginia ,é sem sentido,é vitimismo.

            17 de outubro de 2013
          • mimimi machismo, mimimi preconceito
            tenta juntar as palavras fazendo sentido entre elas, cara… vai treinando, lendo e tentando comentar q um dia vc consegue, tanto ler como entender.
            aquele abraço

            17 de outubro de 2013
          • tá ,machao,ok,nem sei porque tentei falar com voce,em primeiro lugar.

            17 de outubro de 2013
  • Fran e garota da webcam, eu até compreendo a ”ingenuidade” de vocês em acharem que nunca poderiam ser expostas, porque uma confiava cegamente no amante e a outra no peguete. Mas a menina da Lapa, querida, vá se tratar. Se isso era uma fantasia, vamos imaginar que todos comecem a realizar as suas. Imaginem a quantidade de mulheres estupradas, túmulos violados, crianças abusadas, mulheres sendo espancadas na cama, só porque todos tem o direito de ter uma fantasia. Existe uma coisa chamada bom senso, que nos impede de sair por aí impulsionados a fazer o que bem entendemos. Agora me explica, todo o resto da humanidade que estava vendo você trepar na praça era obrigado a conviver e aceitar a sua pouca vergonha? E o direito do outro em não ser submetido a ver uma garota que não pode pagar um motel transando num banco enquanto passeia com seu filho? Quem deveria pensar na sua família é você, não nós que não te conhecemos e estamos cagando e andando pra quem você é. Sinto muito, mas em um mundo de relacionamentos voláteis e uma sociedade, sim MACHISTA, quem tem que cuidar da própria imagem e da nossa família é cada um de nós. Ao contrário de todos, não te taxaria como puta, pois estas pelo menos tem o pudor de não fazer o que você fez. Elas cobram pelo serviço e mesmo assim, não se submetem à algo que não queiram fazer só por que o cliente quer. E pra quem justifica os vídeos das garotas como ”fantasias” vamos deixar bem claro que elas mesmas disseram que estes foram filmados porque os namorados insistiram e não por vontade própria. Vão dar um pouquinho de orgulho para seus pais, pensem neles antes de serem estúpidas. Acho que por mais que um pai seja liberal, nenhum vai gostar de ver a filha se humilhando na cama (ou na Lapa) pra segurar o namorado.

    16 de outubro de 2013
    • Igualmente perfeito.

      17 de outubro de 2013
  • Gente, vamos ser sinceros, sem falso idealismo e sem falso sentimentalismo…
    Infelizmente, mas totalmente real, é a existência do machismo e a existência da “puta”. São fatos; existem; não há como fugir disso. A sociedade é machista e uma mulher que se comporta desse modo, se expondo nua, se deixando filmar em uma hora tão íntima por um cara e ainda, fazendo gestos inapropriados, não tem jeito, será taxada como puta mesmo… Não é hipocrisia… É a vida, são as pessoas, é a sociedade exercendo o que mais faz desde a sua existência: julgar o outro!!.
    Ora gente, transar é um momento íntimo, isso deve ser preservado. Não vejo em como posso defender uma mulher que se comporta desse modo, se deixando filmar em uma horas dessas… Ingenuidade? , Não sei! Babaquice??? Muitaaaa mesmooo.!! Se antes, nós mulheres tínhamos que nos resguardar, hoje em dia então… é muita promiscuidade, muita falta de pudor, muito desrespeito ao próprio corpo, tenho tido até vergonha de ser mulher quando me deparo com certos comportamentos femininos, que de femininos não teem nada; aí depois vão exigir respeito como? Quem quer respeito tem que antes de tudo se dar ao respeito…
    Fez a merda toda minha filha, agora é arcar com as tristes consequências… Não sou santa não! Mas minha intimidade diz respeito só a mim e a meu parceiro, sem filmagens, sem fotos, não quero dar notícias dos MEUS momentos íntimos a ninguém nesse mundo e muito menos correr esse risco.. As pessoas são más, elas sempre vão falar, vão julgar, vão divulgar fotos, vídeos comprometedores; há uma necessidade, nos dias atuais, em ser “notícia” ou dar “notícias, mesmo sem terem motivos, agora imagina dando estes motivos.! Put’sss…
    Comportamento dessas garotas totalmente desnecessários e muito feios! Se estão sofrendo na “carne” a dor do falatório, agora é aguentar… pois se entraram na chuva, vão se molhar!
    Ser mulher é bom demais… A mulher tem a ver com elegância, com delicadeza, com tudo de mais lindo que existe no mundo… somos a parte colorida da vida! Basta dizer que é de dentro de nós que sai uma vida, e de nós que essa vida vai depender durante um longo tempo antes e depois de nascer para se estruturar… Essa realidade nunca irá mudar!! Passe os séculos que se passarem, as mulheres geram a vida! Nada tem de parecido com os homens… NADA!! Por isso, nunca nos comportarmos como eles. Nunca!!
    Podemos sim, ser atuais, termos atitudes da mulher contemporânea, mas sempre com o uso constante do bom senso, da razoabilidade para não corrermos os risco de sentir o peso do desrespeito e do achincalhamento alheio…

    16 de outubro de 2013
    • Perfeito.

      17 de outubro de 2013
    • Muito bom….

      17 de outubro de 2013
  • Até entendo que foi uma sacanagem o que aconteceu com o caso da Fran e o da menina que posou nua de frente a web cam por ser mulher, e saber que ás vezes temos vontade de satisfazer nossas fantasias e as de nossos parceiros, temos sempre em nossas mentes que o que fazemos entre quatro paredes ficará lá, pois confiamos nos nossos parceiros e confiança é a base de todo relacionamento estável. Porém transar em público já se torna no meu ponto de vista uma falta de respeito, muitos de nós temos esse desejo por ser algo que envolva adrenalina e proibição, mas temos que pensar que vivemos em uma sociedade, talvez o que nós satisfaça não será o melhor para a maioria, devemos pensar nos outros mais do que em nós mesmo, se eu fosse mãe e meu filho presenciasse algo assim, levaria horas tentando explicar que isso não é normal e que sexo é uma coisa a ser vivida por pessoas que se amam, tá legal eu não acredito nisso, mas toda criança tem o direito de acreditar, porque quando se acredita em amor, se reduz estrupo e sexualidade na infância. Eu sou contra o machismo e contra feminismo, todos temos direitos iguais quando o assunto é sexo, e acho injusto quando alguém se torna vítima em uma relação.

    16 de outubro de 2013
    • Concordo com grande parte do seu texto gostei muito…. porem acho que a unica causa valida é a da menina da webcam por mim o adultero e sua amante tem mais e que se ferrar, ele na cadeia e ela humilhada, não pelo fato de ter transado ou ter se deixado filmar etc cada um com seus impulsos sexuais (deis de que não prejudique um inocente) mas sim por estar fazendo mal a uma outra mulher (a esposa do canalha)… um managé ou um swing com concessão da esposa é outra coisa, a quem curta esse tipo de atividade é super comum, mas quando se faz um voto de lealdade com seu parceiro ele deve ser cumprido, se você ama a pessoa mas ainda quer transar com outras isso precisa ser deixado claro e conversado com sua esposa com honestidade e se ela aprovar tudo bem…. Enganar uma mulher inocente junto a seu marido canalha cujo ela acredita que lhe é um marido fiel durante 3 anos é uma atitude suja…. aposto que ela chamava a coitada de corna….. a putinha do calhorda isso sim que essa fran é….. e como ninguém aqui esta tentando defender o canalha é por esse fato que estou expondo minha opinião principalmente sobra a atitude da fran. O ser humano sempre vai julgar o próximo e não a nada oque possa ser feito ninguém é perfeito mas tem gente malvada e ruim nesse mundo que não merece respeito de ninguém, eu não sou muito de comentar nesses blogs feministas pois respeito o local de livre expressão de cada um e não gosto de ficar botando lenha em fogueira de polemicas, mas eu vi tanto comentários ridículo sem pé nem cabeça e valores trocados santificando essa fran e exagerando na vitimização dela que tive que expor minha opinião, agora a menina da webcam totalmente vitima, ela sim era uma adolescente vitima de sua ingenuidade e hormônios e que acabou confiando em um imbecil mentiroso…… ela sim merece ser acolhida por todos e o canalha jogado no fundo da cadeia pra virar boneca e aprender como é ser usado por alguém por mero divertimento….

      17 de outubro de 2013
      • Quando um não quer dois não brigam, a Fran está sim errada por consentir que mesmo ele tendo esposa se envolva com ela, porém isso não dá direito algum para que ele a exiba publicamente, todos nós erramos e cometemos um erro gravíssimo ao julgar o próximo, porque não foi a Fran a mais humilhada da história e sim a esposa traída. Porque ela sim acreditava no marido e descobriu da pior forma possível a traição, hora nenhuma ele pensou em nenhuma das duas mulheres, ele acabou com a vida social de ambas, imagine só o quanto serão apontadas futuramente, nenhum ser humano merece saber que um dia seus filhos terão vergonha de você, por algo que fez em sua juventude. Cada um tem de saber quais poderão ser as consequências para os seus atos, mas jamais imaginamos que uma traição ou uma filmagem pudesse ter tanta repercussão. Não dá para se distinguir quem é o errado da relação, mas o que podemos afirmar é que amanhã poderá ser um de nós, nem me refiro a traição, mas em ser traído.

        18 de outubro de 2013
  • Um horror o linguajar de todos.
    Ofensas sobre a cidade sem lógica.
    Tomar partido do casal,não tem como,pois não fica explícito a intenção de cada um.
    Fato!!! Sexo banal e libertinagem expostas dá nisso.Aguentem as consequências.

    17 de outubro de 2013
  • Fran infelizmente as vezes as mulheres sao vitimas de aprendizes de homen.inseguro que pensa que para honrar as calças,precisa mostrar ao mundo a porcaria que e. maes nossas filhas estao sujeitas a conhecer uma porcaria uma imitaçao de homen desse por ai,

    17 de outubro de 2013
  • To sem palavras e chorando muito… Tenho até hoje vergonha de contar minha história e me identifiquei muito com essas mulheres. Traduziu tudo o que eu queria falar há anos.

    17 de outubro de 2013
  • Como felizmente homens e mulheres já comentaram, são casos bem diferentes. E acrescento, é uma baita pilantragem retórica tentar colocar violação de privacidade (em que uma mulher estava cuidando da sua vida e foi vítima de um crima) e atentado violento ao pudor (em que uma narcisista patológica tentou quase que literalmente esfregar a buça na cara da sociedade, para que a mente distorcida dela pudesse se sentir “poderosa”) no mesmo saco.

    Mas o que esperar de um post que começa com “jamais poderia imaginar a repercussão que o texto teria”, e em seguida RETOMA O ASSUNTO DO TAL POST, né, dona blogueira? Óbvio que a intenção é dar ibope, e provavelmente você vai continuar insistindo no assunto enquanto ele continuar rendendo cliques.

    19 de outubro de 2013
  • Olhe bem,não li todos os comentários,e prefiro não rebater alguns,mas só quero expressar minha opinião talvez machista para alguns.

    Acho que o caso 2 ,é bem diferente do primeiro,tipo, e não tem como coloca-los no mesmo grau comparativo .
    Eu me sentiria bastante insultada ao ver um casal transando em plena praça pública,será mesmo que o casal que estava fazendo isso achou que as pessoas não iriam filmar com objetivo de ridiculariza los?Eu jogaria água,chamaria a polícia ,faria um barraco e se conhecesse um dos dois falaria para eles que envergonharam a classe humana,já que os animais que fazem sexo em qualquer lugar, a qualquer horário!Imagine vc mãe ou pai passeando com seu filhos e ter que presenciar tal fato?!Afff,já basta as coisas que somos obrigados a ver nas novelas e programas de televisão,,não acham?
    Então acho bem cínico as pessoas envolvidas no vídeo estar posando de vitimas,pois as vitimas em questão foram as pessoas que tiveram que presenciar tal fato.
    Espero que daqui a uns anos isso na vire algo normal para sociedade,já que muitos valores e comportamentos hoje em dia estão defasados e cada vez mais improprio aos meus princípios e valores meus valores.
    Tudo tem limite,e eles mereciam estarem presos.

    No caso 1, é bem diferente, eles estavam num ambiente reservados,no quarto,sala, seja lá onde for não era local público,eu recrimino a atitude grosseira do rapaz e de todos que a rotularam,pq pra mim existe apenas um filho da puta e sacana em questão,e essa pessoa é o rapaz que usou da confiança dada a ele para expor vida intima dela e certamente com intuito de difama-la.
    O que precisa mudar é a punição mais severa a tal coisa, pois isso é uma agressão ao ser humano,pode destruir vidas,uma família,o que me leva a aconselhar nos mulheres a sermos mais criticas em relação ao nosso parceiro.

    22 de outubro de 2013
  • Uma coisa é vc se deixar filmar num local privado, outra coisa é transar num banco de praça pública, em plena luz do dia! falta respeito pelos outros e por si mesmo! esse casal extrapolou, agiram como animais no cio! eu ficaria enojada se estivesse passando na rua e me deparasse com uma cena dessas…

    23 de outubro de 2013
  • Eu gostaria muito de ter contato com a Fran, eu passei por isso com 16, meu primeiro boquete, meu namorado da época foi um canalha, filmou tudo e soltou o vídeo na galera…um vídeo que eu só fiquei sabendo que existia depois que amigos souberam e até mesmo viram o vídeo e vieram me contar. Na época não havia internet, nesse caso dei sorte…até hj penso o que teria acontecido se houvesse internet..enfim..agora acho que estou tendo uma noção do que acontece..meu vídeo foi feito por conta de uma aposta do tal namorado..que se achava o fodão da turma com os amigos..não se pq eu era vigem..ou qual motivo a aposta foi feita..também nunca mais tive contato com a pessoa.. fui xingada de boqueteira na rua, na porta da escola… nós estudávamos na mesma escola.. e terminar o ano foi bem difícil. o conselho que eu dou é levantar a cabeça e seguir em frente..fiz vários amigos por conta deste fato, amigos inclusive que eu tenho até hj..homens e mulheres…um deles me disse – Não liga, todo mundo faz boquete, a diferença é que o seu o povo viu..tentei não deixar o fato me traumatizar.. e segui em frente, poucas pessoas que me conhecem hj em dia sabem disso..e em solidariedade a vc hj a internet vai saber que vc não é a única e nem vai ser..não deixe as pessoas ruins te destruírem, levante a cabeça..sexo todo mundo faz….vídeo, vários casais fazem… e os que te xingam hj são provavelmente os invejosos que queriam ter a coragem que vc teve de fazer um vídeo picante..eu ja fiz vários depois que isso tudo aconteceu e só de raiva eu aprendi a faze um boquetinho bem legal..Use a vida a seu favor… num vê a Geise Arruda virou celebridade por conta de um vestido curto..e usou a mesma maldade das pessoas a favor dela..faça a mesma coisa.. se te reconhecerem..pergunte qual é o problema..quer um autografo!! e siga sua vida..a internet é infinita, mas em breve tem outro babado acontecendo!! Beijos!!

    23 de outubro de 2013
  • Eu já passei por isso, e sei a dor que essa menina tá sentindo.
    Me envolvi com um vagabundo que falava que me amava, me pedia fotos falando que queria me ver que me achava linda e maravilhosa, qdo na verdade o patife queria apenas fotos pra me manter de “rabo preso” caso quisesse terminar.
    Todas as vezes que o relacionamento balançava ele me ameaçava de colocar as fotos no face, e quando finalmente ele fez a merda de me bater ele de fato publicou as fotos e me expos pros meus amigos (obviamente sem se expor).
    Não denunciei pois tive medo dele me matar, e pq sei que NADA iria acontecer, tanto pelas fotos quanto pela agressão (ele me socou a cara) é dolorido vc ver sua intimidade exposta… Dói demais, mas passa…. Antes a dor de ter confiado e ser traída, do que saber que vc fez mal a alguém. Amar e querer agradar o amado não é feio… feio é ser hipócrita, mentiroso, falso, recalcado e enganador.
    Uma certeza nessa vida, aqui se faz, aqui se paga, se a justiça dos homens falha a de Deus não falha nunca…
    Fran, se vc chegar a ler isso saiba que isso vai passar, vc vai se sentir triste por um tempo, mas não pra sempre.
    Sociopatas são o câncer da sociedade, e cada vez mais temos mais pessoas doentes disseminando o mal onde passam e com carinha de santinhos… Os valores estão distorcidos, tenho preguiça desse mundo!!!

    24 de outubro de 2013
  • Eu estava lendo os cometários e não li todos, confesso. Acho que é importante colocar, devido aos comentários e retruques (até onde vi tudo bem, pacificamente, como discussão aberta), que o erro de divulgar um vídeo como esse é achar que dessa forma vc pode constranger a vítima. Na verdade, o constrangido deveria ser quem postou. Não acho ingenuidade se deixar filmar se assim deseja. O que não deve acontecer é a culpa vir a sobrecarregar quem simplesmente fez sexo e deixou que o ato fosse armazenado em um meio específico. Quem publica tais coisas sem o consentimento de ambos é que deveria estar sendo constrangido pelas pessoas não envolvidas. Quero dizer, não sou a favor de julgamentos, mas se alguém vai atirar a primeira pedra, porque logo na vítima? E sim, a verdade é que em geral são mulheres que se constrangem por ter um material como esse divulgado, porque temos um problema cultural viral: machismo. O homem comedor garanhão e puta que se deixou filmar. Não vemos muito por ai namorada se vigando do seu ex postando vídeos das relações sexuais, onde a bunda e o pênis bem dotado do cara aparece em primeiro plano. A menos que haja motivos pejorativos como pênis pequeno, não tem porque o vídeo fazer sucesso ou ser motivo de chacota. Mas a mulher sendo bonita ou feia, sendo o que for torna-se alvo gritante de palavras ácidas.

    30 de outubro de 2013
  • Oi fran, eu li seu site e achei muito interessante e queria contar um pouco da minha história.. Bom no final do ano passado eu tinha um amigo que conversava comigo sobre várias coisas, então um dia agente trocou vídeos das partes íntimas mais nada demais achei que era só ali e avia acabado, mais não foi só ali e acabou o Juan que foi o menino que eu mandei o vídeo não apagou a nossa conversa no watts então um amigo dele viu o meu vídeo e espalhou para a escola inteira que eu havia mandado um vídeo para ele, e isso se estourou não faz muito tempo foi em março que se estourou completamente… E agora eu estou sendo vista na escola toda e na cidade toda como “puta” como “vagabunda” etc.. Já tentei me matar por isso mais não vale a pena uma hora isso vai se acabar! Minha vida era tipo perfeita até isso acontecer eu me arrependi, mais arrependimento não cura a dor que eu sinto …. Bom achei muito legal você criar esse site gostei muito das histórias…

    8 de maio de 2014
  • Neste momento estou passando pelo mesom problema, e não sei o que fazer, há um ano atrás o meu ex. namorado postou minhas fotos. Mas so que foi num outro país, ainda no meu país poucas pessoas sabem. Estou de namorado novo, eu tive que o contar antes que ele soubesse por algum site ou amigos. Ele ficou com raiva e não me disse nenhuma palvra. E eu não sei o que fazer, se calhar ele irá terminar comigo. eu vi despreso e vergonha no seu olhar. O que eu faço?

    25 de fevereiro de 2015
  • Isso e muito grave entao eu to com o mesmo problema o menino que eu gosto fez questao de falar pra diretora da essa scola que eu mandei foto e a diretora vai contar pra minha mae nesse momento estou querendo me matar eu nao sei oqhe fazer meu pai e minha mae me ama muito entao eu nao quero descepcionar ele novamente pq antes tinha aconte,ido ai eu disse pra ela que eu nunca mais iria mandar pra ni guem mais veio um viado o menino que eu amo oque eu faco me ajuda se ela descobrir eu me mato me ajudem eu nao iero morrer

    3 de abril de 2015
  • gente fiz algo que me arrependi na hora,faz um anos eu era nova no face e queria chamar a atencao..entao tirei foto de calcinha mas de blusa..porem quando postei..recebi varias criticas e me odiei..e em 20 minutos que a foto foi postada eu apaguei..porem depois de quase mais um ano um amigo da minha mae falou que viu a foto dela no meu face semi nua mas eu nunca postei e quando minha mae voutou a perguntar ele nao quiz mais falar e eu tenho a impressao que era minha mas ele so trocou quem era para ver a reacao da minha mae..e ele tanbem disse que os caras do meu bairro que viram e falaram e quando eu passo na rua os outros ficam me encarando..sinto nojo de mim e nao quero q minha mae saiba se nao axo q morro.. preciso de um conselho pro favor.!!

    14 de abril de 2015
  • O que faco se eles pegarem a foto? Acho que minha vida acaba a qui..ja tenho depressao por outras coisas mas isso e demais nao tenho coragem de me matar mas axo que a depressao vai..me ajudem!!

    14 de abril de 2015
  • Oi, faz 7 meses q fui vítima das publicações de fotos na internet, quando recebi a notícia q estava semi-nua na internet meu mundo desabou. Fiz de tudo pra tentar esconder isso da minha família, mas n deu certo. Pra minha mãe não descobrir da boca dos outros, eu mesma contei pra ela. Ela ficou arrasada, me bateu um pouco, me ofendeu e etc. Fiquei muito triste com isso. Já faz um tempo q isso aconteceu, mas até hoje fazem críticas
    sobre esse incidente. As vezes quando me lembro disso me corto. E quando a gente tá quase esquecendo, vem uma pra te lembrar disso…

    17 de maio de 2015
  • Gente eu tenho 14 anos…
    N aguento mais ser tão idiota e ingênua.eu já mandei fts íntimas minhas duas vezes.minha mae descobriu uma e eu fui burra e mandei de novo..só q agora eu estou sofrendo mais pq vazou de novo e minha irmã já desconfia. só q n contou pro resto da família…eu só vivo chorando.tomando um monte de comprimidos e cortando os braços.já pensei em usar drogas.e me matar …

    2 de outubro de 2015
    • Eliane,
      Imagino o quanto deve estar sendo difícil pra você viver uma situação dessas, em um período já tão difícil como é a adolescência. Mas não deixe que uma situação difícil como essa te leve a fazer ainda piores, como prejudicar sua saúde, usar drogas ou por fim à sua vida! Sei que no momento em que vivemos um problema parece que não há saída, que essa situação tomará conta de toda sua vida, etc, etc, mas, tenha certeza, com o passar do tempo isso será esquecido, você seguirá novos rumos, conhecerá gente nova, poderá progredir nos estudos,poderá ter uma profissão que lhe realize, fazer novos amigos, conhecer lugares diferentes, e tantas outras coisas boas que a vida tem guardada. Lembre sempre que você tem todo um futuro pela frente e não deixe, jamais, que uma atitude nojenta de alguém que traiu sua confiança a leve a ter atitudes autodestrutivas. Como dizia Mário Quintana, um poeta muito sensível, “Todos estes que aí estão atravancando o meu caminho, Eles passarão. Eu passarinho!.” E continue voando com a alegria e a liberdade de um passarinho.
      Nesses momentos difíceis, ajuda muito ter alguém de confiança e com sabedoria com quem possamos partilhar nossas angústias e nos ajudem na caminhada. Seria muito bom se você pudesse ir a uma boa psicóloga: um bom acompanhamento psicológico ajuda demais a passarmos por momentos conturbados e seguir adiante.

      12 de fevereiro de 2016
  • Passei por isso a poucos dias, estou muito triste e sem saber oque fazer, amigos de verdade descobri que nao tenho nenhum, Somente meus pais e parte da minha familia ficaram do meu lado, gente hoje me tornei uma pessoa com penssamentos diferentes, julgar os outros é algo tao ridiculo que so quem ja passou por uma cituaçao complicada pode intender! Orem pessam a Deus para lhes darem forças, porque da vontade ate de cometer suicidio em uma cituaçao dessa, Mais Deus e misericordioso e de alguma maneira ele acalma teu coraçao! tomem cuidado gente por favor, nao jugem quem esta passando por isso esses julgamentos so calsam mais dor na pessoa, lembre-se amigos de verdade so pai e mae o resto te abandonam no momento que vc mais precisa!

    21 de fevereiro de 2016
  • Emocionante o texto…Conversando com um colega que reencontrei depois muitos de anos na rede social, fui logo assediada diretamente por uns 4 comentários e/ou solicitações de cunho nitidamente sexual…Fui rindo, desconversando e sentido até onde ele iria, porém quando afirmei que não poderíamos ter nada ele me ofendeu e me xingou em conversa privada e também no meu perfil publicamente, para me prejudicar. Infelizmente mulher é enxergada como um mero objeto a ser consumido…nesta história toda fui humilhada, ofendida, injuriada publicamente e a culpa é toda minha que dei mole. Simples assim. Infelizmente 100% das pessoas pensa assim.

    29 de abril de 2016

Deixe um comentário