HomeToysElas inventaram o Eva, um vibrador “mãos livres” para casais

Elas inventaram o Eva, um vibrador “mãos livres” para casais

entrevista eva toy

Elas inventaram o Eva, um vibrador “mãos livres” para casais

Eva, o sex toy desenvolvido por Alex e Janet, da Dame Products

Eva, o sex toy desenvolvido por Alex e Janet, da Dame Products

“Só estamos tentando fazer do mundo um lugar mais feliz – uma vagina por vez”. A frase é da dupla gringa Alexandra Fine e Janet Lieberman, idealizadoras do vibrador Eva, que tem causado burburinho mundo afora. Tanto pelo discurso feminista das jovens empreendedoras (leia a entrevista abaixo) quanto pelo design do brinquedinho erótico.

Isso porque ele deixa as mãos livres, não requer cinta, não tem formato de pau nem é intrusivo (nada de enfiar em lugar algum). Eva tem duas “asinhas” flexíveis que se encaixam nos grandes lábios da vagina, mantendo o “motorzinho” bem em cima do clitóris. Assim o casal pode transar sem o incômodo de ficar segurando um sex toy. Ou mesmo fazendo malabarismos com os dedos para friccionar o “botãozinho da alegria” enquanto rola a penetração.

Faz tempo que ando com a ideia de tatuar na testa: “Sete em cada dez mulheres só consegue gozar com estimulação do clitóris; bate-estaca não funciona para a grande maioria”. Acho incrível que as jovens empreendedoras estejam disseminando essa verdade também – AND botando no mercado outra alternativa para facilitar os orgasmos femininos DURANTE o sexo. Eva possui três intensidades de vibração, de “gentil a quase intimidadora”, e custa 105 dólares + frete (encomendando o meu antes que você acabe de ler este post…).

Confira o que Alexandra e Janet me responderam por email:

Quando e como vocês decidiram trabalhar com produtos eróticos?

JANET: Definitivamente há um pouco de motivação feminista na minha decisão de trabalhar nessa indústria. Me parece que a pornografia estimula a tecnologia, enquanto sex toys ficam para trás. A pornografia é essencialmente focada na sexualidade masculina e o mercado de produtos eróticos, na feminina. Eu trabalhei por anos na indústria de bens de consumo e eletrônicos. O segmento de sex toys não é diferente do resto desse mercado no que diz respeito à preocupação com qualidade, custo benefício, experiência do usuário. Senti que os fabricantes estavam capitalizando em cima da vergonha das mulheres para vender produtos inferiores, como se as mulheres não se importassem ou não notassem a diferença. Eu tinha em mente que poderia produzir algo melhor, além da convicção de que as mulheres estavam prontas para exigir mais de seus vibradores.

Modo de usar: as "asinhas" são encaixadas nos grandes lábios e o vibra fica sobre o clitóris

Modo de usar: as “asinhas” são encaixadas nos grandes lábios e o vibra fica sobre o clitóris

– Como vocês desenvolveram o Eva? Ouviram mulheres sobre o que seria o vibrador perfeito?

JANET: Eva foi desenvolvido para resolver uma lacuna no prazer – existe uma desigualdade na satisfação sexual de homens e mulheres em relações heterossexuais. Devido à importância da estimulação do clitóris para a maioria das mulheres, muitos casais buscam vibradores para tentar resolver isso. Mas a sexualidade, particularmente das mulheres, é também impactada pelo estado emocional e pela intimidade física, como beijar e tocar. Então quisemos fazer um vibrador que não ficaria no meio do caminho ou deixaria um dos parceiros fora do momento.

No documentário “O Vibrador Dialético”, muitos entrevistados disseram que as mulheres que usam vibradores “não conseguem ter um cara” ou seus parceiros “não são bons o bastante”. O que vocês acham disso?

ALEX: Existem muitas razões para usar um vibrador – “não ter um cara” ou “não querer fazer sexo com um” são ótimas razões. Mas não acredito que a maioria das mulheres estejam usando por esse motivo. Por exemplo: mulheres casadas têm duas vezes mais probabilidade de possuir um sex toy.

JANET: Acredito que geralmente é preciso um certo conforto com a própria sexualidade para comprar um vibrador, e muitas mulheres vão ganhando essa confiança com o tempo. Você não precisa comer uma sobremesa porque você não tem uma ou porque não gostou da sua refeição. Você come porque você quer comer.

Feito especialmente para casais heterossexuais

Feito especialmente para casais heterossexuais

– Nas palestras que faço, mulheres e homens parecem surpresos com o fato de que o clitóris é responsável por bem mais orgasmos do que a penetração. Quando entendem isso, sentem-se mais confortáveis para recorrer a um vibrador. É como se pensassem: “ah, então não tem nenhum problema com o tamanho do meu pau, ele só não é o suficiente para fazê-la chegar lá…”. É isso que vocês estão comunicando com o Eva?

ALEX: Eva foi desenvolvido para casais e certamente ajuda a reduzir algumas das inseguranças que os homens sentem sobre usar um vibrador durante o sexo. Isso porque ele não é fálico nem feito para ser usado internamente. Na minha utopia, as pessoas usam Eva porque é um bom ajuste ao prazer que gostam.

JANET: Nós estamos muito felizes de ver que Eva está iniciando conversas. Ouvimos pessoas dizerem “Eu achei que havia algo de errado comigo” ou “Achei que fosse a única” porque não conseguem ter orgasmos a partir da penetração vaginal. As pessoas se sentem inseguras de tantas formas em relação à sexualidade… E ser capaz de ajudá-las a sentirem-se melhores consigo mesmas é maravilhoso. 

*LEIA MAIS:

– “Eles temem ser substituídos pelo vibrador, mas é justamente o contrário”, diz diretora de documentário

– Os 15 melhores sex toys para 2015

– O que é um homem “bom de cama”? Elas respondem

– Vagina: “Pau, precisamos conversar”

– “Quero comprar meu primeiro vibrador. Me ajuda?”

*SIGA O PIMENTARIA:

Facebook/napimentaria

Instagram @pimentaria

Youtube/napimentaria

Compartilhar:
Comentários
  • Tudo muito bom…tudo muito bem…
    MAS, se é complicado um fone intra auricular que encaixe no ouvido, como fazer um trem que vibra ficar embaixo num lugar lubrificado que pode ser tão distinto quanto ac impressões digitais e que ainda, eventualmente, será cutucado por um falo intrometido?

    []s
    O Carioca

    16 de setembro de 2015
  • Queria experimentar com o meu marido.

    16 de julho de 2016

Deixe um comentário