HomeSaúdeEjaculação precoce: saiba se você tem e o que fazer

Ejaculação precoce: saiba se você tem e o que fazer

ejaculacaoprecoceyahoo

Ejaculação precoce: saiba se você tem e o que fazer

Imagine uma prova de atletismo: todos os competidores posicionados lado a lado aguardando o som que autorizará a corrida. Um deles dispara antes da hora, queimando a largada. Qual o problema desse cara? Eu apostaria 100 metros pulando feito saci que ele está ansiosíssimo ou trata-se de um iniciante. Mais ou menos o que acontece com os homens que sofrem de ejaculação precoce.

Se pudéssemos reuni-los, não seria um pequeno evento de bairro. As inscrições seriam muito mais numerosas que as da São Silvestre. Acham que eu tô exagerando? Então toma esse tapa de realidade: segundo um amplo estudo do PROSEX, da USP, 25,8% dos brasileiros sofrem dessa disfunção sexual. Isso seria o mesmo que dizer 25 milhões de pessoas ou UM EM CADA QUATRO homens.

Daí você me pergunta quanto tempo demora para a ejaculação masculina acontecer. Em média, 2 minutos após a penetração (isso se o cara ficar esse tempo direto lá, constante, botando-tirando). De onde eu tirei esse número? O biólogo Alfred Kinsey estudou o comportamento sexual de 18 mil casais para levantar algumas estatísticas e estabelecer o que seria o padrão de “normalidade”. Em 75% dos casos, os homens atingiam o orgasmo depois dos tais 120 segundos (dois minutos). A mulher, segundo o mesmo levantamento, levaria entre 10 e 20 minutos.

Ou seja, o cidadão que ejacula em menos de um minuto e meio de penetração ou antes mesmo que ela aconteça (nas carícias, por exemplo), PODE ter ejaculação precoce. Hoje há um consenso entre especialistas da área de que 1. se gozou em menos tempo, mas QUIS gozar, sem problemas; 2. se gozou depois de mais de dois minutos, mas NÃO QUIS gozar/ NÃO CONSEGUIU controlar, pode ser problema. MAS, para caracterizar um “ejaculador precoce”, a gente precisa ainda levar algumas coisas em consideração: a) acontece com muita frequência nos últimos seis meses?; b) causa angústia e frustração para si e para a(o) parceira(o)?; c) não consegue satisfazer a(o) parceira(o) em pelo menos metade das transas?

A causa mais comum da ejaculação precoce é a ansiedade. Na adolescência, muitos garotos passam por um episódio mela-cueca antes mesmo de achar o buraco da vagina. Pela falta de experiência ou até por medo de que alguém apareça de repente (quem nunca deu uns amassos escondido?). A tendência é que ele vá ganhando confiança e aprenda a controlar essa resposta fisiológica do corpo. Na idade adulta, o que pesa bastante é o receio de ter um mau desempenho no sexo. Sim, a preocupação com o que a outra pessoa vai achar. Principalmente nos primeiros encontros, quando tudo é novidade e o tesão não se aguenta.

Só que a ejaculação precoce também rola nos relacionamentos longos. Você pode ter sido infalível por um bom tempo e, do nada, sofrer com a disfunção.Seja por dificuldades conjugais, por estresse ou por outros fatores psicológicos. A maioria dos ejaculadores precoces superam a questão com ajuda de terapia mesmo. Agora, claro que algumas doenças e o uso de determinados medicamentos podem ser culpadas pela disfunção também – precisa se consultar com um urologista e fazer exames (tipo colesterol, diabetes etc) para descartar essas hipóteses. Pode ser que o médico receite até um antidepressivo para segurar a ansiedade como um todo.

Vestir camisinha no sexo, além de usar cremes de lidocaína, reduzem um pouco a sensibilidade do pênis e talvez retardem a ejaculação. Mas é uma alternativa paliativa, não vai à raiz do problema. Três técnicas criadas e testadas pelos famosos pesquisadores William Masters e Virginia Johnson também funcionam para reeducar quem tem esse comportamento sexual. Se você é ou desconfia ser um ejacular precoce, aqui vão os exercícios:

1. Parada e compressão

Enquanto você estiver se masturbando – com ou sem a(o) parceira(o) -, precisa perceber o momento em que a excitação está bem alta. Sabe o “tô chegando lá”? Então, deve interromper essa sensação prazerosa apertando o pênis na região logo abaixo da glande (cabeça). O exercício fará com que você aprenda a observar e controlar as sensações genitais.

2. Parada e reinício

O princípio é o mesmo. Quando vocês estiverem começando as preliminares, avise antes de sentir que a coisa tá incontrolável. Daí vocês param TUDO. Não se toquem nem nada. Respire por 30 segundos, pense na tia feiosa, nas contas a pagar ou em qualquer outra imagem não-erótica. Passou? Beleza, podem retomar.

3. Exploração sensorial

A ideia é tirar a ansiedade e a pressa da penetração. Brinquem de explorar o corpo um do outro, excluindo qualquer contato com os genitais. Beijem-se e toquem em partes pouco exploradas, tipo costas e pernas e braços… É pra ficar gostosinho só, não terminar no ato propriamente dito.

Se você é parceira(o) de alguém com ejaculação precoce, tenha em mente que a sua frustração é também dele. Não se sinta ofendida(o), muito menos ofenda. Sei que é um assunto delicado, mas intimidade requer essa capacidade de dialogar sobre sexo. O tratamento só é eficaz se quem a gente ama se coloca de forma compreensiva e paciente. Caso você tenha tocado no assunto e seu namorado/marido não aceitar ajuda nem fizer nada para melhorar, talvez seja o caso de repensar a relação. Tudo bem ficar ao lado de alguém egoísta ou imaturo a ponto de varrer a poeira para baixo do tapete?

***Este post foi originalmente publicado na coluna da Nath no Yahoo.

*LEIA MAIS:

– Que porra é essa? Quatro disfunções da ejaculação

– Squirt ou ejaculação feminina: o orgasmo esguichado

– O maravilhoso mundo do anel peniano com vibro

– “Não consigo gozar no sexo, só na masturbação. Por que?”

– “Não saí mais com ele porque o pau era muito grande”

*SIGA PIMENTARIA:

– Facebook/napimentaria

– Instagram @pimentaria

– Twitter/napimentaria

– Youtube/napimentaria

Compartilhar:
Comentários
  • sobre masturbação: não é normal, há prejuízos p/ o organismo, e só entende esse tema quem sabe nossa origem e p/ onde vamos

    28 de fevereiro de 2016

Deixe um comentário