Eu trocava mensagens com um ex-colega de trabalho com quem há tempos não tinha contato e me procurou curioso com

Last Week Posts

Você se arrependeu de não ter preparado nada pra comemorar uma data especial (tipo aniversário de namoro/casamento) e faltam apenas algumas horas antes de encontrá-lo (a)? Calma que ainda dá tempo de improvisar uma noite apimentada - mesmo sem reserva em restaurante e suíte de motel. 1) Instigue a imaginação dele (a): corre pra um lugar reservado

Na vida, às vezes a gente mete os pés pelas mãos. No sexo, a gente também pode meter o dente no pênis, a cara no chão, o joelho no saco escrotal, o sabonete na vagina (oi?)

A gíria pra sêmen não sai da boca do povo brasileiro. Mas que p***a é essa? 1) Uma ejaculação equivale a uma colher de chá (entre 3,5 e 5 ml) e pode variar, por exemplo, de acordo com a frequência com que o cara ejacula. Então, sei lá, se ele transar duas vezes na mesma noite

EMAIL: “Meu problema é que fico muito lubrificada quando estou excitada. Minhas amigas brincam que ‘isso não é problema, é solução’. Mas sempre tive vergonha dos caras porque molha o lençol, na penetração faz barulho e, dependendo da posição, o pênis escorrega pra fora o tempo todo. O que eu faço?” Sinalizar “área sujeita a alagamento”

Para os homens de Ruanda, país na África Central, há algo de divino no orgasmo e na ejaculação feminina (quedê globalização nessas horas?). Fazer uma mulher gozar é questão de honra e masculinidade. “Se o homem não deixar que essa água brote, ele se sentirá frustrado e a mulher, ofendida”, diz um dos personagens reais

Ninguém deixa de se desenvolver sexualmente porque os pais decidiram não tocar no assunto em casa e censuraram a escola: “Meus filhos não têm idade pra essas coisas!”. Muita gente por aí com “idade pra essas coisas” pode tocar no assunto E nos seus filhos sem que eles tenham censura suficiente para se defender. Se

Amor e desejo são necessidades humanas fundamentais – e independentes, se deixarmos a hipocrisia de lado. Podemos desejar sem amar; continuar amando ainda que o desejo cesse ou também se dirija a outras pessoas. Como conciliar, preservar e confinar essas necessidades a um relacionamento que comporta apenas duas pessoas? Queremos alguém que nos dê estabilidade,

TV PIMENTA
NATHALIA ZIEMKIEWICZ
Jornalista de comportamento, trabalhou em Época e Istoé. Pós-graduada em educação sexual, já palestrou para 2.500 pessoas. É colunista do Yahoo e do Bayer Jovens, além de embaixadora dos lubrificantes K-MED. Aposta que informação pode ser mais transmissível que muita doença. Gozadinha, derruba tabus escrevendo sobre sexo com leveza e bom-humor.
NEWSLETTER

Digite seu e-mail e fique por dentro de todas as novidades

PUBLICIDADE
FACEBOOK